O Significado de Subir colinas no novo Êxodo cristão

O Significado de Subir colinas no novo Êxodo cristão

Jesus fala para correr para as colinas, quando chegasse os tempos do fim.
Mas se isso não fosse simbolismo, que sentido ou que planode fuga seria subir uma colina?
Faz diferença estar numa colina ou na superfície diante das pragas mencionadas?
Terremotos, calor, doenças, asteroides?

E as guerras? E a poluição? E a contaminação 5G? E a Nova Ordem Mundial, pegando a todos, selando e marcando a todos, das cidades e dos campos, das planícies e das montanhas?

Que salvação haverá por subir uma colina?

Isso não faz nenhum sentido, se for interpretado literalmente, e por isso, trata-se de uma parábola, aliás, como quase tudo o que Jesus ensinou.

Parece incrível ter que descrever tudo isso, mas é que ainda tem muita gente interpretando tudo literalmente até os nossos dias, mesmo Jesus dizendo tudo em parábolas e enigmas.

Isso torna o meu trabalho um pouco desgastante, e a leitura mais extensa. Mas é necessário.

Subir colinas é mudar vibrações, alterar frequências e, literalmente, mudar de plano, de coordenada, entrar em dimensões paralelas muito além da materialidade onde o homem comum mortal 3D se move, onde os próprios Espíritos (Anjos) a serviço de Deus se movem, e podem nos ajudar.

Interpretar as Escrituras ao pé da letra (letra morta) é perder a essência de sua sabedoria.

Simbolismos fazem parte dessa sabedoria bíblica, do Gênesis ao Apocalipse.
E se o Gênesis, devidamente interpretado, é um precioso manuscrito de Cosmologia pura, o Apocalipse revela não só os sintomas do fim, como também expõe em detalhes o manual de sobrevivência dos últimos dias.

Se fosse literal, haveria já uma contradição entre o evangelho de Mateus (que fala para subir colinas nos últimos dias) e o Apocalipse (que fala para a mulher fugir para um deserto, e não para uma colina, quando o Dragão Vermelho, que tem relação direta com o Ídolo da Abominação previsto por Daniel e mencionado por Jesus na orientação de “subir colinas”, passa a perseguir aquela mulher).

Interpretar a Bíblia literalmente significa crer realmente que Deus expulsou toda a humanidade da Graça divina só porque ela comeu uma frutinha muito saborosa no pé porém proibida! (???) enganada por uma cobra que falava.

Se todo o pecado do homem fosse comer uma fruta muito saborosa, como uma cereja, um pêssego, uma uva…
Não sejamos tão ingênuos assim.

Mas vamos aos elementos da ascensão (colina)
Exemplos?
Sáo vários na Bíblia, Velho e Novo Testamento.
Vou começar com um exemplo muito especial: Moisés subindo o Monte Sinai para encontrar a Deus.
Leia a seguinte passagem:

“E disse o Senhor a Moisés: Eis que eu virei a ti numa nuvem espessa, para que o povo ouça, falando eu contigo, e para que também te creiam eternamente. Porque Moisés tinha anunciado as palavras do seu povo ao Senhor.
Disse também o Senhor a Moisés: Vai ao povo, e santifica-os hoje e amanhã, e lavem eles as suas roupas,
E estejam prontos para o terceiro dia; porquanto no terceiro dia o Senhor descerá diante dos olhos de todo o povo sobre o monte Sinai.
E marcarás limites ao povo em redor, dizendo: Guardai-vos, não subais ao monte, nem toqueis o seu termo; todo aquele que tocar o monte, certamente morrerá.”

Êxodo 19:9-12

Aqui começam as preparações para a subida de Moisés ao Sinai, quando se encontraria com o Espírito de Deus (na pessoa do Anjo de Deus, sempre relatado no Velho Testamento) para receber os dez mandamentos, a nova constituição civil e espiritual que guiaria Israel, enquanto nação recém-libertada do Egito.

O povo precisou passar por uma grande purificação, em três dias.
E ninguém poderia tocar no monte, pois morreria. Era como tocar na Arca da Aliança.
Não é que a energia de Deus é maligna, pelo contrário, é elevada demais para o povo mortal suportar.

