O Cometa dos gêmeos – uma profecia hopi se cumprindo?

Uma antiga profecia dos índios Hopi diz que, “Quando a Estrela Azul Kachina fizer sua aparição no céu, O Quinto Mundo surgirá”. Este será o Dia da Purificação.
Ela virá quando Saquasohuh (Estrela Azul) Kachina dançar na praça e remover sua máscara.

Nos dias finais, olharemos para cima, para nossos céus e testemunharemos o retorno dos dois irmãos que ajudaram a criar esse mundo, no tempo do nascimento. Poganghoya é o Guardião do Polo Norte e seu Irmão Palongawhoya é o Guardião do Polo Sul. Nos dias finais, a Estrela Azul Kachina virá ficar com seus primos e eles retornarão a Terra para a sua rotação natural, que é do oeste para o leste.

Os gêmeos serão vistos nos céus do Noroeste. Eles virão para ver quem ainda se lembra dos ensinamentos originais, voando em suas Patuwvotas, ou escudos voadores. Eles trarão consigo muitos da sua família das estrelas nos dias finais.

O retorno da Estrela Azul Kachina, que também é conhecida como Nan Ga Sohu, será o alarme que nos avisará da chegada de um novo dia, uma nova forma de vida, um novo mundo. É quando as mudanças começarão. Elas começarão como fogo que arde dentro de nós, e seremos queimados por desejos e conflitos se não nos lembrarmos dos ensinamentos originais, e retornarmos para um modo de vida pacífico.

Não muito atrás dos gêmeos, virá o Purificador, a Kachina Vermelha, que trará o dia da purificação. Neste dia, a terra, suas criaturas e toda a vida que conhecemos, mudarão para sempre. Haverão mensageiros que precederão a vinda desse Purificador. Eles deixarão mensagens para aqueles na Terra que se lembram dos antigos caminhos.
(Ciclo de profecias hopi)


A Estrela Azul kachina é o maior mistério da profecia hopi, ela consta como o último sinal profético de uma série de nove sinais dos tempos do fim e da renovação posterior.
Isso da estrela remover sua máscara e dançar na praça é uma metáfora para a revelação das coisas nos últimos dias, aliás, como é o sentido da palavra grega Apocalipse = Revelação.
As mesmas profecias hopi falam do retorno do grande Pahana, o irmão branco das estrelas.
Menciona os escudos voadores (discos voadores) de uma forma muito clara, pontuando, como diversas outras culturas, o retorno dos deuses no final do grande ciclo.

Temos realmente um sentido maior de revelação extraterrestre aqui.
Patuwvotas, ou escudos voadores são, evidentemente, os UFOs se manifestando em todas as partes do mundo no final do grande ciclo, e todos os mitos pré-colombianos falam dessas entidades das estrelas, centralizando tudo no grande Pahana, Irmão Branco das estrelas, alinhados com as divindades venusianas que visitaram as Américas muito antes de Colombo, não em barcos, mas em Naves do céu…

Os Gêmeos
Relações com alteração do sentido de rotação terrestre são apontadas.
O que produz uma conexão com os eventos de perturbação planetária típicos de toda transição de grande ciclo.
Em termos proféticos, esses gêmeos têm profunda relação com a identidade das duas testemunhas do Apocalipse, as quais, nas palavras da Virgem Maria em sua aparição de La Salette, França em 1846, serão Enokh e Elias.

Interessante notar que, na profecia asteca, Quetzalcoatl atuava ao lado do seu irmão gêmeo, Xolotl, também uma divindade. Entre os maias, seu nome era Kukulkan, ambos significando Serpente Emplumada.
E os salvadores gêmeos da raça humana também fizeram parte da saga maia registrada no seu Popol Vuh, chamados Hunahpu e Xbalanqué.

Quetzalcoatl e Xolotl, os gêmeos das profecias astecas

Se a estrela azul é o grande sinal da renovação, antes dela virá a sua contraparte, a estrela vermelha, e que chegaria perto da época dos irmãos no céu.
Note-se que são sinais que os hopi disseram que viriam do céu.
E ele pode se referir a sinais astronômicos e também ufológicos, em conjunto.

