Apocalipse 12 e a Lei do Sacrifício

(Matéria de 30.06.2017)

Está chegando a Páscoa das Páscoas, ou Grande Pesach, que é Passagem, e significa morte para a imortalidade, perda para o ganho eterno, sofrimento temporário para a liberdade permanente!

Há que se cruzar os quatro capítulos-chave da Bíblia, dois do Velho Testamento (Gênesis 12 e Êxodo 12) e os dois do Novo Testamento (João 12 e Apocalipse 12), este último, revelando o Sinal astronômico infalível para 23 de Setembro de 2017. Muitos jubileus e ciclos se completarão entre 2017 e 2018, pelo que são muitas flechas sendo disparadas na mesma direção para que se mantenha alguma dúvida a respeito…

Há que se cruzar todas estas coordenadas da Bíblia com os valores do Arcano 12 do Taro, que é o enforcado ou mesmo o Crucificado. Jesus perdeu a própria vida, para retomá-la depois em imortalidade na presença do Pai eterno mas, infelizmente, as próprias religiões caem em mentiras e rompem com a Verdade do Altíssimo quando se direcionam para ganhar neste mundo, ao invés de perder… para gozar ao invés de sofrer, e para se dar bem ao invés de procurar primeiro pelo bem do semelhante.

Há certamente muitas mentes negras infiltradas em mentes dos representantes das muitas Doutrinas para que se chegue a esse resultado deformado da Verdade em nosso tempo, fechando as portas da Páscoa real para muitos…

Veja-se no Gênesis 12, quando Abrão e seus parentes fizeram a primeira Páscoa simbólica da Bíblia, fugindo da grande fome que assolava a Terra e buscando refúgio no poderoso Egito… como buscaram refúgio e víveres os parentes de José, e que não foram negados nem aos 10 irmãos traidores… e veja que o casal sagrado, Maria e José, igualmente buscaram refúgio e proteção no Egito ao pequeno JESUS quando da perseguição do rei Herodes que, em língua local, significa DRAGÃO…
Abrão teve que sacrificar sua esposa Sarai ao Faraó em nome de um bem maior… a leitura do Arcano 12, o SACRIFICADO, começa aqui.

Todos os sacrifícios de Abraham foram bem pagos, eles o tornaram o pai da nação eleita, como as estrelas, isto é, pai da casta dos Anjos na Terra…

Mas é no Êxodo 12 que a Páscoa é instituída como LEI perante os hebreus. E ela começa com o sacrifício dos cordeiros, cujo sangue untaria as portas das casas dos hebreus, impedindo a passagem do Anjo da Morte, que vai em busca dos primogênitos do PECADO em cada casa, rua e cidade, em cada nação e instituição, afinal… há que se verter o sentido das Escrituras (Verdade Eterna) em nossa escala de tempo e valores…

Os pães ázimos representam o sacrifício de uma vida sóbria que os escolhidos de Deus tinham que apresentar, necessariamente se desligando dos prazeres do mundo, até porque, não faria sentido alimentar numa mesma alma os desejos e ambições ligados a este mundo e os desejos de um mundo superior, de uma nova realidade e consciência que, sabemos, aqui não poderá mais ser construída, em virtude dos valores assumidos e não mais renunciados pelo sistema de coisas, que só tende a piorar quando Aqueles Dois Emissários do Dragão Vermelho se levantarem, porque são consequência direta do nascimento profetizado do Apocalipse 12…

Gula e Luxúria são os pecados carnais que mais arrastam a humanidade para o abismo, e tudo tende a se tornar culto ao prazer… sacrifícios e penitências eram medidas de cura para a alma… agora se tornam objetos repelidos pelas próprias religiões modernas…obviamente, porque se voce dá alimento à carne (prazer) ela se torna mais forte que a alma, já que o alimento da alma é toda oração, todo jejum, sacrifício assumido (jamais imposto, que carece de todo valor) e penitência que nos esvazia gradualmente do EGO que só procura servir seus próprios interesses, e das taças de prazeres só quer se embriagar… tu o sabes!

Ainda no Êxodo, o povo que foi retirado da escravidão do Egito teve que passar 40 longos de anos de penitência pelo deserto, a necessária purificação e espiritualização antes do ingresso na Canaã celestial.

