Os três sinais astronômicos do Apocalipse sinalizando que a grande colheita está próxima!

Três grandes sinais aparecem em sequência, anunciando os grandes eventos sobre a Terra, os quais, alinhados de forma muito precisa com as profecias do Apocalipse, puderam ser constatados por todos nós, e o terceiro sinal ainda não se completou: ele se completa em janeiro de 2021.

Vamos a eles.

Dia 23 de setembro de 2017, o grande arranjo planetário e estelar nas constelações de Leão e Virgem, compondo a imagem de forma precisa do Apocalipse 12, a Mulher coroada por 12 estrelas, vestida de Sol e com a Lua aos pés. Outro sinal formidável lhe seguiria, o surgimento de um dragão vermelho no céu, que arrebatou parte das estrelas do céu com sua cauda e as atirou na Terra.

Um poderoso eclipse solar, em 21 de agosto de 2017, precedeu o grande sinal do Apocalipse 12, com eventos acontecendo em todo o mundo.

O dragão vermelho, no contexto astronômico, é o mesmo objeto P 7X da atualidade, sistema Nêmesis, estrela vermelha (anã), a mesma red kachina ou estrela vermelha da purificação da Terra, conforme os mitos dos índios Hopi. A mesma estrela da amargura, Absintho, ao toque da terceira trombeta, e a mesma estrela que cai no céu na Terra e abre o poço do abismo, conforme o Apocalipse 9. O planeta-cometa, dotado de enorme cauda, e a cauda (efeito gravitacional) já vem derrubando muitas “estrelas” (asteroides) pelo seu caminho.

Tudo isso temos constatado, e tudo veio depois de SETE LUAS DE SANGUE, entre 2014 e 2019, algumas destas luas acontecendo na Páscoa, reforçando seu caráter de mau agouro.

Porque Cristo também foi crucificado numa lua de sangue.

Este foi o primeiro sinal, em 2017.
E logo, outro sinal importante aconteceria em 2018: a entrada do planeta Urano no signo de Touro, signo da Terra, Gaia, o que aceleraria todas as transformações planetárias.

Israel flag with a view of old city Jerusalem and the KOTEL- Western wall

Esse segundo sinal se alinhou precisamente com a “profecia da figueira” (Israel), ou a Nova Israel, completando 70 anos (uma geração, nas contagens bíblicas) em 14 de maio de 2018, desde quando os judeus receberam ordem para voltar para sua terra natal desde os tempos da dispersão.

Neste mesmo dia, Urano entrava no signo da Terra, que é Touro, e em sete anos a seguir, aceleraria todas as transformações planetárias já em curso desde Nostradamus (1999) e o fechamento do Calendário maia (2012).

Jesus disse que NÃO PASSARIA UMA GERAÇÃO (de 70 anos) sem que todas as suas palavras fossem confirmadas (Mateus 24). Parte da profecia foi local (Israel 70 dC) e parte será global (Israel 2018), aliás, como funciona toda profecia local bíblica, com extensão para se tornar global no futuro.

O Apocalipse é a matriz profética que norteia todos os últimos acontecimentos do velho mundo em nossa época, e os primeiros do novo mundo no futuro.

Em 2000 anos, nem Israel e nem o mundo mudaram. O karma coletivo aumentou, e a oportunidade dada por Cristo se restringiu a poucos. E a colheita se aproxima. A figueira completou 70 anos, e uma forte ventania soprará sobre ela, derrubando seus figos ainda verdes.

Reparem no estado de coisas no mundo desde 2017 e 2018, acelerando muito as premissas proféticas de Nostradamus (1999) e o calendário maia (2000), até para os mais incrédulos.

Marte, Júpiter e Saturno reunidos no começo de 2020

Por fim, veio o terceiro grande sinal, e ainda estamos dentro dele.
A reunião planetária de Marte-Júpiter-Saturno.

Inclusive, foi analisando esta rara reunião planetária (os três planetas Marte, Júpiter e Saturno, aqueles que correspondem aos três últimos Anjos das três últimas trombetas do Apocalipse) que o jovem e talentoso astrólogo indiano, Abhigya Anand, fez suas análises e chegou à conclusão de que este encontro produziria fortes tensões no mundo, disparando uma grande pandemia em 2020.
Isso ele anunciou em 2019, e disse que haveria um retrocesso em setembro, e que a pandemia voltaria com força total em dezembro de 2020, e pior do que antes.
Isso temos constatado como fato.

Pois bem, essa reunião começou a funcionar, dentro do terceiro grande sinal, encadeado a todos os anteriores, a partir de fevereiro desse ano de 2020, quando a pandemia começou, saindo da China e alcançando outros países. No Brasi, o primeiro caso foi detectado em 26 de fevereiro, em um italiano.

