CiênciaEspiritualidadeMistérios

Irregularidades na rotação da Terra, repete mensagem do novo crop circle

Tudo começou no dia 7 de agosto, quando eu estabeleci que deveria aparecer algum belo crop circle no dia seguinte, 8/8, por causa da simetria numérica. Porque é uma data marcante dentro do código 888 de Sirius, sistema estelar tríplice, e estrela mãe da humanidade.

Empreguei alguns exemplos, como o magnífico crop circle de 08.08.2008, data que somou 26 (8) e recriou o padrão 888 de Sirius, a trindade estelar, e tantos conceitos paralelos impossíveis de serem descritos aqui em sua totalidade.

Usei também o modelo da pomba crop circle, do dia 08.08.2015 (2015 soma 8), formando também o padrão 888, sinalização do sistema triplo Sirius.

Então, a estrela-mãe da humanidade, estrela da cristandade, Sirius, a Grande matriz do nosso mundo físico e espiritual (Dogons, maias, egípcios, etc) resplandece sobre um campo dourado e maduro de trigo, perto da época das colheitas.

No campo de Kitt’s Lane, Hampshire, UK, em 08.08.2021.

Uma estrela de seis pontas em rotação, geometria dinâmica, cercada por um anel com 24 setores e barras diagonais internas aplicando um sentido de oscilação (serpente, zig-zag) repetindo modelos crop circle anteriores.

Como eu evoquei o modelo da Pomba, e falei que a energia divina descia da Estrela Mãe para cobrir a humanidade, podemos entender esse novo crop circle, na análise espiritual, como sendo a imagem da Matriz cósmica de onde procedem as energias mais elevadas da espiritualidade que tocam este ponto azul perdido no infinito e mergulhando na escuridão, a Terra, e um sinal de socorro espiritual (veremos isso em outra interpretação).

Agora, me concentro na análise astronômica do crop circle.

A geometria hexagonal do crop circle

A forma como as seis pontas deste Hexagrama foram destacadas no modelo do novo crop circle (e existem muitas formas de se expressar o Hexagrama-matriz) lembra o padrão de um conhecido origami chamado Estrela Ninja dupla (só não me pergunte o NINJA do nome, não sei dizer… mas não me importa, porque essa semelhança é casual e não objetiva… até porque nosso crop circle é um hexágono, e não uma estrela de oito pontas).

Contudo, existe um artista gráfico que mora na Inglaterra, seu nome é Dene Hine, e ele já criou modelos artísticos que lembram alguns padrões crop circle, como o atual.
Não é a primeira vez, no entanto, que legítimos crops circles empregam criações humanas em estilos semelhantes para nos enviar mensagens.

Isso acontece muito. E eu sempre entendi nessa situação a existência de uma real tentativa deles se comunicarem com os humanos, como que dizendo:

“Estamos atentos aos seus símbolos, e falamos com vocês através deles também, além dos nossos próprios símbolos!”

Mas este argumento não é suficiente para derrubar o ceticismo em muita gente.
Mesmo que este novo crop circle tenha muito do estilo do artista Dene Hine, ele entra para a estatística de muitos outros crops circles listados com imagens similares de logotipos criados por humanos. E só. Até porque as características do próprio crop circle, bem como do seu entorno, inviabilizam por completo a teoria de ação humana no local, como já sabemos.

Um dos desenhos recentes de Dene Hine, publicado em sua página do Facebook em 30 de junho, mostra um pentagrama (5 pontas) no mesmo estilo gráfico, e com um anel externo de 20 setores em forma de pequenas ondas. Passou bem perto.

O contato é aberto com toda a humanidade, e aqui, não tenho dúvidas de que o artista recebeu um sinal. Como ele aproveita isso, ou se leva para o lado da exploração comercial, o problema é todo dele.
Prosseguindo…

Essa estrela, que pode ser chamada Macrocósmica, representa os sistemas cósmicos do Universo, galáxias, estrelas e até planetas. A estrela da Criação, levantada em Seis períodos cósmicos pelas potências do Verbo, chamadas DEUS (ELOHIM).

Esse é o ponto de partida da análise cosmológica desta estrela, do ponto de vista astronômico, com novas informações.