Muitos reagiam, reclamavam, sentiam falta das regalias do Egito… o paralelo é fácil de compreender… melhor ser escravo do sistema e ter o que comer e beber do que seguir este caminho de perdas e incertezas ao longo de um deserto que leva a Deus… muitos perdem a fé no processo. Mas os fortes de Deus, a tradução real de Israel e israelita, aqueles que lutam contra os problemas e dores, e vencem, estes podem até perder o movimento de uma perna (Jacó manquejando) mas conquistam passar para o outro lado… não é uma etnia específica que celebrará um Filho de Deus como israelita, mas sim o quanto ele tem sido forte e perseverante na luta ao lado de Deus contra as garras do mundo satânico… da simbologia de Jacó veio um dos aspectos importantes da Páscoa, tanto que a palavra significa ao mesmo tempo CORDEIRO DE PÁSCOA, como também mancar, coexar…

Jacó perdeu o movimento de uma das pernas para passar do outro lado… mas e Jesus, que perdeu a própria Vida? Mas as perdas em Deus são transitórias, porque se conquista em dobro do outro lado, a semelhança das provas de Jó… já as perdas sem Deus, estas são permanentes!

Se até o próprio Jesus alertou aos apóstolos à mesa da Última Ceia para que fossem sóbrios em todo o comer e beber, para não anuviar o coração das coisas do espírito, porque razão João o negaria agora?

Páscoa, Passagem de um estado inferior de consciência para um superior, só acontece dentro da Lei do sacrifício. Basta lembrar a lenda de Odin que, dependurado na Árvore da Vida de cabeça para baixo, em estado de sacrifício, começou a contemplar todos os segredos do Universo…

Esta é a Lei do Arcano 12, que diz que todo tipo de sacrifício VOLUNTÁRIO na esfera física e material verterá em todo tipo de ganho e lucro nas esferas espirituais e da consciência, mas o ápice deste sacrifício de perda é realmente a ressurreição, já que aquele que perder a sua alma em meu nome, este a obterá de volta, mas aquele que, no desejo de posse do mundo e dos prazeres da carne, vier a perder a sua alma, este perderá não só a alma, mas todo o resto…

De nada servirá estudar todas as doutrinas e ciências da Terra se todas estas coisas ficarem apenas na mente e na teoria, sem se converterem em ação que visa o melhoramento do homem e do mundo que ele vive. A letra continuará sendo morta, e o espírito que dá vida e consciência reais, ficando cada vez mais longe, como ficou dos fariseus e sacerdotes do tempo de Cristo, doutores da Lei e sábios das Escrituras… mas tudo na teoria… porque na prática, seus corações há tempos já não viviam mais a lei dos sacrifícios que transcendem a matéria e fazem ascender o espírito em graus e graus de consciência.

Este mundo é a prisão material da alma. A liberdade é impossível sem o sacrifício, a renúncia, a penitência.

A lei deste mundo é o ter, o prazer físico, o constante favorecimento do EGO. Inverta-se isso e se terá a Lei do mundo espiritual, onde não há TER porque não há matéria, e onde não há prazer físico, porque não são com corpos mortais e pecaminosos que se vive por lá… e onde não há EGO, porque o AMOR UNIVERSAL é a Grande Lei a reger o TODO, e todos os seres se fazem UM, situação de uma espécie de existência cósmica que reduz toda individualidade egocêntrica para sempre.
Eis a Lei e a Verdade suprema do Cristo cósmico! Lei e Verdade insuportáveis ao ego e seus valores, que para ele soam como extinção!

Vale a pena refletir em tais argumentos.

Não há Êxodo se voce não se sentir escravo e em terra estranha, e se sentir bastante a vontade em uma terra onde o pecado é lei, a transgressão é normal e o dinheiro é a coisa mais importante, e tudo o que ele outorga neste mundo… as mesmas coisas que o Senhor do Amor repeliu no deserto, ofertas de Satã, o Príncipe deste Mundo… e pensar que muitas são as Igrejas que investem exatamente nestes objetivos de riqueza e poder material… caídas que estão nas garras do Inimigo e nem percebem… ou percebem e fingem-se de cegas e surdas em virtude da CONVENIÊNCIA?

Em João 12, referências a Páscoa são igualmente traçadas. João, o apóstolo amado, fez cruzamentos entre os primeiros 22 capítulos dos livros do Gênesis e do Êxodo com os seus 21/22 capítulos de livros escritos no Novo Testamento (Evangelho de João e o Apocalipse) numa espécie de TETRA-CHAVE (o mistério do Quatro, Dalet, a Porta) e todos eles, reflexos dos 22 Arcanos do TARO, procedentes do divino Hermes-Toth, o pai da sabedoria do mundo antigo… formando-se aqui a Verdadeira Estrela da Luz, o Pentagrama da Alta Sabedoria, tendo os 22 arcanos do Taro no vértice e os quatro livros mencionados, com seus iguais 22 capítulos, nos outros quatro vértices (a saber, o Evangelho de João funde dois capítulos, 21 e 22, no capítulo 21, final do seu livro).