Hunahpu e Xbalanqué, os gêmeos das profecias maias (Popol Vuh)

E como forte candidato a estrela vermelha, temos aí o misterioso objeto P 7X entrando nas órbitas mais profundas do sistema solar, acompanhado por astrônomos de todo o mundo, uma anã castanha que pode se tornar vermelha e brilhante conforme se aproxime do Sol.
E realmente apareceu outro sinal distinto nessa nossa época, ano conturbado de 2020.
Um belo cometa novo, brilhante, e na constelação de gêmeos, definindo bem o status da profecia hopi dos dois irmãos.

“C/2020 F3 (NEOWISE), ou Cometa NEOWISE é um cometa retrógrado de longo período, com uma órbita quase parabólica, descoberto em 27 de março de 2020 pelo telescópio espacial NEOWISE como um objeto de 17ª magnitude. A partir do dia 31 de março alguns observatórios situado na superfície da Terra passaram a acompanhar o cometa.
Passará mais próximo do Sol em 3 de julho de 2020. Atualmente, é um cometa de magnitude 9,5 e deve ser visível a olho nu em julho.

Em 3 de julho de 2020 ele passa pelo seu periélio, a uma distância de 0,29 UA (43 milhões de km) do Sol.
Nessa ocasião seu brilho pode atingir a magnitude 2, porém estará muito perto do Sol.
Em 22-23 de julho o cometa passa mais próximo da Terra, numa distância de 0,69 UA (103 milhões de km).
Nessa data ele é visível ao anoitecer brilhando na magnitude 5″.
WIKIPÉDIA

O períélio do cometa aconteceu dentro da constelação de Gêmeos.
E no dia do periélio, 3 de julho, o Sol estava exatamente dentro da constelação dos gêmeos!
E no seu ponto de maior aproximação da Terra, em 23 de julho, quando seu brilho será máximo (magnitude 5 graus), ele estará abaixo da constelação da Ursa Maior, o que dificultará a sua visualização para algumas latitudes do Hemisfério Sul.

As etapas do cometa ao se aproximar e se afastar do Sol, desenhando uma quase parábola bem em volta da constelação de Gêmeos

A Ursa Maior é uma constelação tradicional na mitologia dos antigos índios americanos do norte, o que torna a sua aparição neste setor do céu ainda mais significativa, quando o cometa assume maior brilho visto da Terra.

Ursa Maior

A conexão crop circle

Primeiramente, falemos de um crop circle que apareceu no dia do eclipse solar de 21 de junho, trazendo um modelo do eclipse e nitidamente uma forma de cometa dentro dele.

Berwick Bassett Clump, Nr Winterbourne Monkton, Wiltshire UK 21.06.2020

Então, já tivemos uma referência ao cometa (este e outros) neste ano.

Mas foi no ano anterior que um grande mistério aconteceu na França.
Uma série inédita de 15 crops circles em cidades diversas daquele país, e que, na época, ano passado, eu intui e deduzi que estas cidades não estavam sendo escolhidas pelos aliens ao acaso, porque, unidas no mapa, elas pareciam compor o desenho de uma constelação:

GÊMEOS
O que eu verifiquei em algumas publicações de 2019.
E fiquei intrigado: qual a relação de mensagem com esta constelação?

O Grande Alinhamento dos Gêmeos, matéria publicada em 2019

E agora, a resposta parece chegar.
Neste ano, em março, um belo cometa descoberto iria realizar seu periélio diante dos Gêmeos do céu.

A chegada dos irmãos da profecia hopi, que viriam no céu, não longe da estrela vermelha purificadora do mundo, Red Kachina, Nêmesis?
A julgar pelo estado cada vez mais caótico do planeta, sim.

Nêmesis, o suposto objeto P 7X?

Mas isso é uma boa notícia no final das contas.
Porque depois da estrela vermelha, agente purificador global, virá a estrela azul anunciando o retorno dos deuses, quando o Irmão Pahana há de voltar e os mensageiros retirarão sua máscara, e dançarão na grande praça ao lado de sua família humana reunida.
Aquela família que não perverter os bons costumes ensinados pelos povos das estrelas na infância da nossa civilização.

O cometa 2020-F3, atualmente se aproximando da Terra (máxima aproximação em 22.07.2020) e já brilhando intensamente no horizonte dos céus do Hemisfério Norte, é provavelmente o cometa de uma das profecias hopi mais importantes, que fala da chegada dos gêmeos dos pólos da Terra, trazendo abalos na rotação da Terra, e esses gêmeos viriam perto da chegada da estrela vermelha purificadora, que temos por Nêmesis.