Novas conexões com o Calendário maia?

Isso parece estar relacionado com o estilo da borda crop circle, em zig-zag, um tipo de ornamento que era comum no estilo artístico pré-colombiano.

Além disso, outro detalhe chama a atenção: os antigos livros maias eram dobrados em forma de zig-zag:

Os maias desenvolveram o “papel” ou “cartão” feito de tecido sobre o qual aplicavam uma película de cal onde os escribas escreviam os seus carateres. As laterais dos tecidos eram atadas e dobradas, em zig-zag, produzindo um livro.

O mais conhecido deles (um dos que sobreviveram à destruição dos espanhóis) é o famoso Códice de Dresden.

O Códice de Dresden encontra-se na Sächsische Landesbibliothek, a biblioteca estadual de Dresden, na Alemanha. É o mais elaborado dos códices maias, bem como uma importante obra de arte. Muitas seções são ritualistas (incluindo os chamados “almanaques”), outras são de natureza astrológica (eclipses, ciclo de Vênus).

O códice encontra-se escrito em uma longa folha de papel dobrada em zig-zag de forma a produzir um livro de 39 folhas, escritas em ambas as faces. Deve ter sido escrito pouco tempo antes da conquista espanhola. De alguma maneira chegou à Europa e foi comprado pela biblioteca real da corte da Saxônia em Dresden no ano de 1.739.

É na página 74 deste código que se encontra a passagem mais sinistra do livro.

Mostra uma divindade anciã, derramando águas de destruição sobre o mundo.

A interpretação feita por Eric Thompson sobre esse personagem humano, remeteria ao deus da escuridão, o Bacab negro, o senhor do Inframundo, que teria participado da destruição da Terra pelo grande dilúvio. Essa interpretação se estende a toda a cena, que segundo esse pesquisador, seria a representação da inundação que pôs fim aos humanos na terceira idade do mundo, segundo relatado no Popol Vuh.

Essa leitura é corroborada pela cor do fundo da cena, café escuro, que seria a “resina abundante que veio dos céus” segundo a narrativa contida nessa fonte. “Então para matá-los (os homens feitos de madeira) um desastre foi produzido por u Kux Kah (o Coração do Céu), um grande desastre foi produzido, e caiu sobre as cabeças daqueles que eram bonecos entalhados na madeira. (…) então, caiu uma forte chuva de resina/lava do céu. (…) Por causa deles (os tzitzimine, monstros noturnos, da escuridão, que atacam as pessoas, vinculado ao eclipse solar) a Terra ficou escura e então começou uma chuva negra, noite”.


Seja como for, o paralelo aqui me parece claro: como se o livro estivesse sendo aberto (na borda do crop circle, em zig-zag) e as atividades de energia na estrela macrocósmica central (Sol e também núcleo da Terra, que estão em eterna conexão gravitacional e energética) iniciam seus processos de transformação, aliás, conceito este repetido em crops circles anteriores.

O grande Livro profético se abrindo para a humanidade… e que pode ser estendido ao Livro da Revelação, o Apocalipse, e tudo o que foi escrito nele, além das outras profecias se cumprindo em nosso tempo.

Abalos no eixo da Terra? Um estouro nuclear?

É o que parece.
Primeiro, a estrela de seis pontas, chamada Macrocósmica, representa, na simbologia antiga, os grandes sistemas do Cosmos, desde galáxias espirais, estrelas ou o nosso Sol, bem como a própria Terra.

A geometria da Estrela mostra um vórtice dinâmico, e mais uma vez, sou inclinado a ver aqui uma ativação do núcleo da Terra por parte das forças do Universo alinhado em nosso tempo de final de ciclo, grande ciclo.

Por que eixo da Terra? Pela relação com os 24 fusos horários, na análise da borda do anel externo do crop circle.
No centro, o núcleo macro da Terra em intensa atividade energética, e na borda, a representação das 24 faixas horárias do nosso sistema de contagem de tempo (horas).

Os fusos horários são cada uma das vinte e quatro áreas fusiformes em que convencionalmente se divide a Terra para efeitos de definição horária de acordo com o movimento aparente do Sol.

