NASA faz surpreendente descoberta sobre anomalias no Triângulo das Bermudas

Um dos lugares mais misteriosos do planeta é, sem dúvida, o Triângulo das Bermudas, localizado entre Miami, Bahamas e Porto Rico, onde barcos e aviões desapareceram, entre outros acontecimentos estranhos que a NASA agora tenta explicar a partir de uma nova descoberta.

De acordo com cientistas da agência espacial, o campo magnético da Terra tem um ponto fraco “do tamanho dos Estados Unidos continentais” pairando sobre a América do Sul e o sul do Oceano Atlântico.

Os especialistas da NASA também apontam que estamos protegidos dos efeitos na Terra, mas os satélites não têm tanta sorte: quando passam pela anomalia, são bombardeados com radiação “mais intensa do que em qualquer outro lugar em órbita”.

Esta anomalia, conhecida como Anomalia do Atlântico Sul (AAS), ou “o Triângulo das Bermudas do espaço” mais coloquialmente, é uma região que fica no ponto onde o campo magnético da Terra é particularmente fraco.

A área ocupada pelo misterioso Triângulo das Bermudas.

Isso significa que as partículas de raios cósmicos solares não são retidas no Triângulo das Bermudas da mesma forma que em outras partes do planeta . Como resultado, os raios do sol viajam até 124 milhas até a superfície da Terra, em uma faixa de sondas de Órbita Terrestre Baixa (LEO).

John Tarduno, professor de geofísica da Universidade de Rochester, explicou: “Não gosto do apelido de Triângulo das Bermudas, mas nessa região a menor intensidade do campo geomagnético acaba causando maior vulnerabilidade dos satélites às partículas energéticas , até o ponto em que a espaçonave pode ser danificada ao passar pela área.

O USS Cyclops, um navio de abastecimento militar da Marinha dos Estados Unidos, naufragou no Triângulo das Bermudas.  Foto / Arquivo

O USS Cyclops, um navio de abastecimento militar da Marinha dos Estados Unidos, naufragou no Triângulo das Bermudas. Foto / Arquivo

Leia também  O Dossiê secreto de Valiant Thor

“Assim, os satélites que passarem pelo Triângulo das Bermudas sofrerão maiores quantidades de radiação a ponto de poderem ocorrer danos, devido a uma descarga ou arco elétrico”, disse Tarduno.

Normalmente, o campo magnético da Terra protege entre 620 e 37.000 milhas acima da superfície do planeta, mas a baixa altitude do hotspot de radiação o coloca dentro da órbita de certos satélites, que são bombardeados por prótons que excedem energias de 10 milhões de elétron-volts.

Nos primeiros dias da ISS, uma estação espacial modular de terceira geração, a anomalia do Triângulo das Bermudas bloqueou os computadores dos astronautas, forçando as agências espaciais a desligar seus sistemas de bordo.

A tripulação da NASA relatou danos durante a passagem pelo que é conhecido como Triângulo das Bermudas. 

Alguns astronautas relataram ter visto estranhas luzes brancas piscando diante de seus olhos, e desde então medidas foram tomadas para protegê-los enquanto eles atravessam esta área do planeta Terra.

Para os cientistas da NASA Weijia Quang e Andrew Tangborn, a anomalia do Triângulo das Bermudas está se movendo para o leste e crescendo em tamanho. Pelos seus cálculos, em cinco anos poderá aumentar cerca de 10 por cento em relação aos últimos valores registados em 2019.

Fonte

Comentários
Compartilhar