Espiritualidade

Kundalini – A serpente da Vida e da Morte

Seu ninho é o osso coccígeo, a raiz da espinha dorsal.
Sua energia é a energia dos instintos concentrados, que ela regula a partir do plexo sacro.
Sua meta é a ascensão até o cérebro, na forma de transmutação de energias via sacrifício dos instintos.

Ela é a raiz da árvore da vida, dentro da simbologia onde o nosso corpo é uma árvore da vida, ou, conforme João 15, um galho enxertado na Árvore Cósmica da Vida, que é Elohim-DEUS, o Verbo, a Vida, a Palavra que gera a Vida e tudo o que existe.

Cada ser vivo é uma célula ou fractal da Vida Coletiva.

Mas se a pessoa se torna escrava dos instintos, então sua mente cai em trevas, porque seus pensamentos estarão devotados para a satisfação física contínua, degenerando assim a energia do Kundalini que, como a serpente de bronze edificada por Moisés no deserto, tem a capacidade de subir na vara e, com seu resplendor, curar todas as doenças físicas e psiquicas do ser humano.

Se a serpente cai e a mente entra em trevas, ela comerá o pó da terra e a condição mortal se repetirá na roda do tempo, e a cada novo ciclo, a alma ganha novo veículo para tentar outra vez transmutar sua serpente e curar o estigma da morte em suas células e seu DNA, abrindo o caminho para o segundo nascimento, o qual o próprio Jesus cristo comparou a ascensão da serpente.

Mas não tente explicar isso a um fanático da letra morta.
Ele não vai entender que a serpente que envenenou Adão e Eva com o fruto proibido foi o impulso degenerado do kundalini voltado para a escravidão dos desejos sexuais, o tal fruto proibido aos Anjos e humanos da classe original do Paraíso.

Todos somos filhos da serpente caída que come poeira a cada nova roda… e não adianta ser um erudito em ciências, ou um teólogo, ou um profundo conhecedor da Bíblia. Se a mente é escrava dos instintos e prisioneira da carne, continuará voltando ao pó, não importa o arsenal de teoria morta que guarde na mente.

E sabendo que o antidoto contra o veneno é feito a partir do próprio veneno, reflita a respeito. Ou continue com a consciência morta apoiada na letra morta e na teoria sem vida.

Muitas vezes, eu penso que o encontro com esses teóricos da letra morta são armadilhas postas pelos espíritos tenebrosos, sempre em oposição e batalha espiritual contra os buscadores da Verdade ou luz viva.
É preciso exorcizá-los para longe.

Porque eles vão insistir até o fim que o fruto proibido era uma maçã, e que a serpente tentadora era realmente uma cobra falante.
Sem condições…

E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;
Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

João 3:14,15

JP em 21.05.2021

Comentários
Botão Voltar ao topo