Mongólia entra em quarentena após surto de peste negra

Do La Nacion:
(Dia 2 de julho de 2020)

Enquanto o mundo está debatendo o novo coronavírus, a Mongólia colocou em quarentena sua região oeste, que faz fronteira com a Rússia, depois de identificar dois casos suspeitos de peste negra.

De acordo com o Centro Nacional Mongol de Doenças Zoonóticas (NCZD), testes de laboratório confirmaram que dois indivíduos não identificados contraíram “peste marmota” na região de Khovd.

A Peste Negra matou milhões de pessoas na Idade Média, mas agora os casos são muito raros. Sua forma mais comum é o bubônico, que é transmitido por pulgas e causa inflamação dos gânglios linfáticos. A forma mais virulenta é a peste pneumônica, que pode ser transmitida de humano para humano através da tosse.

Na verdade, a ameaça da peste bubônica começou em 2019, o ano em que os primeiros casos de coronavírus também surgiram (na China, vizinha da Mongólia).

O que é a peste pulmonar e por que sua aparição na China preocupa
(BBC-2019)

O que é a Peste?

A peste é uma doença infecciosa aguda, transmitida principalmente por picada de pulga infectada. A doença se manifesta sob três formas clínicas principais:

  • bubônica;
  • septicêmica;
  • pneumônica.

A doença é conhecida popularmente como “peste negra”, “febre do rato” ou “doença do rato”.IMPORTANTE: A peste é um perigo potencial para as populações devido à persistência da infecção em roedores silvestres. Se não tratada corretamente, pode levar à morte.

A forma mais rara, porém mais letal de peste, apareceu na China.

Duas pessoas foram hospitalizadas em Pequim após contrairem a peste pulmonar ou pneumônica – uma variante altamente infecciosa da doença e muitas vezes fatal – confirmou a Organização Mundial da Saúde (OMS) na quarta-feira (13/11).

Os dois pacientes, originários da Mongólia Interior – região do norte da China – foram colocados em quarentena após serem diagnosticados com a doença, segundo autoridades de saúde do distrito de Chaoyang, a leste da capital chinesa.

Segundo a OMS, o governo chinês está tentando conter e tratar os dois casos e aumentou sua vigilância.

Uma variante perigosa

A peste pulmonar é uma doença que afeta humanos e outros mamíferos. Ela é causada pela bactéria Yersinia pestis.

Os seres humanos geralmente se contagiam pela picada de pulgas infectadas, que vivem em pequenos mamíferos como ratos, ou ao manipular um animal infectado com a doença.

Sua taxa de mortalidade pode ser alta, mas o tratamento com antibióticos é eficaz se administrado até 24 horas depois do contágio.

Segundo a OMS, existem três formas de infecção por peste: a bubônica – a mais comum, que afeta os gânglios linfáticos -, a septicêmica – ocorre quando a infecção se propaga pelo fluxo sanguíneo – e a pulmonar, quando afeta os pulmões.

A bubônica, também chamada de peste negra, é talvez a mais famosa, já que na Idade Média ocasionou um dos surtos mais mortais da história da humanidade.

Menos comum, ela é a forma mais virulenta de peste. Geralmente ocorre devido à disseminação para os pulmões de uma infecção bubônica avançada e geralmente é transmitida por ratos, embora também seja possível passar de uma pessoa para outra através de uma simples tosse.

Se não for tratada, a peste pulmonar tem uma taxa de letalidade próxima a 100%.

As autoridades de saúde chinesas disseram que todas as pessoas em risco de exposição à doença foram localizadas e tratadas, e que os hospitais intensificaram o monitoramento de pessoas com sintomas semelhantes.

Eles acrescentaram ainda que o risco de um surto de peste pulmonar no país é mínimo.

Outros casos
Os surtos na China não são frequentes, mas grande parte da cidade de Yumen, no Noroeste, foi colocada em quarentena em 2014, depois que um morador de 38 anos morreu de peste bubônica.

As populações de roedores aumentaram na Mongólia Interior após secas persistentes, agravadas pelas mudanças climáticas.

Na vizinha Mongólia, duas pessoas morreram na primavera passada depois de comer marmota crua, um alimento que pode transportar a bactéria Yersinia pestis.

Em Madagascar, um surto de peste em 2017 deixou mais de 200 mortos.

https://www.thesun.co.uk/news/12003535/black-death-mongolia-brothers-plague-marmot/


Realmente, o profeta do Apocalipse não errou quando associou que o quarto cavaleiro, aquele definido como o cavaleiro da peste, teria cor amarela… Mongólia, China, não é de hoje que essa região do planeta se tornou berçário de epidemias virais, como o coronavírus que agora se tornou pandemia (global).

Há algo nos astros, há algo no ar, há algo no Karma, que realmente parece estar propiciando o meio para as doenças… se o mundo está cada vez mais poluído e contaminado por todo tipo de energia, química e psíquica, e se a natureza está sendo cada vez mais destruída, e de forma acelerada, porque tudo o que importa é LUCRO, então, o que esperar que germine e se multiplique nesse chão além de doenças?

Na matéria abaixo, uma análise do cavaleiro amarelo da peste.

JP em 03.07.2020

Comentários
Compartilhar