“Saturno e Plutão começaram a ficar alinhados no céu no dia 8 de novembro. No dia 19 de fevereiro de 2020, outro astro se juntou a este alinhamento: Júpiter. Já no dia 8 de março de 2020, Marte chegou para fechar esta grande conjunção rara em Capricórnio.”

(Estes quatro planetas, simbolicamente, representaram os quatro cavaleiros do Apocalipse, veja postagem extra no final)

Os três planetas que representam os três últimos Anjos tocando trombetas, reunidos em Capricórnio.
E o ano de 2020 se arrastaria “pesado”. Isso já tinha sido notificado pela Astrologia.

Leia também  AYAHUASCA

Depois de algum tempo, Marte se moveu para frente, seguindo para os signos de Peixes e Áries, onde se encontra atualmente, enquanto Júpiter se aproximava de Saturno para o grande alinhamento do dia 21 de dezembro de 2020. Marte se moverá para Touro em Janeiro de 2021, e fará conjunção com Urano, e Urano, em agosto de 2021, alcançará a metade do signo de Touro, a simbólica metade dos sete anos de seu trânsito sobre qualquer signo (84 anos/ 12 = 7 anos), quando então isso representará a mudança de curva dos sete anos “finais” ou derradeiros, que justificam que o arrebatamento venha antes da tribulação por todos estes sinais anunciada.

E está no Apocalipse 14 o registro de tudo isso.
O Apocalipse 14 fala essencialmente da separação do joio e do trigo e do arrebatamento acontecendo antes do início das grandes dores… e esses eventos teriam os seus sinais astronômicos relacionados.
E estes sinais astronômicos começaram com a reunião planetária de fevereiro de 2020, e se concretizam no avanço de Urano a meio caminho de Touro em agosto de 2021.

Vamos aos detalhes do Apocalipse 14.

“E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham escrito o nome de seu Pai.”
Apocalipse 14:1

Aqui começa a conclusão da Grande Colheita, de trás para frente (porque a colheita é anunciada nos versículos 14 e 15. A linha do tempo do Apocalipse não é uma linha do tempo rígida.

A grande reunião acontece simbolicamente no Monte Sion, não o monte literal de Israel (interpretar o Apocalipse de forma literal é loucura) porém, a chave está no significado da palavra SION:
SION = MARCO, POSTE, COLUNA, SINAL
(o que nos traz ao mistério atual dos monolitos).

Aliás, o termo COLUNA por sinal é comum de aparecer em passagens bíblicas.
A profecia de Isaías 19: 19-20 fala que Deus mndaria erigir uma grande coluna no meio da Terra do Egito (ou a Babilônia moderna) sinalizando com isso a chegada de dois agentes de salvação para o seu povo oprimido na Terra do Egito, analogia com os tempos da escravidão do povo hebreu e do envio de Moisés e Aarão para libertá-los.

Você sabia que, em numerosas passagens, colunas eretas de pedra eram usadas com marco, sinal ou testemunho de grandes eventos na Terra, geralmente eventos onde a intercessão divina acontecia?

Nem todos os monolitos são obra misteriosa, alguns são humanos.Mas uma minoria deles. Monolitos na atualidade está cumprindo o mesmo papel que cumpriam no passado, conforme as escrituras, que é o de sinalizar UM GRANDE EVENTO GLOBAL A FRENTE.

Em seguida, três Anjos aparecem, anunciando um evangelho eterno e alertas para toda a humanidade, especialmente em relação ao programa da Besta ou Anticristo.

Esses três Anjos correspondem aos três planetas Marte, Júpiter e Saturno, cujos Anjos, na correspondência com a astrologia clássica (praticada nos tempos de Joao Evangelista) então tocariam suas trombetas finais como alertas e preparação antes do grande evento.

Em termos astrológicos, isso começou com o agrupamento Marte-Jupiter-Saturno em março de 2020.
Avalie o ano de 2020 e tire suas próprias conclusões…

Esses alertas subentendem a separação rápida do joio e do trigo.
Porque, no final do Apocalipse 14, aparecem os seres responsáveis pela colheita (ou arrebatamento) antes da grande tribulação.

