Misteriosa pegada de gigante encontrada na África intriga pesquisadores

Os gigantes são uma raça mencionada até na Bíblia , apesar do fato de a arqueologia ortodoxa negar sua existência. Outra prova de sua existência pode ser encontrada na cidade sul-africana de Mpuluzi.

Em 2012, o pesquisador sul-africano Michael Tellinger publicou um vídeo na web mostrando uma pedra com uma enorme pegada gravada nela. A pegada tinha mais de um metro de comprimento e, segundo o próprio pesquisador, poderia ser uma das melhores evidências de gigantes da Terra.

Pegada do gigante

A pegada está gravada em uma rocha de granito e está localizada perto da vila de Mpuluzi , na África do Sul, muito perto da fronteira com a Suazilândia.

A pegada, embora apresentada por Michael Tellinger, não foi descoberta por ele, mas por um fazendeiro chamado Stoffel Coetzee, em 1912 , enquanto caçava nos arredores da cidade. Tillinger, que é famoso por pesquisar tudo relacionado aos Anunnaki e por ser um dos membros da comunidade científica que defende a teoria da manipulação genética que deu origem à raça humana, garante que o local remoto onde estava a pegada, praticamente exclui a possibilidade de que seja falso.

Ele argumenta que, em 1912, a área onde a peça foi encontrada era conhecida como Transvaal Oriental, um lugar isolado da civilização.

A pegada também não se deteriorou muito desde sua descoberta, então a chance de falsificação é bastante reduzida.

O padrão de erosão em seu interior é semelhante ao encontrado ao seu redor, por isso é difícil pensar que alguém se dedicaria a esculpir uma pegada gigante há milhares de anos em uma área isolada.

Assim, só existem três possibilidades para a sua existência: alguém, por razões desconhecidas, o esculpiu , foi o produto de uma erosão natural fantástica e única ou um gigante pisou na pedra e deixou a sua marca gravada.

Leia também  Direito ou Delito? O Exército de Monstros

Difícil de verificar sua veracidade

Apesar dos estudos, verificar qualquer uma das três possibilidades é praticamente impossível até que sejam feitos estudos científicos para determiná-la com precisão. Mesmo assim, a opinião de outros pesquisadores, somada às lendas e tradições dos povos em torno da pegada, pode nos dar um panorama diferente.

Por exemplo, Klaus Dona , renomado e famoso pesquisador que defende a teoria dos gigantes, também visitou a pegada com Tellinger em janeiro de 2012. Segundo ele, outros pesquisadores também a revisaram e todos asseguraram: é impossível que seja artificial.

Caso seja real, a pegada mede 120 centímetros, então o gigante deveria ter ultrapassado 7 metros de altura.

Dados relacionados aos restos mortais de gigantes encontrados no Equador que mediam altura semelhante. Como foi criado, de acordo com o montículo que se vê nos dedos, parece que o gigante pisou na lama fofa.

No entanto, Dona afirma que a curvatura do pé a faz hesitar um pouco . Normalmente, não é tão pronunciado.

A área mais sagrada da África do Sul

Em 2005, David Icke e o xamã africano Credo Mutwa foram ver a pegada, embora Mutwa não tenha conseguido subir até o local devido à sua idade avançada. Segundo as palavras do xamã, essa área é a mais sagrada de toda a África do Sul e deve ser protegida por seu governo.

Ele explicou que a pegada pertencia ao pé esquerdo de uma mulher e que seu pé direito está gravado em outra pedra no Sri Lanka, que é conhecida como ” A Pegada de Atenas “. Além disso, garante que, de fato, a pegada é de um gigante .

No entanto, até o momento, essa pegada gravada não foi encontrada no Sri Lanka. Mutwa também contou uma lenda sobre a cidade e a origem de seu nome; segundo relato, um guerreiro conhecido como Shaka foi quem batizou o povo Mpuzuli , após expulsar os Suazis. O nome foi dado em homenagem a uma mulher gigante chamada Mpuluzi, que já habitou a Terra.

Leia também  Dogons - O Povo que Veio das Estrelas

Mpuluzi significa “a deusa nua” e, segundo o xamã, a pegada foi feita enquanto ela corria pela planície coberta de cinzas e lava quente. Na verdade, Mutwa diz que a maioria das rochas de granito redondas da região são restos de crânios fossilizados de gigantes.

Fonte

Comentários
Compartilhar