Cientistas contradizem a NASA e alertam sobre impacto de asteroide apocalíptico

Extinções em massa de vida na Terra parecem seguir um padrão regular, sugere um novo estudo .

Na verdade, a morte generalizada de animais terrestres – que incluem anfíbios, répteis, mamíferos e pássaros – segue um ciclo de cerca de 27 milhões de anos, relata o estudo. 

O estudo também disse que essas extinções em massa coincidem com grandes impactos de asteróides e devastadores derramamentos vulcânicos de lava.

“As extinções em massa globais foram aparentemente causadas pelos maiores impactos cataclísmicos e vulcanismo massivo, talvez às vezes funcionando em conjunto”, disse o autor do estudo Michael Rampino, da Universidade de Nova York, em um comunicado .

Os paleontólogos já haviam descoberto que extinções em massa semelhantes da vida marinha, nas quais até 90% das espécies desapareceram, não eram eventos aleatórios, mas pareciam ocorrer em um ciclo de 26 milhões de anos.

Como pode ser isso? Os impactos de asteróides ou cometas não são completamente aleatórios? Aparentemente não, sugere o estudo, e é por causa da órbita do nosso planeta através da galáxia.

O sistema solar passa pela parte populosa de nossa galáxia, a Via Láctea, a cada 30 milhões de anos. Durante esses tempos, são possíveis chuvas de cometas, causando grandes impactos na Terra.

“Essas novas descobertas de extinções em massa coincidentes e repentinas na terra e nos oceanos, e do ciclo comum de 26 a 27 milhões de anos, dão crédito à ideia de eventos catastróficos globais periódicos como os gatilhos para as extinções”, Rampino disse.

“Na verdade, três das aniquilações em massa de espécies na terra e no mar já são conhecidas por terem ocorrido ao mesmo tempo que os três maiores impactos dos últimos 250 milhões de anos, cada uma capaz de causar um desastre global e consequentes extinções em massa . “

Leia também  Descoberto asteroide que vale mais que a economia da global

om uma nova análise estatística, publicada na revista científica Historical Biology, pesquisadores americanos concluíram que quedas de grandes cometas ocorrem a cada 26 a 30 milhões de anos quando eles passam pela galáxia.

Se atingirem a Terra, impactos cataclísmicos podem criar escuridão e frio generalizados, incêndios florestais, chuva ácida e destruição da camada de ozônio. Isso potencialmente mataria a vida terrestre e marinha.

Os cientistas também descobriram que as oito extinções em massa que ocorreram na terra e nos oceanos coincidiram com os tempos de erupções de basalto, onde uma enorme quantidade de lava flui para a superfície da Terra.

Isso criaria um efeito estufa mortal e menos oxigênio no oceano.

Fonte

Comentários
Compartilhar