E a Grande conjunção, que veio em 21.12.2020, Júpiter e Saturno, foi anunciada aqui:

“E olhei, e eis uma nuvem branca, e assentado sobre a nuvem um semelhante ao Filho do homem, que tinha sobre a sua cabeça uma coroa de ouro, e na sua mão uma foice aguda.
E outro anjo saiu do templo, clamando com grande voz ao que estava assentado sobre a nuvem: Lança a tua foice, e sega; a hora de segar te é vinda, porque já a seara da terra está madura.
E aquele que estava assentado sobre a nuvem meteu a sua foice à terra, e a terra foi segada.”Apocalipse 14:14-16

Leia também  Reflexões do fim

Dois espíritos se encontram no céu. Um Anjo do Templo e o Filho do Homem (Cristo) sobre a nuvem.
Astrologicamente falando, o Anjo da Foice é Saturno, o Tempo, o Karma, enquanto Cristo, o Filho do homem, se relaciona a Júpiter, Pai dos deuses, Io-Pitar, nome paralelo a YHWH. IO-PATAR, Pai IO, Pai IHVH!

O grande sinal de 21.12.2020, Júpiter e Saturno, configurado por Estrela de Belém por se alinhar com o evento de 7 aC (nascimento de Cristo) e 1226 (o início da revolução franciscana da Igreja Católica) anuncia agora que esse tempo da colheita do Filho do Homem (Jupiter), amparado pelo Anjo do tempo (saturno) vai começar.
Porque a seara da terra está madura! O trigo está maduro, os 144 mil do início do capítulo 14, reunidos sobre o monte SION, nome que significa MARCO, SINAL, COLUNA… monolitos?

E o Apocalipse 14 termina com o destino do joio asssinalado.
Porque a maldade humana também está madura!

“E saiu do templo, que está no céu, outro anjo, o qual também tinha uma foice aguda.
E saiu do altar outro anjo, que tinha poder sobre o fogo, e clamou com grande voz ao que tinha a foice aguda, dizendo: Lança a tua foice aguda, e vindima os cachos da vinha da terra, porque já as suas uvas estão maduras.
E o anjo lançou a sua foice à terra e vindimou as uvas da vinha da terra, e atirou-as no grande lagar da ira de Deus.”
Apocalipse 14:17-19

Essa sequência assim analisada do Apocalipse 14 demonstra duas teorias bíblicas:

O Arrebatamento será antes da Grande Tribulação
O Arrebatamento será próximo da metade dos sete anos finais a contar dos 70 anos de Israel (2018) o que localiza nos 3.5 anos finais aquele tempo de maiores dores previsto.

Após a Grande Colheita do Filho do Homem (Jesus, associado ao planeta Júpiter) indicada pelo Anjo do tempo, da foice (Saturno), no sinal raro de 21.12.2020, virão outros dois espíritos, desta vez, aplicados para a colheita do joio, ou da maldade humana, no caso, representado por cachos de uvas, também maduras.
E se está maduro, é hora de colher.

O Anjo do fogo é Marte, e o Anjo com a foice, Saturno, outra vez.
O mesmo Saturno que indicou ao Filho do homem a colheita do trigo, agora aparece diante do Anjo do fogo, Marte, para indicar a colheita do joio, ou das uvas da maldade humana sobre a Terra.

E Marte se alinha com Urano (que simboliza o Oitavo Anjo, aquele que oficia no Templo e entregou as sete trombetas para que os sete Anjos as fizessem soar no devido tempo, isso consta no Apocalipse 8).

Esse encontro será em janeiro de 2021.
Mas os três últimos Anjos, Marte, Júpiter e Saturno, já se reuniram em março de 2020, o que já mudou de imediato a tônica deste ano, diante de todos nós.

“E olhei, e ouvi uma águia voar pelo meio do céu, dizendo com grande voz: Ai! ai! ai! dos que habitam sobre a terra! por causa das outras vozes das trombetas dos três anjos que hão de ainda tocar.”
Apocalipse 8:13

Os três últimos ais da Águia são estes toques das três trombetas finais, que começaram a soar, do ponto de vista astrológico, em março de 2020, e terminam em janeiro de 2021.

As profecias do Apocalipse são baseadas em Astrologia pura.
E o mais incrível, todos os prognósticos astrológicos indicados por João (a Águia do Evangelho) há 2000 anos, estão acontecendo com precisão matemática desde 2017.

O Zodíaco, desde os relatos do quarto dia do Gênesis, sempre funcionou como a tela dos marcadores de um grande relógio cósmico, cujos marcadores são os planetas.

E quando esses planetas se alinham conforme as definições proféticas anteriores, tudo o que foi anunciado acontecerá, sem que a humanidade possa fazer coisa alguma a respeito.
O que ela poderia fazer, que é se adaptar à Vontade do Criador, isso ela não faz.
Por isso, tanto sofrimento, como sempre, causado por tanta ignorância…

Vigiai e orai
Vigiar é despertar
E orar é atrair o Socorro de Deus.
Porque não haverá outro.

JP em 28.12.2020

Comentários
Compartilhar