EspiritualidadeMistérios

IAO, o Nome Secreto de Deus

IAO é a pronunciação sagrada do “nome inefável” do sagrado Tetragramaton que é o Ancião dos Tempos, nosso Pai Celestial, o Antigo dos Antigos, o Único Deus Verdadeiro.

O papiro encontrado entre os Manuscritos Essênios de Qumrán do Mar Morto tem escrito o nome de Deus em letras gregas “IAW” (IAO), de um dos textos do Levítico 3:12 e 4:27.

Neste antigo texto grego do Levítico, o nome de Deus está escrito IAW, a leitura de IAW é mais original que a Kurios ou Kyrios (Senhor), que não é a palavra hebraica “YHWH”, que só é encontrada no Tanakh (Antigo Testamento).

Esse papiro representa uma antiga versão da escritura grega que contem a transliteração do sagrado Tetragrama hebraico em forma do sagrado Trigrama grego IAW.

Yahweh é o nome do deus oficial de Israel, tanto no reino do norte e Judá.

Desde o período Aquemênida, religiosos criaram o costume de não pronunciar o nome do Senhor; na liturgia, bem como na vida cotidiana. Para os judeus do século V a.C, estabelecidos no Egito, o Deus Supremo do Céu era chamado com o nome de “Ya’u” (Yahu), cuja pronunciação secreta é “IAHO”, “IAO”. A forma como “YAU”, que ao ser transliterado ao grego toma a forma “IAW”.

A seguinte tabela mostra alguma cronologia de transliterações do nome “IAO”.

Transliteração Fonte Datação

Yahô, Yahou Escavações de Soleb, Egito Séc. XIV a.C
Yaho, o “Ya’u o Deus do Céu” Papiros de Elefantina, Egito Séc. V a.C
IAO Qumran LXX, 4Q120 Séc. I a.C
IAO Diodoro Sículus Séc. I a.C
Yaho’el Apocalipse de Abraão Séc. I-II d.C
IAΩ, IAO, YEU, IEU Valentino, Pistis Sophia Séc. II-III d.C
YEU Livros de Jéu Séc. II-III d.C
Iao Irineu, Ofitas Séc. II d.C
IAOU ou IAOY Clemente de Alexandria 150-212 d.C
AwOUhEl Papiro grego
IAh Orígenes 250 d.C
IAw Epifânio 380 d.C
IAHO São Jerônimo 347-420 d.C
IAO Macrobius 430 d.C
Iao Theodoret Séc.V d.C
Yao Friedrich Schiller “The Mission of Moses” 1789
IAO H.P. Blavatsky 1897
IAO Aleister Crowley 1911
IAO Rudolf Steiner 1912
IAO Dr. Krumm-Heller 1931

Se entendemos que o “IAO” gnóstico corresponde “AUM”, o som da criação na tradição védica, e também corresponde ao “AMEN”, da tradição cristã, não podemos deixar de ficar aterrorizado diante do poder imaginativo e evocativo inerente a ela, e os efeitos que isso pode resultar na mente, corpo e alma do iniciado.

O Mantra IAO e Arnold Krum-Heller

A Fraternitas Rosicruciana Antiqua tem como coração a magia sacerdotal representada pelos rituais e a liturgia gnóstica, que tem o objetivo de Reintegração com Crestos Solar; também a Regeneração dos corpos através dos cursos secretos e a Reconciliação pela filosofia da Thelema.

IAO pode ser compreendido como a vocalização de IHVH, sabendo que o alfabeto hebraico não tem vogais, como o nosso alfabeto, mas apenas letras consoantes, e todas com vocalização indicada por pontos massoréticos.

O Mestre Huiracocha disse na “Igreja Gnóstica”: sabei que entre todos os deuses o mais elevado é “IAO”. Aides é o Inverno, Zeus principia na Primavera, Hélios no Verão, e no Outono torna à atividade “IAO”, que trabalha constantemente. “IAO” é Jovis Pater, é Júpiter, que os judeus, sem direito, chamam de Javé. “IAO” oferece o substancioso vinho da vida, enquanto Júpiter é um escravo do Sol”.

“I” – Ignis (fogo, alma).

“A” – Aqua (água, substância).

“O” – Origo (causa, ar, origem).

Signo IAO em letras gregas, o início da corrente espiritual

Huiracocha disse: ““IAO” é o nome Deus entre os Gnósticos”. O Espírito Divino está simbolizado pela vogal “O” que é o círculo eterno. A letra “I” simboliza o ser interno de cada homem, porém ambos se misturam com a letra “A”, que serve de ponto de apoio.

