Novo crop circle e as divisões mundiais por causa das diferenças!

Chirton Bottom nr Urchfont Wiltshire UK em 05/09/2020

(E a data forma, novamente, o código 9-9, no seguinte arranjo: 5.2.2 // 9 (9//9)

De forma inesperada, um crop circle aparece na Inglaterra, às vésperas das colheitas finais dos últimos campos que ainda restam de pé, com o trigo bem maduro.

Percebo que os Aliens aproveitaram as linhas da plantação para traçar um ângulo determinado no corte com o diâmetro do crop circle. E isso torna a formação mais complexa, porque notamos que as áreas das trilhas da plantação foram também marcadas na formação crop circle, alternando o claro/escuro (ou plantas deitadas e plantas em pé).

Então, a imagem se torna um círculo com seis áreas geométricas e uma diagonal interceptada por duas semi-retas, o que sugere uma interpretação mais detalhada!

Símbolo matemático “diferente”

Não se trata somente de um circulo dividido ao meio pelo seu diâmetro, e sim, das linhas da plantação aproveitadas de modo a formar um símbolo matemático conhecido: o símbolo “diferente”, que é o simbolo do igual cortado ao meio por uma linha inclinada.

E diante dessa imagem, às vésperas da colheita (o trigo já está bastante maduro), podemos entender a mensagem claramente: o mundo profundamente dividido em dois blocos, em duas camadas muito diferentes entre si.
Aquilo que a parábola cristã chama de joio e trigo.
E como serão o joio e o trigo diferenciados na plantação?
Apenas na hora da colheita, porque o trigo é levado, e o joio, deixado para trás.

E note que o crop circle fez essa separação, de um lado, plantação deitada (colhida) e de outro, plantação em pé (não tocada).

O mundo realmente nunca esteve tão polarizado como agora, em estados extremos, estados climáticos, estados sociais, estados culturais. Tudo está muito intenso, energias e emoções, posições contra e a favor.

Na linha do equilíbrio raramente encontramos alguém.

Mas é essa a única linha que permite que ainda tenhamos alguma consciência e coerência de razão nesta humanidade que alcança cada vez mais os limites da clássica polaridade Bem x Mal.


A mensagem é: as diferenças são gritantes, os extremos são inconciliáveis. Os opostos se combatendo cada vez mais num mundo que se distancia a cada dia da linha de equilíbrio, o que justifica seu fim, por suas próprias mãos e caminhos desregrados.

Eu senti muita clareza nessa mensagem, bem na época das colheitas, subentendendo a parábola cristã.

Instabilidades planetárias

Outra análise que salta aos olhos neste novo crop circle, de 5 de setembro, é a representação da Terra, do seu eixo de rotação, e os setores claro-escuro, definindo as estações verão e inverno, alternantes, nos hemisférios norte e sul. As linhas dos trópicos de Câncer e Capricórnio estão marcadas.
No caso do Trópico de Câncer, a latitude é de 23º27′ N (23 graus e 27 minutos norte), enquanto no Trópico de Capricórnio as latitudes são de 23º27′ S (23 graus e 27 minutos sul).

Diante dos extremos climáticos, das perturbações solares em série, da destruição progressiva da natureza sem restrições por parte das nações capitalistas, e todo o resto, podemos deduzir relação deste crop circle com abalos no campo magnético e alterações no padrão da rotação que estão já afetando diretamente o clima, no aspecto de seus marcantes extremismos.

Por isso, o símbolo matemático do “diferente”… porque os tempos de hoje estão muito diferentes, e já não são mais como antigamente… em todos os sentidos!

Algo está diferente nas estações a frente

A primeira ideia aqui vem da combinação entre o símbolo matemático “diferente” com um modelo simples do planeta Terra em seu período de solstícios, quando começam as estações do Verão e do Inverno nos hemisférios planetários.

Agora, é Inverno no hemisfério sul e verão no hemisfério norte.

O crop circle usou o eixo de divisão da luz solar nos solstícios (21 de Junho e 21 de dezembro) e inseriu os dois trópicos, Câncer e Capricórnio.
E essas três linhas compuseram o símbolo matemático do “diferente”.

Os trópicos
Os trópicos da Terra são paralelos, ou seja, linhas traçadas cartograficamente no sentido leste-oeste, paralelas à Linha do Equador. Sendo assim, eles possuem latitudes específicas. No caso do Trópico de Câncer, a latitude é de 23º27′ N (23 graus e 27 minutos norte), enquanto no Trópico de Capricórnio as latitudes são de 23º27′ S (23 graus e 27 minutos sul).

Graças aos solstícios e equinócios, o sol incide sua radiação de formas diferentes ao longo do ano. Em alguns períodos, ele está mais inclinado para o norte, em outros, para o sul, havendo também as épocas em que os dois hemisférios são igualmente iluminados.