Crops circles anteriores mostraram relação com o núcleo da Terra e processos de transformação interna abalando o eixo de rotação, o que, por efeito, abalaria nosso sistema de contagem temporal de 24 horas baseado exclusivamente no período regular de rotação da Terra diante do Sol, produzindo os dias e as noites.

Billingley crop circle, do dia 31 de Julho, foi o modelo mais marcante, mostrando o eixo da Terra curvado em relação ao centro (coração), a origem do campo magnético e ponto de equilíbrio gravitacional da rotação planetária.

Sinal de que estes padrões já estão alterados faz algum tempo, e não somente os distúrbios climáticos e outros em nosso planeta, mas até na Lua estão sendo verificados, demonstrando que todo o Sistema solar próximo está sob abalo de forças e agentes…

O Zig-Zag na borda externa, inclusive, pode representar essas oscilações de padrões terrestres por causa de abalos no núcleo e no eixo, afetando não só a rotação, como o campo magnético e todo o resto que depende da estabilidade terrestre para manter seus padrões… já alterados faz algum tempo.

Além disso, estas barras diagonais podem também indicar relação com o eixo inclinado da Terra, oscilando por causa de todos estes impactos cósmicos sobre o núcleo.

Atualmente, já se mediram acelerações da rotação planetária, mas muito pequenas, imperceptíveis. Contudo, nada que possa aumentar com o passar dos anos. Porque essa é a grande tendência de curva da instabilidade planetária e do sistema solar próximo integrado.

O que virá, virá logo, devido a insistência de tantas mensagens repetidas.

Observação

No mesmo dia previsto de 8 de agosto, apareceu outro crop circle, mais simples mas, nem por isso, menos significativo.

Na estrada Roman, um círculo duplo, um anel interno mais largo, e um anel externo.
Isso pode ser interpretado de muitas maneiras, porém, ao associar com o crop circle da Estrela macrocósmica, esse duplo anel ganha outros contornos, podendo ser associado ao Sol, a algum eclipse anular próximo, ou ainda, um modelo orbital (órbita terrestre).

De qualquer modo, este crop circle pode receber novos desenhos dentro dele, ou sobre ele, em uma suposta etapa posterior, como já aconteceu outras vezes.

JP em 09.08.2021

Atualização

Kitt’s Lane e a Alquimia do núcleo da Terra se completa

Curiosamente, no crop circle anterior a este, Spiers Lane, em primeiro de agosto, eu visualizei, entre outras linhas de interpretação, os dois triângulos da Alquimia (fogo e água) prestes a se encontrarem e, unidos, gerarem a estrela de seis pontas, símbolo de uma geração ou regeneração de energias (tudo acontecendo no núcleo da Terra e por, extensão, no núcleo do Sol – representado pela ordem 6 na árvore da vida).

A parte superior deste slide foi criada no dia primeiro de agosto, e ela idealizava o Hexagrama por resultante final do movimento de encontro daqueles dois triângulos, que aconteceu realmente uma semana depois, em Kitt’s Lane cc.

E uma semana depois, sete dias, o período da Alquimia, as sete notas de uma oitava se completando, justamente no dia 8 (oitava da nota inicial no dia 1), o Hexagrama ou estrela de seis pontas aparece: e além disso, ela aparece estilizada na forma de um vórtice de energia que está explodindo e girando.

Os dois triângulos, fogo (ponta para cima) e água (ponta para baixo) se tocaram e formaram a estrela de seis pontas.
E o processo começou.
Spiers Lane, em 01 de agosto, marcou o dia 16 de fevereiro de 2022 na linha do tempo atual (e o crop circle de Billingley, dia 31.07, marcou a mesma data, graficamente – o modelo do mapa do céu).
E esse crop circle de Kitt’s Lane, posterior e complementar, parece acrescentar mais informações ao conjunto de mensagens.

Que tal comparar este signo ao Sexto Selo do Apocalipse?
Eclipses do Sol, Luas de sangue, queda das estrelas do céu, um grande terremoto, e a chegada do Dia de Deus, que significa o começo do Julgamento da humanidade?

Está muito dentro do contexto geral.

JP em 11.08.2021

Comentários

Botão Voltar ao topo