Espiritualidade

Reflexão sobre a Hipocrisia na era do politicamente correto

 

 

 

 

Entre as opiniões “politicamente corretas” que atualmente se usam para agradar o público e aparecer bem na fita, e a identidade real de cada um na vida prática, mostrando suas verdadeiras reações diante das situações, quando elas saem dos fóruns de debate e alcançam a vida real de cada qual, existe uma lacuna chamada Hipocrisia.

Pessoas que louvam certas coisas de terceiros em público, mas que condenam estas mesmas coisas quando elas acontecem na sua casa, na sua família.
Resumindo: faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço!

Atualmente, na era digital e dos relacionamentos se tornando mais virtuais do que reais, existe um hábito que se implanta rapidamente: a identidade digital, e a coisa mais fácil é instrumentalizar o ego com todo tipo de máscara construída e atirada em plataformas como o facebook, que não revelam exatamente quem a pessoa realmente é, talvez quem ela gostaria de ser. Então, quando conhecemos a pessoa na vida real, nos parecerá ser outra pessoa e não aquela transfigurada das mídias sociais…

Eu sempre me pergunto: o que será de egos assim, digitalmente fabricados, quando, por razões várias, terminarem para sempre os universos da Internet? O que farão para suplantar o vício de reprogramar todos os dias a sua múltipla identidade digital?

Está cada vez mais difícil encontrar pessoas realmente legitimas na era do “politicamente correto”, que reagem na vida prática da mesma forma como opinam livremente diante do público.

Assim como crianças, que são diretas e francas nas suas posições: quero ou não quero, gosto ou não gosto, sem a necessidade de tecer longos discursos politicamente corretos para agradar ou impressionar o interlocutor.

Particularmente, eu admiro essas pessoas.

Sinceridade que não se importa em riscar a fina vidraça da vaidade intelectual exposta em mídias sociais.

Ausência de máscaras. Claridade interior que brilha nas palavras. Franqueza e caráter. Unidade de pensamento que não procura se construir tentando agradar a opinião alheia e seguir tendências culturais ou pensamentos massificados, para satisfazer a “onda” do momento.

Antes, pessoas que constroem a sua identidade de acordo com a sua consciência interior ainda que isso colida de frente com a opinião da massa doutrinada e condicionada!
Pessoas a quem eu atribuo grande coragem!

Almas de diamante em um mundo coberto de cinzas… pessoas VERDADEIRAS, em todos os alcances do termo.

(Hipocrisia é o ato de fingir ter crenças, virtudes, ideias e sentimentos que a pessoa na verdade não possui, frequentemente exigindo que os outros se comportem dentro de certos parâmetros de conduta moral que a própria pessoa extrapola ou deixa de adotar. Wikipédia)

 

JP em 01.10.2019

Comentários
Botão Voltar ao topo