O homem primitivo que ainda vive dentro do homem moderno

Coronavírus: neandertais e pacientes graves de covid-19 têm gene ‘quase idêntico’
Novo estudo afirma que alto fator genético em pessoas gravemente doentes com covid-19 pode vir de neandertais.

Essa pesquisa demonstra como a humanidade ainda está profundamente atada às suas origens primatas, primárias, primitivas… a evolução não nos modificou por inteiro. Ainda carregamos as raízes dos ancestrais primitivos em nossa identidade, suas habilidades e suas fraquezas…

Ainda que a humanidade pense que está evoluindo, o grande paradoxo é que ainda estamos atrelados aos nossos ancestrais primitivos, pelo menos geneticamente falando.

E muitas das nossas doenças modernas, e não só doenças, como também debilidades morais e fraquezas espirituais, podem proceder dessa herança primitiva ainda não transcendida ou transformada em nossa identidade moderna, por uma simples questão de transmissão hereditária de pai para filho ao longo de incontáveis séculos dentro da Roda dos renascimentos…

Espiritualidade implica em tudo, e conforme transformamos a energia da alma atualmente encarnada, essa energia vai, por si mesma, modificando e transformando até mesmo nossas heranças genéticas mais profundamente enraizadas no nosso passado evolucionário, de modo que a libertação da Roda implica num conjunto de fatores coordenados, ou seja, a porção psíquica do presente mudando suas assinaturas ancestrais e seus vínculos com a própria origem do homem inferior, o que se faz necessário na busca do homem superior, acessível para todos através da experiência do segundo nascimento, que transcenderá sangue e DNA porque implanta energia mental renovada, não mais reciclada dos costumes herdados e da nossa identidade ainda atrelada ao que chamamos de Inconsciente Coletivo, onde o Homem de Neandertal ainda vive… dentro de cada Homo Sapiens!

Isso tudo demonstra que a evolução não aperfeiçoa totalmente o ser humano, e que certos traços ancestrais continuarão viajando em nossa identidade genética, por mais que a roda do tempo gire, por milhares de voltas… essa “correção” genética é exatamente aquela parte que a evolução do tempo não faz por nós, mas nós mesmos, através de uma operação consciente que, começando no autoconhecimento, culmina na descoberta de todos os potenciais espirituais ocultos na natureza humana que, manifestados, nos conduzem no renascimento pleno do ser por inteiro, corpo e mente, DNA e valores psíquicos, nos transformando finalmente em um novo ser de Deus nascido e renascido, além de qualquer evolução por fator temporário.

Milhares de anos se passaram e a Evolução não removeu a identidade primitiva e primata da identidade humana moderna. Porque essa parte é a parte que nos cabe. Não à evolução ou à Natureza. Mas ao autoconhecimento que conduz ao segundo nascimento (em vida).

JP em 14.10.2020

Comentários
Compartilhar