O único que estava ali habilitado para o contato com o Anjo porta-voz de Deus (Miguel, conforme a Cabala Secreta) era Moisés.
A energia da presença divina no monte era alta demais para o povo.
Tocar o monte e morrer significa ser desintegrado por uma energia elevada demais para a vibração baixa do ser humano comum, mortal e pecador.
Dito isto, prossigamos.

“E disse ao povo: Estai prontos ao terceiro dia; e não vos chegueis a mulher.”
Êxodo 19:15

Atos carnais, baseados em instintos, são elementos que tornam densa a psique.
Por isso a castidade e o jejum era regra de muitos santos e profetas em preparação para visões e contatos com Deus. Uma coisa cada vez mais impraticável na nossa era, a era do prazer.

E aconteceu que, ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um sonido de trombeta mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial.
E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte.
E todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia grandemente.
E o sonido da trombeta ia crescendo cada vez mais; Moisés falava, e Deus lhe respondia em voz alta.
E, descendo o Senhor sobre o monte Sinai, sobre o cume do monte, chamou o Senhor a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu.
E disse o Senhor a Moisés: Desce, adverte ao povo que não traspasse o termo para ver o Senhor, para que muitos deles não pereçam.”
Êxodo 19:16-21

Essa é a passagem central do tema.
Conforme Moisés subia o monte, o Espírito de Deus descia até Ele. Mas nada é literal aqui.

Moisés até subiu o monte Sinai, uma montanha real do deserto, mas o que lemos é a transposição de Moisés para uma dimensão superior! A trombeta ia soando cada vez mais forte, e isso significa que a vibração de toda a montanha começou a se elevar de tal forma que Moisés passou para a quarta dimensão, onde encontrou o Anjo de Deus e recebeu as leis do Criador!

Fogo, chamas brilhantes, nuvens envolvendo o espírito de Deus, como se a matéria começasse a mudar de forma, de densidade, de estado, e se sutilizando, como um véu que se rompe e revelando cada vez mais a presença invisível na matéria densa deixada para trás…tudo ao som ascendente da trombeta (frequências mudando os estados da matéria, em conceitos facilmente ajustáveis às teorias da Física Moderna).

Coisa semelhante se deu com Jesus, quando subiu o monte e se transfigurou em Sol, diante dos apóstolos assustados.

E ali, viram ao lado de Cristo, Moisés e Elias, os dois profetas que, antes de Cristo, passaram pela mesma experiência – tanto que Elias subiu num carro de fogo aos céus.
O que ecoa também na visão e experiência do profeta Ezequiel, que teve contato com o Espírito de Deus em sua carruagem celeste, a Merkabah, o que faz muita gente pensar apenas em termos de contato ufológico, do tipo tecnológico.

Mas é muito mais do que isso.
O espírito de Deus foi modificando a vibração de toda a montanha, de modo que Moisés, Elias, Ezequiel e o próprio Cristo subiram, ascenderam, a uma dimensão superior, onde a realidade espiritual se lhes revelou.
O som da trombeta crescendo é a chave do entendimento central do “milagre” aqui.

O monte Sinai
(Horeb em hebraico, que significa, entre outras coisas, DESERTO!)
Então, na verdade, o monte é um deserto, sentido de afastamento dos homens, purificação e preparação para alcançar as realidades do espírito divino, ocultas para o homem comum em vibração baixa!

O mesmo deserto onde aqueles três homens, Moisés, Elias e Jesus, se purificaram antes de seus ministérios.
Por isso, é dito que Moisés e Elias serão as duas testemunhas de Cristo no fim, porque experimentaram a presença de Deus de uma forma direta.

Deserto, o lugar para onde a Mulher do Apocalipse 12 foge.
E o lugar de refúgio deixou de ser uma colina, um monte.
Porque seu sentido combina ascensão (montanha) com purificação e preparação (deserto).

Outro detalhe. Sinai se escreve SINI (hebraico), e seu valor cabalistico é 130, o mesmo número e valor da palavra hebraica Selam (SLM), que significa ESCADA… ascensão, e isso nos leva a visão de Jaco e a escadaria dos Anjos.
Todas as peças se encaixam quando interpretamos a sabedoria sagrada não pela ótica da razão intelectual ou letra morta, mas pelo conhecimento inspirado do Espírito redator das Escrituras.

Quando então todas as contradições cessam, todas as peças se encaixam e tudo revela seu sentido mais claro e puro!