Tudo configura para esse tempo, esse momento.
Esses gêmeos viriam com suas famílias em escudos voadores (UFOs) para cobrar da humanidade as velhas lições ensinadas por eles, os sábios do passado, vendo quem ainda se lembraria delas nestes tempos de caos.
Inclusive o sinal dos gêmeos já foi dado ano passado pelos crops circles da França.


Tudo conectado, porque crops circles são de autoria extraterrestre.

JP em 07.07.2020

O Grande Alinhamento dos Gêmeos
(Texto de 01.07.2019)

O dia 2 de Julho é amanhã, e mais dois crop circle na França, o sétimo e o oitavo, o nono e o décimo, nos mostrando marcadores astronômicos referentes a alinhamentos, e terminando em 30 de Junho (isso se não aparecerem mais crops circles, pontuando outras posições no mapa)

Mas, aproximadamente, o arranjo final que eu consegui até agora mais parecido foi com a constelação de Gêmeos, exatamente onde acontece o eclipse solar de amanhã.

Novos crops circles podem redefinir e melhorar esse padrão que eu obtive.

Pensei antes que era Canis Major de Sirius, mas Gêmeos se encaixa melhor agora, e tem um motivo para isso.

Observando as efemérides astrológicas, o eclipse se dará a 10°38″ do signo de Câncer, mas na constelação de Gêmeos (por causa do efeito da Precessão dos equinócios e o deslocamento aparente das estrelas no Zodíaco).

Isso dá quase 11-11, porque Sol e Lua se encontram no grau 11 de Câncer. Sol e Lua, a dualidade, o Yang-Yin, ou os gêmeos Castor e Póllux, os guardiões desta constelação.

Vênus é o planeta que estará mais perto do Sol e Lua eclipsados. O astro do amor e da luz.
A divindade de Quetzalcoatl. Ou o Alfa-Ômega do Apocalipse, que declarou:

Eu Sou a Estrela resplandecente da Manhã!”

Lembrando que em 23 de setembro de 2017, tivemos um grande alinhamento do mesmo porte, no signo de Virgem, que é o signo que corresponde a Gêmeos porque ambos são regidos astrologicamente por Mercurio.

E se rodarmos a esfera do Sol em nove meses, Sol em Virgem, nove meses depois ele estará em Gêmeos.

O que é muito interessante, lembrando dos deuses e deusas com seus filhos gêmeos, como Jupiter, que fecundou Leda na forma de um cisne e esta gerou Castor e Póllux, as duas brilhantes estrelas daquela constelação, vindo daqui a sua origem na mitologia.

O Cisne representa o Espírito Santo.
E uma analogia se pretende com o nascimento de Jesus, porque, muitas vezes, a pintura renascentista, pela mão de diversos pintores, representou Jesus e João Batista como gêmeos, apesar deste último ter nascido seis meses antes…

O eclipse acontecerá nos pés do Gêmeo castor, perto de duas estrelas pouco brilhantes, Propus e Tejat.

Para que haja tantas repetições nas mensagens crop circle sobre tal alinhamento, alguma energia desconhecida deverá compor seus enredos a partir de julho, e tive uma informação de que se relaciona aos Gêmeos da mitologia Hopi.

E da mesma forma como vários crops circles mostraram modelos do Grande Alinhamento do fechamento do Calendário Maia em 21.12.2012, isso se repete este ano, com muitos modelos, quase todos eles, mostrando o Grande Alinhamento dos Gêmeos, o que parece sugerir o mesmo impacto de energias de transformação para agora, como foi em 2012.

E a conexão mais direta entre a simbologia dos Gêmeos e os mitos hopi é esta:

Poganghoya é o gêmeo guardião do pólo norte, enquanto Palongawhoya, o gêmeo guardião do pólo sul, e o mito hopi diz que o Grande Espírito ordenaria que eles abandonassem suas posições, e a Terra entraria no caos (aqui entra a interpretação da inversão magnética em função de uma suposta mudança de pólos, inversão da rotação da Terra), e tudo no tempo da estrela vermelha Red Kachina, trazendo o dia da purificação.

