Cavalos mutilados continuam misteriosamente aparecendo na França

Durante dois anos, pelo menos doze casos de equinos mortos e mutilados foram identificados em vários departamentos franceses.

A série de misteriosas mortes de equinos continua. No sábado passado, em Cortambert, perto de Cluny (Saône-et-Loire), um novo cavalo foi encontrado morto, com a orelha cortada. Segundo informações da France Info , ela é uma potranca de um ano e meio. Ela foi encontrada por um andador, com lacerações no decote e nos genitais.

E uma investigação foi aberta na segunda-feira pelo promotor de Roanne (Loire) após a misteriosa extração de órgãos de um cavalo que morreu há três dias, apurou a AFP de uma fonte judicial, após outros casos semelhantes em outros departamentos.

Morto de causas naturais na sexta-feira, o animal havia sido armazenado em uma campina em Sainte-Colombe-sur-Gand, ao norte do Loire, para ser enviado para processamento. Na segunda-feira de manhã, o seu proprietário descobriu que tinha sido mutilado durante a noite, com uma orelha cortada, um olho removido e o nariz cortado, segundo a mesma fonte que confirma informações do diário regional Le Progrès .

Várias queixas apresentadas

Avisado sobre esta colheita post-mortem, a gendarmerie do Loire abriu uma investigação por “roubo e ocultação de órgãos de animais” na tentativa de identificar o (s) autor (es).

Durante dois anos, onze casos de ataques fatais contra equinos, cavalos, burros e pôneis foram registrados em vários departamentos franceses. Cada vez, o (s) agressor (es) parecem tirar uma orelha cortada, como um troféu.

No final de junho, duas queixas foram apresentadas por atos de crueldade contra equinos em Seine-Maritime. Uma égua de 16 anos foi encontrada em Martin-Eglise (Seine-Maritime) no dia 6 de junho e, alguns dias depois, um burro morreu nas mesmas circunstâncias, em Grumesnil. Ele foi descoberto com uma orelha cortada, olhos estripados e lesões nas narinas.

Além disso, a acusação de Clermont-Ferrand e Amiens anunciou no final de junho a abertura de várias investigações preliminares devido a mutilações de cavalos, encontrados mortos no Somme e Puy-de-Dôme com uma orelha cortada.

“Uma gangue de matadores de cavalos”

Outros casos foram identificados em outros departamentos, em particular em Aisne, Vendée, Moselle, Loire e Lot, indicaram o promotor público de Clermont-Ferrand.

Essa série de agressões preocupa o Serviço Central de Inteligência Territorial (SCRT), que suspeita da existência de uma “gangue de matadores de cavalos” que se espalha pela França. Em nota datada de 30 de junho de 2020, consultada pela BFMTV, o SCRT questiona as motivações dos agressores, perguntando se é superstição, fetichismo, ritual satânico ou sectário.

Rituais? Abduções?

Bem, ainda não há provas do que esteja realmrnte acontecendo, e por isso nenhuma hipótese deve ser descartada…

Comentários
Compartilhar