Wormholes e a Física dos Espaços

Wormhole
Buraco de Minhoca
Buraco de Verme
Stargate
etc…

O conceito matemático destas entidades cosmológicas ainda não confirmadas na prática (porque são modelos teóricos) declara que elas servem de atalhos dimensionais entre dois pontos afastados na malha espacial tridimensional.

Por exemplo, entre o nosso Sol e Sirius, 8,611 anos-luz de distância (longe muito longe) pode haver uma tal distorção espacial que faça os dois sistemas estelares se tocarem em algum ponto desta distorção, através de um Buraco de Verme.

Olhe para a geometria do Buraco de Verme.
Há três regiões a se considerar.

A região dentro do buraco ou túnel (o atalho espacial)
A região fora desse túnel (o espaço tridimensional das distâncias infinitas)
E a região intermediária (os inter-espaços criados pela curvatura que produz o túnel).

Teoricamente falando,
são três regiões de tempo (já que todo espaço é contíguo ao tempo, que também é uma dimensão)

Tempo normal (do relógio)
Tempo desacelerando (dentro do túnel)
Tempo fora do tempo (inter-espaços) ou tempo zero.

O que fecha essa conclusão com o seguinte conceito:

O Universo criado das distâncias cósmicas é uma dimensão que cobre dimensões internas onde o conceito tempo deixa de existir, dando lugar ao conceito ETERNIDADE, aquela onde se movem os espíritos em conexão direta com o Criador do Universo.

Como podemos ver, ainda faltam muitas estradas a serem percorridas para que a ciência moderna possa dizer
“Eu sei alguma coisa sobre o Universo lá fora!”

Observação:
Se vivo, Einstein hoje completaria 142 anos.
E suas teorias nunca foram tão atuais em todos os campos da ciência moderna.

JP em 14.03.2021

Comentários
Compartilhar
Leia também  Sergei Paramanenko, Um Viajante do Tempo