As portas e as janelas da mente – conhecendo as realidades paralelas

 

 

 

 

Sabemos, e muito falamos aqui, que sonhos, determinados sonhos de um matiz especial, são verdadeiras janelas da mente a contemplar cenários de tempos e dimensões paralelas, e os sonhos premonitórios têm um valor excepcional neste sentido.
Mas sonhos, por mais lúcidos e especiais que sejam, e até com o valor de criar um verdadeiro mapa de informações reais dos mundos ocultos, ainda são janelas da mente, quer dizer, você pode ver estes cenários mas não pode tomar parte deles.

Para tomar parte deles, precisa abrir uma porta, para passar para o outro lado e experimentar, assim, todas as realidades paralelas que, então, os seus melhores sonhos revelaram em suas janelas mentais abertas.
Particularmente os sonhos da manhã tem esse valor de janelas da mente, onde podemos contemplar várias linhas escritas no Livro do Destino, antes mesmo que elas se materializem no plano inferior 3D.

Abrir a porta nos permite cruzar a margem, ir para o outro lado, e tomar parte daqueles cenários do Mundo mental, e mais que isso, interagir com estes cenários, e até mesmo ajudar a escrever conscientemente parte das linhas daquele Livro do Nosso Destino. Trata-se de uma experiência que abre infinitas possibilidades para a mente desperta.

Quando Jesus anunciou aos discípulos dormentes: VIGIAI E ORAI!
Estava anunciando as mesmas regras que, aqui, eu descrevo, sob seus termos próprios.
Vamos investigar então o cenário.

Vigiar e orar envolve uma sentença simples que possui toda a carga do despertar.
Vigiar é manter a mente alerta (para não cair no sono) e orar é usar o poder criador da Palavra.
Assim combinados, vigiar e orar criam um método poderoso que alia a palavra e o pensamento dentro da mente que, vibrando essa nota por um tempo mínimo, se capacita plenamente à abrir janelas e portas da percepção para as dimensões superiores.

Naquele momento dramático, o momento extremo de sua obra – quando estava prestes a ser entregue aos guardas do templo – Jesus precisava de orientação urgente do Pai, dada a sua aflição pessoal.

Sozinho, no Horto das Oliveiras, enquanto todos os discípulos dormiam – exceto Judas Iscariotes – prestes a ser entregue para a crucificação, ele orou ao Pai fervorosamente, e até suou gotas de sangue, em total estado de alerta mental.
E quem pode dormir numa situação destas?

Enquanto o prazer nos acomoda, a dor nos desperta.
E geralmente em períodos difíceis é que mais buscamos o contato com Deus.
Pois bem, em resposta ao seu pedido, o Pai enviou-lhe um Anjo para confortá-lo e prepará-lo para uma situação que era necessário enfrentar. Porque nem tudo na vida será como queremos, e temos que estar preparados para a crise, quando ela surgir, cientes de que a preparação virá, de uma forma ou de outra!

Porém, a chave do despertar da consciência foi entregue nessa cena, nos mínimos detalhes:

1. é preciso ter vontade, querer intensamente (representada pelo suor de sangue)
2. é preciso estar sozinho para entrar em contato com Deus
3. é preciso escolher um horário na alta madrugada, no silêncio da noite e com a mente descansada, após um período de sono.
4. é preciso vigiar, quer dizer, estar com a mente alerta, para o sono não sabotar a prática.
5. é preciso orar sem parar, ou seja, usar a palavra criadora, orando, mantralizando, verbalizando o desejo do coração, seja por cura, por orientação, por iluminação.
Até sangrar a testa, quer dizer, com a vontade intensa e fé pulsante.

Dentro de um certo tempo, acontecerá a conexão com as Dimensões superiores, onde se move a Mente Infinita, e cedo ou tarde, neste ou naquele dia de prática perseverante, Deus Pai responderá e fará contato!

Enquanto muitos tomam estas passagens como mera retórica religiosa, eu contemplo aqui um perfeito manual do despertar da consciência, nos seus mínimos detalhes!

Peça, e se vos dará!
Bata, e a porta se abrirá!

JP em 21.10.2019
Comentários
Compartilhar