Em seu livro Logos, Mantram e Magia escreve: “entre os antigos gregos, as procissões religiosas eram chamadas de Theorías que, etimologicamente, vem de Theos, Deus

IAO seria a ALMA de IHVH, que seria o corpo do Nome do Espírito.
E cada letra do Tetragrama representa uma criatura sagrada do Trono de IHVH, e relacionadas aos quatro astros do Sistema Solar interno, entre outras muitas equivalências.

IAO e Gnosticismo

No Askew Codex – Pistis Sophia de G.R.S. Mead, 5° Livro, Capítulo 136 – encontramos a fórmula “IAO” em uma passagem: “E Jesus fez invocação, virando-se para os quatro cantos do mundo com os seus discípulos, vestidos com roupas de linho, dizendo: Iao, Iao, Iao”. Esta é a sua interpretação:

“Iota” porque o universo foi brotado; “Alfa” porque voltará para si; “Omega” porque a conclusão de toda à completude terá lugar”.

Também há no Livro de Jeú, Jesus declara que: O verdadeiro Deus será chamado Jeú. Em Pistis Sophia chama Jeú (YEW) de “Pai de meu Pai”, cuja a pronuncia sagrada é IAW (IAO). No livro do Apocalipse (22:13) também há referência a “IAO”: “I” = Iesus; “A” = Alpha; “O” = Omega.

O nome “IAO” tornou-se comum entre os escritores pagãos, sendo um termo utilizado pelos gnósticos do séc. II., como “Iao, Sabaoth, Adonai, e Eloe”. Mas, mesmo quando usado pelos gnósticos, “IAO” nem sempre é equacionado com “YHWH”, mas com várias outras divindades o solar Helios, Mithas e também Dionísio ou “Euoe Bacchus”.

IAO codificado na Última Ceia de da Vinci

Conclusão

A ligação do trigrama grego “IAO” com “Yahweh”, por uma transliteração fonética do hebraico para o grego é muito forte e evidente em vários documentos antigos. Obviamente, no antigo Império Romano, essa ligação se popularizou e fragmentou em várias outras ligações com os deuses pagãos e gnósticos, como diz a própria H.P. Blavatsky em sua obra “Isis sem véu”. Por isso sendo um motivo de forte controversa, já que para os teólogos modernos esse sincretismo deslegitima essa correspondência entre “IAO” e o deus judaico. Por outro lado, esse sincretismo impulsiona a correspondência da vocalização do nome de Deus. E essa ligação é confirmada posteriormente nas mais diversas escolas gnósticas modernas.

(Texto de um gnóstico moderno)

*******

IAO pode ser compreendido como a vocalização de IHVH, sabendo que o alfabeto hebraico não tem vogais, como o nosso alfabeto, mas apenas letras consoantes, e todas com vocalização indicada por pontos massoréticos.

IAO seria a ALMA de IHVH, que seria o corpo do Nome do Espírito.
E cada letra do Tetragrama representa uma criatura sagrada do Trono de IHVH, e relacionadas aos quatro astros do Sistema Solar interno, entre outras muitas equivalências.

I.A.O. é uma jóia sagrada do Gnosticismo cristão dos primeiros séculos, o qual, infelizmente, entrando numa corrente esotérica ao longo dos tempos, foi sendo cada vez mais associado à magiã pagã das primeiras idades, e atualmente, não é raro ver o sagrado Nome associado a práticas sexuais deturpadas que nada tem a ver com a Magia primordial dos seres sagrados, contida na Teurgia da Palavra, o Verbo.

E a invocação do Nome Sagrado, como de qualquer outro nome ou fórmula de oração, mantra e repetição, tem por base o poder da laringe, onde reside a palavra criadora. Associar isso com sexologias é absurdo e inversão total de valores no campo hermético, já que sabemos que a verdadeira transmutação é interna e baseada no controle e contenção dos instintos, sobre os quais se aplica as técnicas de concentração e controle da respiração.

Infelizmente, as escolas de magia moderna associaram IAO à magia sexual, profanando o poder do Nome cuja raiz se recriação se liga plenamente à Palavra, ao Verbo, e não ao sexo, que é o eixo da roda reencarnatória dos mortais, e que perigosamente assumem formas mistificadas na Nova Era para enganar os incautos.

Porque os Filhos de Deus não nasceram do sangue, nem da vontade do homem, nem da vontade da Carne, mas de DEUS (Logos, a Palavra), sendo Jesus Cristo o canal de intercessão deste segundo nascimento entre a Fonte (ABA, o Pai) e a humanidade mortal e doente.

Trata-se de um poder puramente espiritual vinculado á energia do SOM, da Palavra, vocalizado com a consciência dos três atributos de Deus, bem definidos.
I A O

JP em 17.06.2022

Comentários
Botão Voltar ao topo