Vamos terminar com o roteiro dos 144 mil eleitos de Cristo, que foram arrebatados e reunidos no alto do monte Sião, antes de sua ascensão aos céus (o Santuário do céu, Vênus – Eu Sou a Estrela reluzente da Manhã!)

Logicamente que os 144 mil não serão levados literalmente para o alto do monte Sião em Israel (embora isso defendam os seguidores da letra morta e suas interpretações literais).
Outra vez, estamos diante de simbolismos, que começam pelo significado do nome Sião, ou Zion, do hebraico TsiON, que vale 156 (soma 12), e significa marco, coluna.
Algo que servirá de marco de reconhecimento para a grande reunião dos filhos de Deus.

Só pode existir um símbolo e um nome que represente um marco ou sinal de reconhecimento para eles, os 144 mil que se reúnem no alto do monte: a Cruz e o nome de Cristo.
Tanto que o Apocalipse 14 expressa que o nome e o selo de Deus será escrito nas testas deles.

Vejam como as coisas se encaixam.
A reunião no monte Sião é a ascensão e reunião num plano dimensional superior, fora deste mundo.
Porque, na era das armas tecnologicas e do rastreio digital, que lugar haverá neste mundo fisico que o Dragão Vermelho ou Anticristo não encontre?

No tempo de Cristo, os cristãos se escondiam em cavernas, e mesmo assim, os romanos os encontravam e os matavam.
Mas que colina, caverna, montanha, buraco, bunker ou ilha um grupo de 144 mil pessoas pode se esconder que os Olhos do Dragão não encontrem, com tanta tecnologia?

Até porque aquela mulher que fugiu para o deserto ganhou asas e voou para lá.
E se esse argumento não for suficiente para demonstrar que esse refúgio é um ponto fora deste mundo, numa dimensão superior totalmente protegida, e que foi alcançada pelas asas simbólicas da Mulher… nenhum outro convencerá os defensores da interpretação literal.

E teremos realmente que esperar ver os crentes voando com asas acima das nuvens, como muitos acreditam que será, para algum deserto no meio do Egito, Arábia ou Jordânia….

Tudo no Apocalipse é simbólico, quase nada é literal.
As medidas 144 estão também em Jerusalém que desceu do céu e no próprio Anjo medidor.

E 144 é o dobro de 72, que são os ângulos do pentagrama divino.
A estrela que, para os crentes, é totalmente satânica, mesmo que essa estrela represente Vênus e Jesus tenha se auto-denominado Eu Sou a Estrela resplandecente da manhã.

Mesmo que Vênus seja o mencionado Tabernáculo e Santuário do céu no Apocalipse..

São coisas muito difíceis de serem assimiladas por mentes emparedadas em crenças.
Eles foram educados a rechaçar no automático do cérebro qualquer ideia que contrarie suas crenças.
E não há força que abra as cabeças dos fanáticos.

Eu já tentei muitas vezes, mas cai em vãos debates, armadilhas que só nos desgastam a nossa energia.
Por isso, sempre que posso, evito tais debates. Porque são inúteis.
E não há mais tempo a ser perdido com debates inúteis.

A consciência desperta é um fato concreto, e não uma crença formada em Igreja.
Ela é que dará asas de águia para todo aquele chamado a Grande Reunião fora deste mundo, no deserto que nos haverá de preparar para a ascensão final antes do Shabat da Terra.

E ninguém se preocupe aqui, achando que é preciso ser um erudito da ciência divina para encontrar a porta da salvação. Você só precisa de pureza, humildade, fé e o valor das boas obras.
Porque todas estas coisas estão escritas não na Bíblia, mas na mente do espírito de Deus dentro de nós.
E se Moisés, Elias e Cristo precisaram repetir todas estas coisas para a humanidade, é porque a humanidade dormiu e se esqueceu de tudo isso.

Basta acordar e o espírito de Deus dentro de ti é que lhe ensinará tudo de novo.
Sem a necessidade de pastores, padres e intérpretes entre você e a compreensão direta da Verdade na sua fonte.

Se a Verdade não transformar o homem, o homem não poderá compreender e seguir a Voz da Verdade em todo esse tempo em que ela falou entre nós.

JP em 31.10.2020

Comentários
Compartilhar