Agora entende-se o motivo de ser o Egito o refúgio e o reservatório de viveres da Terra nestas simbologias bíblicas… o alimento do CONHECIMENTO, quando toda a Terra entrar nos SETE ANOS DE GRANDE FOME… o tempo da Tribulação que açoitará o mundo inteiro…A sabedoria de José eram os víveres que a humanidade perdida ali procurava… há que se entender a Bíblia oculta por detrás da Bíblia convencional… à luz do Taro, a Luz da Cabala, a Luz da Astrologia e da Numerologia, etc… ainda que seja com pesar que se constata que muitas vezes os filhos da ignorância e da crença cega considerem todas estas coisas como “satânicas”, e ao mesmo tempo não reparam na própria fornicação e materialismo a reger suas vidas em Nome de um Cristo inexistente e um Deus morto, porque os mesmos seguem doutrinas modificadas que CONVÉM ao seu ego opulento, materialista e escravo dos prazeres… distorcendo o sentido real da Lei em favor das coisas que não querem perder neste velho mundo de Satã…

E quem está disposto a crucificar o velho homem, afinal, sabendo que o velho homem é filho e fruto deste mundo rebelde e sem Deus? Que tem no materialismo e não na Verdade a sua Lei suprema? Imundo mundo e infectada cultura de perversão da raiz aos frutos que, podres, caem por si mesmos em terra sem a necessidade de qualquer castigo divino anexado ao processo?

Em João 12, Jesus ceia com a família que ele amava, com Lázaro, e suas irmãs, aquele seu amigo caro que ele ressuscitara. E ele foi ungido por Maria, irmã de Marta, com seus cabelos e lágrimas, em virtude da aproximação da sua Páscoa 13… onde ele morreria como homem e renasceria como Filho de Deus… e lá estava Judas, personificando o Dragão Vermelho, tentando se opor ao Nascimento de Cristo em Jesus (e quem lê, entenda)… a clara imagem do MATERIALISMO DE JUDAS ali exposta revela a face do Príncipe deste mundo e da sua lei, a lei do dinheiro, a lei do TER que mata a Lei do SER… e Lázaro foi a peça-chave para que muitos cressem no Nome daquele que tem poder para dar a vida (e tirá-la) a toda alma que nele não só crer, mas imitar-lhe em virtude, caridade, pureza, verdade e justiça! E ele, que era o Rei dos Espíritos, se fez pequeno ao entrar na Cidade Sagrada montado em um pequeno jumento… enquanto reis desfilavam em carros puxados por muitos cavalos, e em cortes com séquitos e ornamentos reluzentes ao Sol, feitos de ouro e pedras, e escravos, e todo o resto…

E é nesse capítulo 12 de João que JESUS ANUNCIA A DOURADA LEI DO SACRIFÍCIO, o bilhete azul para a Páscoa do Espírito, para se passar da morte para a imortalidade, e da escravidão à liberdade:

“E Jesus lhes respondeu, dizendo: É chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado.
Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.
Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo odeia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna.
Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará.”
João 12:23-26

Só o grão que morre vem a renascer… nem todos os poderes reunidos e multiplicados da tecnologia podem dar vida eterna e imortalidade, já que este é um atributo do Espírito. O que a ciência e a tecnologia podem fazer neste domínio atualmente é apenas ADIAR A DATA DA MORTE, porque nem mesmo ela cura doenças, apenas as camufla por mais tempo num corpo que segue doente porque a alma ainda está doente… a ciência moderna busca pelo segredo da imortalidade, e há gente muito rica que a financia para esse fim… mas perdem tempo e dinheiro. Só vai renascer quem receber os dons da Água e do Espírito… dinheiro não compra espírito, nem compra vida… é preciso estudar todos estes capítulos cruzados, profundamente, sem crenças, sem preconceitos, mas com olhos abertos e mentes receptivas a verdade… porque chega a hora em que todos os evangelhos, e toda a Bíblia, e todas as doutrinas, se fundirão em uma única Luz, Luz essa que se fará carne e espírito no ventre daquela Mulher consagrada, a antítese da Meretriz que embriaga suas vítimas nas taças do prazer e da corrupção antes de levá-los a morte eterna… há que se compreender a mensagem do número 12 de estrelas, número 12 do capítulo, dos filhos de Jacó, das tribos de Israel, dos 12 apóstolos de Cristo… um círculo eterno se fechará para que outro ainda maior se abra. Netuno, o planeta do sacrifício, passa por Peixes agora, que é o signo 12 e seu domicílio zodiacal… Júpiter, que está dentro do Útero da Virgem celeste, tem um ciclo de 12 anos… e Júpiter é o planeta astrológico de Jesus, relacionado ao Sexto Anjo…

Mas quem exercer a Lei do Sacrifício agora, este poderá tomar parte deste circulo amanhã… deste Ágape dos Imortais, dessa Grande Família crística, Egrégora que se convenciona chamar de Igreja (Eclésia) e a Lei do Sacrifício é a prova do Amor.
Sem amor, impossível se sacrificar por algo ou por alguém… o sacrifício está para o amor como o fruto está para a árvore… o fruto é o sacrifício da árvore. A Vida é o sacrifício do espírito na matéria, e a renovação da vida não poderá vir sem sacrifício, a partir do momento em que constata que chegamos a uma Era onde toda a vida foi vendida à mentira e se encontra escrava sua, em todos os sentidos, níveis, aspectos.

