Albert Einstein foi a reencarnação do deus Enki?

Ao menos, essa é a relação proposta por uma série de crops circles, antigos e modernos, que, se não for por reencarnação, indicam uma forte relação entre Einstein e uma divindade sumeriana conhecida por sua grande sabedoria.
Enki.

A similaridade entre as duas personagens, uma mítica e outra história, porém reais, começa pela identidade “aquática” de ambos. Enki era o deus da sabedoria e do conhecimento, o Toth sumeriano, associado às águas, especialmente subterrâneas, e ao símbolo do peixe e da serpente, entre outros (lembrando que a serpente foi chamada no Gênesis de o animal mais sábio da Terra).

Einstein, conforme a análise da carta astrológica, foi do signo de Peixes (14 de março de 1879) dotado de uma mente brilhante, intuitiva e muito “aquática” (por causa da predominância do elemento água no seu tema, tanto do signo de Peixes como do ascendente no signo de Câncer, ambos da água). Uma combinação que dotou sua racionalidade dos elementos básicos do hemisfério direito do cérebro, imaginação, intuição e o dom de pressentir as verdades cósmicas antes que os números a demonstrem racionalmente! Algo bem alinhado com a identidade de Enki e sua sabedoria aquática!

Albert Einstein (Ulm, 14 de março de 1879 — Princeton, 18 de abril de 1955) foi um físico teórico alemão que desenvolveu a teoria da relatividade geral, um dos pilares da física moderna ao lado da mecânica quântica. Embora mais conhecido por sua fórmula de equivalência massa-energia, E=mc² — que foi chamada de “a equação mais famosa do mundo” —, foi laureado com o Prêmio Nobel de Física de 1921 “por suas contribuições à física teórica” e, especialmente, por sua descoberta da lei do efeito fotoelétrico, que foi fundamental no estabelecimento da teoria quântica.

Nascido em uma família de judeus alemães, mudou-se para a Suíça ainda jovem e iniciou seus estudos na Escola Politécnica de Zurique. Após dois anos procurando emprego, obteve um cargo no escritório de patentes suíço enquanto ingressava no curso de doutorado da Universidade de Zurique. Em 1905 publicou uma série de artigos acadêmicos revolucionários. Uma de suas obras era o desenvolvimento da teoria da relatividade especial. Percebeu, no entanto, que o princípio da relatividade também poderia ser estendido para campos gravitacionais, e com a sua posterior teoria da gravitação, de 1916, publicou um artigo sobre a teoria da relatividade geral. Enquanto acumulava cargos em universidades e instituições, continuou a lidar com problemas da mecânica estatística e teoria quântica, o que levou às suas explicações sobre a teoria das partículas e o movimento browniano. Também investigou as propriedades térmicas da luz, o que lançou as bases da teoria dos fótons. Em 1917, aplicou a teoria da relatividade geral para modelar a estrutura do universo como um todo. Suas obras renderam-lhe o status de celebridade mundial enquanto tornava-se uma nova figura na história da humanidade, recebendo prêmios internacionais e sendo convidado de chefes de estado e autoridades.
Wikipédia

Sua data de nascimento consta de uma numerologia forte ao somar 33 (1+4+3+1+8+7+9 = 33), o que é sempre uma marca poderosa conforme os arcanos da numerologia.

Enquanto Nikolas Tesla foi um gênio mais técnico, o gênio de Einstein foi mais teórico e direcionado à Cosmologia e Física, fazendo com que ele brindasse o mundo com a equação mais famosa do mundo, e também, com aquela que foi considerada a maior e mais revolucionária descoberta de todas, a Teoria da Relatividade, transformando-o na personalidade do século XX de acordo com a revista Time.

Não só o mundo celebrou Einstein, mas também os autores crops circles.
E o mais notável de todos os crops circles celebrando a obra de Einstein apareceu na Itália (não na costumeira Inglaterra) no ano de 2010:

Turim, Itália, 13.06.2010

Este fantástico crop circle de flor hexagonal, ilustrando pela numerologia e simbolo combinados as ideias de conversão da matéria em energia (arcano 13, morte e transformação), usou seis números, um em cada pétala, os quais, lidos conforme a codificação ASCII de computadores, verteu a expressão:

E=M.C^2

Criticado por muitos por sua participação indireta no fabrico das bombas atômicas, cientistas sofrem mesmo esse dilema, ou servem a ciência e se submetem ao poder do Estado, ou não a servem, ficando assim sem patrocínio e proventos para seus estudos e pesquisas.
Mas tal participação levaria Einstein a ser tornar um ativista da paz militante pelo resto de sua vida, tentando reparar a decisão que lhe pesaria para sempre em sua consciência.

Inclusive Einstein também realizou procedimentos de pesquisa envolvendo a realidade extraterrestre.

Albert Einstein e Robert Oppenheimer escreveram em junho de 1947 um documento secreto de seis páginas intitulado “Relationships with Inhabitants of Celestial Bodies” (Relacionamentos com Habitantes de Corpos Celestiais)
O documento diz que a presença de espaçonaves não identificadas é aceita como verdadeira pelos militares. Este documento também trata de assuntos, como por exemplo, de onde ‘eles’ vêm, o que a lei dita a respeito disso, o que deveríamos fazer caso haja a colonização e/ou integração com os povos, e o porquê deles estarem aqui.

Finalmente, o documento fala sobre a presença de ‘astroplanos’ celestiais em nossa atmosfera, como resultado das ações dos experimentos militares em armamentos militares de cisão e fusão.