Os trópicos servem para demarcar o limite dessa diferença, ou seja, o Trópico de Câncer é a zona mais ao norte possível em que o sol incide perpendicularmente. Da mesma forma, o Trópico de Capricórnio é a faixo no hemisfério sul onde a iluminação perpendicular atinge o seu ponto máximo.

Ou seja, o crop circle estabelece clara relação entre os solstícios e os dois trópicos demarcados, e combinando isso com o símbolo das diferenças, parece estar anunciando que ALGO SERÁ DIFERENTE em relação a tudo isso no próximo solstício, que será o solstício de dezembro, dia 21, quando começa o verão no hemisfério sul e o inverno no hemisfério norte.

Pois bem, outras coordenadas numéricas são interessantes.
Por exemplo, a amiga Renata Curcio notou que as somas das latitudes dos trópicos, 23°27′, equivalem precisamente à data do crop circle:
23 soma 5, 27 soma 9, e o dia do crop circle? 05.09.

E eu notei que a data completa soma 5+9+2+2 = 18.
E daqui a exatos 18 dias, começa outra nova estação, a primavera no Sul e o outono no norte!

As estações “diferentes” já são uma realidade.
E os extremos também.
Mas este crop circle não me parece dizer uma coisa que já é óbvia e patente para todos.
Ele está anunciando algo “diferente” à frente, no curso da mudança das estações.

E como estamos sofrendo instabilidades de todo o tipo, e recentemente a Terra tem recebido fortes tempestades solares, mais o fato de que os cientistas previram uma poderosa tempestade solar, como aquela que aconteceu em 1859, esse crop circle pode estar revelando a Terra sofrendo um bombardeio de energia solar em breve.

Curiosidade
O símbolo “diferente” é igual ao símbolo GORT do alfabeto Ogham, equivalendo à letra G.

Ogham foi um alfabeto usado originalmente no irlandês arcaico, e posteriormente no irlandês antigo e picto em menor escala. O Ogam é por vezes denominado “alfabeto celta das árvores.
A runa Gort significa a planta HERA e representa os campos, de uma forma geral.

E como toda planta trepadeira, a Hera pode estar significando aqui a necessidade de adaptação ao clima alterado do presente-futuro.
Isso também parece bastante óbvio!

JP em 05.09.2020

Uma sincronicidade crop circle

Há alguns dias, eu estava reservando um enigmático crop circle de 2012 para publicar um estudo, e ele datava do dia 5 de setembro de 2012, há oito anos. O ano da profecia maia.

E antes que eu publicasse, de forma inesperada, apareceu o crop circle das “estações diferentes” no mesmo dia 5 de setembro, oito anos depois.
E se um crop circle falando de extremismos climáticos e diferenças marcantes na natureza reaparece na mesma data, é porque tenta estabelecer conexões com a profecia maia (em curso) de 2012.

E notei entre eles algumas similaridades e conexões.
O enigmático crop circle de 2012 mostra uma grande Cruz ligando um círculo e um coração.
E o primeiro crop circle de 2020, no dia 25 de maio, mostrou a mesma coisa, um Anjo com um círculo (cabeça) ligando ao coração central.
Há uma similaridade entre os dois crops circles, começando pelo fato de que ambos empregaram as linhas da plantação na sua orientação geométrica.

Mas o crop circle de 2012 tem outras informações.
A Cruz fala de sacrifício, penitência, e essa imagem é reforçada pelo código dos “asteroides”, três de cada lado da cruz, equivalente ao número 33, que também é uma das assinaturas de Cristo e da crucificação.

Vamos dizer que o Apocalipse tem uma data oficial, na verdade, duas: Israel completando 70 anos, data profética anunciada por Jesus Cristo em Mateus 24, e o início “oficial” do toque das sete trombetas, que será quando um objeto cair do céu na Terra. Se analisar as quatro primeiras trombetas do Apocalipse, elas falam da mesma coisa, um objeto ardente caindo na Terra, e ferindo em 1/3 as quatro regiões ou direções assinaladas:

Terra e Mar (Leste e Oeste), rios e fontes e céu (Sul, Norte).

Então, 3 e 3 asteroides ao lado da Cruz e Cristo, a senha 33, o início da tribulação, asteroides que caem do céu, e uma estranha assinatura que se repetirá em muitos crops circles, desde seus primeiros objetos:

As letras F e J, simbolizando chave e anzol.
E relacionando isso com o Anjo de 2020, temos que representa dois Anjos e duas ações:
Miguel e Uriel: o Anjo que abre portas e caminhos, e o Anjo que pesca almas para Cristo.
Do Anjo Miguel é dito que ele é o Anjo de Deus a preparar os caminhos para o Anjo da cristificação, que vem depois dele, o Anjo Uriel, o pescador de almas.