Somente o sacrifício compra o bilhete azul do Êxodo, isso para quem despertou e chegou a conclusão do quanto se é escravo e infeliz neste mundo.

Infelizmente, as pessoas só pensam em ganhar, ter prazer e se dar bem… todos pulam aquela passagem salutar do Evangelho, que diz: se alguém vier depois de mim, que negue a si mesmo e carregue a sua cruz…
Nesse caso, não há Cristo e nem milagre algum no universo que resolvam o dilema eterno do EGO.
Para estas, o sacrifício é incompreensível… e é exatamente ele, e não outra coisa, que as tornam afastadas da religião verdadeira, não essa religião que condiciona fanáticos a crenças egoístas, mas aquela que os liberta justamente de tudo isso. O sacrifício e a renúncia, porém, só espanta os fracos, os covardes e os mentirosos. Funciona mesmo como um FILTRO, ou rede de pesca que seleciona peixe bom de peixe ruim no mar da humanidade.

Chega o Apocalipse 12 no céu… chega o nascimento esperado e a fuga da Mulher para o Deserto… chega o Novo Êxodo, mas ele está reservado aos que já não desejam mais pactuar com este mundo e suas mentiras, enganos e pecados transformados em lei e conduta natural. Amor a este mundo e sistema de coisas é oposição declarada a Cristo. É ruptura com todos os dons prometidos por Ele, quando retornasse. Semelhante atrai semelhante. O que pertence a este mundo, neste mundo ficará até o fim e com ele perecerá, indo de encontro a segunda morte. Mas o que pertence a Cristo, este pagará alegremente os seus tributos de sacrifício e até morrerá em seu nome, se necessário for, entendendo neste ato da cruz a sua própria passagem para a eternidade…

Quem ama não tem medo de sacrifícios.
Quem ama não tem medo de nada.
Só quem não ama é que teme tudo isso.
Quem ama o prazer se acovarda diante da dor e dos problemas.
Quem ama a riqueza dorme suas noites com medo da pobreza.
Amar o prazer é amar a carne mais do que amar a alma.
Amar a carne é amar tudo o que está na esfera temporária da carne, que há de ser pó.

Amar em espírito e verdade é se ligar a tudo o que é eterno e infinito.
E para isso, sacrifício algum é caro demais. Contudo, me transtorna a contradição da humanidade, que é capaz dos mais altos sacrifícios para obter coisas transitórias na vida, coisas da matéria e dos prazeres passageiros, mas é incapaz de se dedicar aos sacrifícios da obra que podem levar a Imortalidade e a Felicidade na Eternidade da Vida Real… e são muitos os que tem declarada VERGONHA de citar o nome de Cristo diante de seus círculos de amigos, conhecidos e familiares… a que ponto chegamos, as pessoas com vergonha de Cristo… sendo que Cristo é que deveria sentir vergonha do estado abjeto em que a humanidade se encontra!

Bem… o Ego é pura contradição. Mas não se pode servir a dois senhores. Um será agradado e o outro, rechaçado. Basta olhar para a vida de todos os santos e ungidos, e iluminados, cheias de perda, perseguição, sofrimento, sacrifício, injúrias, pobreza, enfim, para se entender porque são eles que, hoje e sempre, estão lá nas alturas, transformados em Anjos de luz e velando por nós enquanto nós ainda passamos neste vale de lágrimas em busca da mesma nota de REDENÇÃO que eles conquistaram… porque eles viveram o Evangelho na prática da ação, e não na teoria morta das crenças… apenas isso. E no ato da morte gloriosa, ganharam asas douradas e se transfiguraram em espíritos celestes de grande poder e luz, Filhos de Deus verdadeiros…

Deixo bem estampada a Lei do Sacrifício. Se o sacrifício é necessário para as pequenas coisas do mundo material e humano, por que seria excluído das coisas do mundo espiritual e divino?

Basta olhar para a forma como Cristo chegou ao Pai… pela Cruz… e se ele é o caminho, a verdade e a vida…haverá algum outro caminho?
Não.. .qual é a Via?
O AMOR, via CRUZ!

Afinal… não é o Filho o mais nobre fruto do sacrifício de Amor de uma mãe?
Transfira esse Filho para Deus e calcule o tamanho do Amor dessa Mãe Divina que abre seus braços em Setembro para toda a humanidade..

JP em 05.05.2020

Comentários
Compartilhar