Parece que está chegado o tempo das duas testemunhas do Apocalipse, pelo menos confrontando o cenário mundial atual com o quadro descrito pelos antigos hopis.

Porque existem outras profecias associando grandes terremotos (especialmente em Israel) relacionados a estes missionários, os dois filhos do óleo, diante do Senhor de toda a Terra (Apocalipse 11).

Uma das mais interessantes é uma profecia Maia dos sacerdotes do Chilam Balam.
Ela descreve as dimensões em duas partes, o supra-mundo e o inframundo.
O supramundo é o céu composto de treze setores, governado pelo Sol, e o inframundo, composto de nove andares, governado pela Lua.

São domínios de duas divindades, a divindade treze, “Oxlahun Tiku”, e a divindade nove, “Bolon Tiku”, ou seja, a personificação do Sol e da Lua.

Uma entre tantas profecias diz:

“… o 13 Ahau é o período em que se juntarão e coincidirão o Sol e a Lua: será noite e ao mesmo tempo amanhecer de Oxlahun Tiku, deidade Treze, e de Bolon Tiku, deidade Nove. Será quando se crê venha a nascer Itzam Cab Ain, Bruxo da Água-Terra-Crocodilo, vida perdurável na Terra. Se derrubará o céu e se volteará a Terra, retumbará Oxlahun Tiku deidade treze!”

Tal profecia se encaixa perfeitamente dentro de um eclipse no signo de Gêmeos, quando Sol e Lua encarnam então estas duas divindades, e seu alinhamento e união de poderes faz rodar céus e Terra, como se abrindo os portais do supra-mundo e do submundo ao mesmo tempo.

Porque o 13-Ahau representa o selo final do Calendário Maia, todo aquele tempo “fora do tempo” (quando a contagem do tempo da quinta Raça se encerra – e é errado seguir contando o calendário a partir do dia 22.12.2012, que sinalizou 13.0.0.0.0 e parou neste ponto) todo aquele tempo fora do tempo após 21.12.2012 é o tempo do 13-Ahau, ou 13-20 (Ahau é o selo 20, o último), e que significa um tempo de grandes transformações (porque 13 é Ben, Cana, túnel, significando alinhamentos cósmicos, e 20 é Ahau, Sol, Senhor, significando a fonte de toda a energia que traz a renovação).

13-Ahau, portanto, significa o fechamento do calendário maia e do tempo da Terra. A Terra já está vivendo um permanente tempo fora do tempo desde 21.12.2012, e quem segue contando o calendário maia a partir deste dia, ignora profundamente o mesmo, que determinou o último dia da raça humana em 21.12.2012, sem contagem posterior antes da chegada do Sexto Sol, em outra era de tempo e planeta depois da renovação, que mal começou.

Após esse dia, todos os eclipses e alinhamentos posteriores a 21.12.2012 apenas reforçariam o gatilho do 13-Ahau disparado da Galáxia naquela data final do Calendário, acrescentando mais e mais energia ao sistema Terra em profunda metamorfose, e isso explica porque, todos os anos, os crops circles enfatizam tanto determinados eclipses anuais em curso, e por outro lado, porque a cada ano a atividade planetária em todas as esferas parece cada vez mais desregulada, dentro de uma Entropia nítida.

Eclipses e alinhamentos estão apenas injentando mais energia sobre aquela grande energia disparada em 2012.

E este eclipse na constelação de Gêmeos está recebendo tratamento especial.

Aliás, o que não faltam são profecias envolvendo os gêmeos, o Sol e a Lua unidos de tal forma que os céus 13 e o inframundo 9 se alinhem e se abram, vomitando seus poderes. E 13+9 = 22, um número que é mais uma assinatura cabalística, como 11-11 ligado a portais, conexões de energia e alinhamentos dimensionais.

E o Eclipse será no 11° de Câncer, junto dos Gêmeos na sua constelação.

E por fim, esses crops circles desenhando a constelação de Gêmeos no mapa da França… ao lado do declínio das formações na Inglaterra, cujas mensagens completam 29 anos em 2019, e 29 é outro 11 (2+9)…

Muitas coincidências ou… convergências a um ponto-chave de definição de propósito para tudo isso?
(Texto de 01.07.2019 .. .e o cometa de Gêmeos foi descoberto neste ano, 2020…)
JP

Comentários
Compartilhar