A correspondência entre o recente círculo de neve e a Pedra asteca do Sol

Existe uma relação entre estas duas imagens, pretendida pelo recente snow circle, ou círculo a nee, que apareceu semana passada em uma cidade de Idaho, USA.

As imprecisões do alinhamento se devem ao fato de que não temos imagens reais do círculo, sendo este um diagrama feito por mãos humanas, que deve conter suas imprecisões.

Mas, mesmo assim, conseguimos contemplar a intenção de tornar simétricas as duas imagens, codificando mais mensagens na interpretação deste círculo e seus códigos em analogia com a pedra asteca do Sol.

E a mesma conclusão que cheguei ontem, sobre este círculo de neve, ela é reforçada por mais esta descoberta:

O diagrama exposto mostra claramente um octógono e padrão de estrela, conforme a geometria usada na antiguidade.
Os círculos menores ao redor sugerem realmente uma explosão.
Sendo o Sol uma estrela, pode referir-se também a uma forte explosão solar a frente, com grande emissão de cargas (partículas).
M9SD6L me parecem coordenadas de localização no céu e algum evento importante associado a tal localização.


Anexando então a Pedra asteca do Sol ao modelo do círculo, vemos que os três niveis do círculo coincidem com os três níveis da pedra do Sol, do centro para a borda, e mais, as letras SD praticamente se alinham com a face do deus Sol central, Tonatiuh.

Essa divindade representa o nosso Sol, e na mensagem do calendário asteca ali representado, que é similar do calendário maia, este Sol é o quinto, aquele que, segundo a profecia, terminará no dia:
4-OLLIN, que significa Sol de terremotos (para o final desta quinta era).

Assim sendo, como temos sempre visto nos estudos aqui, fortes ejeções solares, por explosões ou buracos coronais, sempre ecoam na Terra na forma de violentos terremotos.
Se a correspondência prosseguir, a pedra asteca se desvenda aqui:

Fortes eventos solares induzem os fortes eventos na Terra, justificando o porque deste quinto Sol se chamar Sol de Terremotos.
SD na face do Sol: Stardust (porque apareceu nos USA, idioma inglês).

Leia também  O Código Lazarus no crop circle da Borboleta

Ou simplesmente SD possa significar SUN DAY, o dia do Sol.
O Grande e temido dia do Sol que possa até mesmo extinguir toda a vida na Terra, como os cientistas já alertaram em termos de possibilidades reais?
SD bem na face do deus Sol asteca não me parece um golpe do acaso, mas parte vital da mensagem.

Aliás, nosso Sol é da categoria G2V (o número 6 que parece a letra G na mensagem).

E na Cabala, o número de ordem do Sol ou sefirá solar (Tiphereth) é justamente 6 (seis).

E vemos claramente o Sol central ejetando partículas grandes e pequenas ao redor, nos três níveis circulares que o cercam.

Como a pedra asteca é um completo diagrama do nosso universo, com o Sol no centro, as órbitas planetárias ao redor e os braços da Galáxia representados pelas duas serpentes de fogo nas bordas (as Xiahcuttli), então a interpretação aqui também se refere a eventos de importância no Sol em breve, e que terão poder para lançar todas estas partículas energizadas, cuja energia total (incluindo a gravidade gerada) tem poder para ativar o núcleo da Terra em eventos paralelos, ressonantes.

Essa mensagem do círculo de neve pode ter um contexto de curto e longo prazo.
A curto prazo, eventos solares importantes podem estar chegando.

Já perdi as contas de quantos crops circles eu interpretei na forma de eventos cósmicos que realmente se confirmaram nos dias e semanas seguintes.

Não creio seja diferente aqui.
Seguimos acompanhando.

Mas já dá para entender qual será a fonte dos poderosos terremotos profetizados pelo calendário asteca e maia na finalização da quinta era: não serão somente alinhamentos ou o objeto P 7X.

Mas principalmente, será o Sol, que também é afetado de forma sobremaneira por todos estes alinhamentos e por este objeto em particular, se aproximando dele a cada dia.

Leia também  Terremoto 8.0 graus no Peru anunciado pelo crop circle?

Do Sol vem o começo, o fim e o recomeço.
Isso conforme a sabedoria antiga.
E nada que a ciência possa negar.

Afinal, donde é que vem tudo o que se sustenta nesse sistema solar senão que do seu centro vital, o Sol?

Veja a matéria original:

JP em 14.02.2021

Comentários
Compartilhar