Aviso aos Navegantes

Eu espero sinceramente que você tenha um PLANO B diante da situação global, e que vai piorar.
Porque o barco chamado Terra está afundando, e os ratos da Política e do Poder serão os primeiros a saltarem fora, deixando o povo afundar sem olhar para trás.

A maioria dos Internautas tem interesse em se atualizar nas notícias sobre catástrofes planetárias em curso, mas eu pergunto: e quando estas catástrofes chegarem na sua cidade, já refletiu a respeito sobre o que irá fazer ou sobre seu estado de preparo interior diante do que vêm ao mundo e não pode ser evitado?

Nos conflitos entre matéria e energia, nas batalhas do Universo em movimento e nos rigores da natureza em fúria, esse mundo louco girando depressa lá fora, eu lhe pergunto:
Onde anda a sua alma?
Como estará a sua fé, força e entendimento nesse dia?
É fácil ficar assistindo tudo de uma poltrona confortável.
Mas e quando chegar no nosso telhado?
Ou você acha que será só no telhado dos outros?

Por que eu disse plano B e não plano A?
Porque o plano A, que são todas as medidas e soluções reunidas dos poderes humanos, todos eles falharão diante da fúria da Natureza.
Porque não está mais no poder do homem controlar tudo isso.
Está acima de seu poder, inteligência e capacidade.

E então?
Qual é o seu plano B?
Ou será que você sequer ainda pensou nisso?

Veja a seguinte passagem de João 6 e a transporte para este momento:
(porque todas as passagens da Bíblia convergem para este momento):

E, quando veio a tarde, os seus discípulos desceram para o mar.
E, entrando no barco, atravessaram o mar em direção a Cafarnaum; e era já escuro, e ainda Jesus não tinha chegado ao pé deles.
E o mar se levantou, porque um grande vento assoprava.
E, tendo navegado uns vinte e cinco ou trinta estádios, viram a Jesus, andando sobre o mar e aproximando-se do barco; e temeram.
Mas ele lhes disse: Sou eu, não temais.
Então eles de boa mente o receberam no barco; e logo o barco chegou à terra para onde iam.

No dia seguinte, a multidão que estava do outro lado do mar, vendo que não havia ali mais do que um barquinho, a não ser aquele no qual os discípulos haviam entrado, e que Jesus não entrara com os seus discípulos naquele barquinho, mas que os seus discípulos tinham ido sozinhos
(Contudo, outros barquinhos tinham chegado de Tiberíades, perto do lugar onde comeram o pão, havendo o Senhor dado graças).
Vendo, pois, a multidão que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, entraram eles também nos barcos, e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus.
E, achando-o no outro lado do mar, disseram-lhe: Rabi, quando chegaste aqui?
Jesus respondeu-lhes e disse: Na verdade, na verdade vos digo que me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes.

João 6:16-26

Note que após acalmar a tempestade e salvar os discipulos no barco prestes a afundar, Jesus atravessou A OUTRA MARGEM, e muitos o seguiram em seus próprios barcos para lá.
A outra margem, aqui, simboliza o lugar ou estado de segurança, fora da tempestade que se aproxima, e que somente Cristo pode revelar, como capitão do barco.
Voce sabia que A OUTRA MARGEM também significa uma OUTRA DIMENSÃO, no caso, uma dimensão refúgio paralela à terceira dimensão em crise e em convulsão?
A Quarta Dimensão onde é sempre primavera e a Terra não sofre alteração alguma de status de energia, sempre permanecendo estabilizada?

Leia também  Os quatro cavaleiros do Apocalipse se estabelecem

João escreveu esse testemunho no capítulo 6, desejando fazer um exato paralelo tanto com o Genesis 6 (que fala do Dilúvio) como com o Apocalipse 6 (que fala da abertura dos sete selos do Livro, iniciando ali a destruição ou transformação planetária).

São códigos implícitos aos Evangelhos que têm muito a revelar.

Outra reflexão:

Se a Bíblia realmente foi modificada ou adulterada, como dizem os céticos, ou se Jesus Cristo nem existiu e foi invenção da Igreja Católica primitiva, como outra corrente sustenta, uma pergunta simples:

Como é possível que uma Bíblia assim tenha capacidade de prever eventos (profecias) com enorme exatidão, especialmente após as datas de 2017 e 2018, alinhadas com eventos registrados em Mateus 24 e Apocalipse 12?
O mesmo se dá com a didática dos crops circles.
Como podem ser obra humana se muitos deles prevêm eventos à frente, como temos estudado e constatado aqui?

JP em 27.06.2020

Comentários
Compartilhar