E por fim, dois sistemas ligados, coração e círculo, ou o modelo simples dos pictogramas, dois sistemas ligados por um eixo: Terra e Vênus, porque Vênus é a casa espiritual do Anjo Uriel, e é o planeta imediato no processo de cristificação da Terra.

Por isso que o crop circle novo, de 5 de setembro de 2020, reforça todas essas informações sobre as grandes diferenças postas neste mundo, extremos climáticos, joio e trigo já não podendo mais conviver num mesmo campo… a iminência do START do Apocalipse, a queda de asteroides, e o que se interpreta normalmente: a colheita do trigo espiritual da Terra, cujo número é 144 mil, antes de todas estas coisas.

Porque se a Justiça de Deus retorna para a Terra, os bons não serão mais obrigados a suportar o mesmo destino dos maus… porque as diferenças encontradas na Terra são gritantes até para a Justiça Divina.
Não se pode servir a dois senhores e nem conciliar dois caminhos que marcham em direções opostas.

Simetrias de terremotos em 06.09 e o crop circle recente

Minha amiga Renata Curcio trouxe ao meu conhecimento um estudo que verificou pontos de simetria de terremotos de graus próximos (acima de 6.0°) no dia de ontem, 6 de setembro.
Dois terremotos no Hemisfério Oeste ou Ocidental, Chile e Dorsal Médio Atlântico, respectivamente 6.3° e 6.6°.
E do outro lado do mundo, Filipinas, 6.3° e Ilhas Vanuatu, 6.2°, ambas no hemisfério Leste ou Oriental.

Interessante notar que foi num dia 6, com quatro terremotos em escala 6, dois deles, de mesmo valor (6.3°) em hemisférios opostos.

E ela me apontou a simetria proposta no crop circle de UM DIA ANTES, 5 de setembro.

Eu mesmo acredito no poder de previsão dos crops circles, e a sugestão de que uma de suas interpretações poderia ser estes resultados simétricos de terremotos nos dois hemisférios, aliás, assinalados pelos crops circles nas cores claro e escuro e o eixo dos solstícios, os dois trópicos de Capricórnio, etc.

Estas simetrias já aconteceram antes, e são relativamente raras.
Lembrando que as mesmas simetrias acontecem, por exemplo, no fenômeno dos ciclones, nas linhas acima e abaixo do Equador. As próprias estações são simétricas e opostas.

Simétricas quando entram os equinócios (do termo “equi”, igual) ou seja, primaveras e outonos com clima parecido nos dois hemisférios, Norte e Sul, enquanto os solstícios mostram estações opostas nos mesmos hemisférios, verão e inverno, todas estas estações alternando ao longo dos meses.

De qualquer forma, eu creio que a mensagem mais forte deste último crop circle seja o sinal DIFERENTE, algo que se torne diferente em relação a padrões climáticos e outros padrões planetários a frente.

talvez já com data marcada no próximo equinócio (23.09) e solstício (21.12) com mudanças de estação.
Aliás, 2020 já está DIFERENTE de todos os anos anteriores.
Isso é fato.

JP em 07.09.2020

Mudança drástica de temperaturas, extremismos climáticos e o último crop circle

Esta notícia confirma uma parte da interpretação daquele último crop circle, com o símbolo matemático “diferente”, e também os dois hemisférios da Terra separados em Inverno e Verão (solsticios).
A variação brusca de temperatura (35°C) acontece nos USA por causa da movimentação de uma frente fria, fazendo a temperatura cair em 36 horas em tal variação.

As previsões são para a região do Colorado nas próximas horas, valendo até o dia 9 de setembro.
Essas mudanças bruscas de temperatura, com recordes como este, 35 graus de variação, são perniciosas para a agricultura e para a saúde humana, minando aos poucos a vitalidade.
O que está acontecendo com o clima?

Nem aquecimento global e nem mini-glaciação, mas as duas coisas ao mesmo tempo.
Ondas de calor seguidas por quedas bruscas de temperatura, ou então ondas de frio interrompidas por períodos de calor intenso, confundindo o que seja verão e o que seja inverno.
Por isso, o símbolo DIFERENTE naquele crop circle. Porque as estações já não são as mesmas.
Nem o clima, nem o planeta, nem a humanidade.

O novo-normal? E como ele vai acabar?
Ou será que, a cada ano, teremos que entrar em diferentes “novos normais” que não passam de anormalidades em série?
O grande problema em tudo isso é que todas essas alterações climáticas estão obrigando as criaturas a se adaptarem todo o tempo, e essa adaptação continuada suga muita energia vital no processo.
Ou, em outras palavras, a humanidade vai adoecendo aos poucos debaixo de tanta instabilidade climática.
A Natureza é fonte de vida, mas neste estado de caos, se torna fator mortal.

JP em 08.09.2020

Comentários
Compartilhar