Einstein e Oppenheimer incentivam a consideração de nossa situação e segurança futuras em potencial, devido às nossas ações.

Certamente, Einstein tinha a mente aberta para aceitar a realidade extraterrestre, e quando critica Deus como produto da fraqueza humana, não quis dizer o Deus real que, para ele, era impessoal, mas sim os deuses das religiões vitimadas pelo fanatismo. Porque Einstein não era ateu e nem religioso. Mas tinha sua fé pessoal em um Deus como Força Impessoal de Energia de Amor e Sabedoria Universais, como diversas outras partes de suas obras, escritos e reflexões pontuam.

O crop circle de 2010, evocando a equação de Einstein, foi bastante específico e direto.
Porém, muitos outros crops circles evocam a imagem dos Wormholes como acessos de UFOs em suas viagens interestelares (de longa distância) e todos estes temas estão indiretamente relacionados a Albert Einstein, como ilustra o slide acima da série crop circle wormhole de 2006 na Inglaterra.

Buracos de minhoca lorentzianos, conhecidos como buracos de minhoca de Schwarzschild ou pontes de Einstein-Rosen são pontes entre áreas do espaço que podem ser modeladas como soluções de vácuo para as equações de campo de Einstein ao combinar os modelos de um buraco negro e um buraco branco. Esta solução foi descoberta por Albert Einstein e seu colega Nathan Rosen, os quais publicaram o resultado em 1935.

A Teoria da Relatividade foi fundamental para a compreensão da existência destes objetos cósmicos que, se por um lado, são hipotéticos para a nossa ciência, são realidade para a tecnologia UFO.
Mais uma associação direta, então, entre a obra de Einstein e as realidades extraterrestres!

Houve um crop circle recente, na cidade suíça de Berna, onde Einstein viveu na época de seus primeiros trabalhos, em 1905, com temática relativística também.

Tributo a Relatividade

Um belo e surpreendente crop circle apareceu em Berna, Suiça, dia 19 de outubro último, repetindo o grande padrão hexagonal da temporada 2018, que nos brindou com muitas belas mandalas, todas entrando em alinhamento com os mais altos significados da cosmologia universal, da Merkabah, dos Stargates e tecido do Espaço-tempo na estrutura harmônica da Flor da Vida, conforme a matriz original, o Cubo de Metatron e seus segredos desconhecidos pela ciência oficial.

A nova mandala lembra um sistema com distorção de espaço-tempo, e um Sol central produzindo a distorção que interpretamos por gravidade. O fato de ter aparecido em Berna, na Suiça, confirma isso, porque foi naquela cidade que Einstein viveu seus anos dourados, e grande parte de sua carreira começou ali.
Em 1901, ele adquiriu nacionalidade suiça, e em 1905, seu ano milagroso, concluiu seus trabalhos revolucionários sobre efeito fotoelétrico, movimento browniano, a Relatividade especial e a equivalência massa-energia (E=mc2).

Berna, portanto, foi o berço da Teoria da Relatividade, que evoluiria anos mais tarde para a Relatividade Geral e as implicações sobre a gravidade newtoniana.

E o que dizer do crop circle do Índio que, além de fazer referência às divindades indígenas venusianas, parece ter brincado com a imagem de Einstein vestindo um cocar, quando visitou uma aldeia Hopi, nos EUA, ao lado de sua esposa Elsa, em 1931?

Brincadeira mesmo apareceu no crop circle de 2011, quando um Alien com projeções de energia sobre a cabeça e fumando um cachimbo foi impresso num crop circle. Apesar de legítimo, muita gente não levou a sério esta mensagem por causa desse tema, julgando-o obra de apoiadores do uso livre da Marijuana ou Cannabis.

Cherhill White Horse, Nr Calne, Wiltshire 27-07-2011

Agora, compare este crop circle com outro registro fotográfico bastante conhecido de Einstein, porque um de seus hábitos era … fumar cachimbo!

Até o lado do cachimbo, virado para a direita, foi repetido no crop circle conforme esta foto. E o significado do crop circle sugere que Einstein tinha a glândula pineal ativa (as radiações no alto da cabeça do Alien) e isso fez com que tivesse ideias brilhantes não por um mero esforço intelectual, mas por simples indução de estados elevados de intuição que ele acessava graças à sua poderosa mente aquática, que celebrava a imaginação como sendo mais importante do que o conhecimento!

Este crop circle acrescenta também que Einstein tinha algo de alienígena, que realmente sua mente, sua forma de pensar e de ver as coisas tinha algo de extraterrestre. E por isso foi tão celebrado em tantos crops circles, de forma direta e indireta.

E novamente, neste ano de 2011, um ano após o crop circle E=M.C^2 aparecer, volta a surgir na mesma região da Itália, Turim, outro crop circle. Este, falando diretamente de ENKI!

Numa estrela heptagonal, novamente o código ASCII, repetindo o modelo anterior do ano passado, E=M.C^2, usou sete caracteres que foram facilmente interpretados:

Enki Ea
(Enki – espaço – Ea)

 (Enki) era uma divindade da mitologia suméria, conhecido mais tarde como Ea ou Eaxarru (Ea-šarru) na acadiana e babilônica. Era o deus da água doce primordial, sabedoria e criação e foi cultuado desde ca. 3 500 até 1 750 a.C. como Enqui e de ca. 1 900 até 200 a.C. como Ea. Seu templo era a casa de Apsu ou Eengurra em Eridu, mas essa informação só é conhecida através de inferências literárias. No tempo do Império Neobabilônico (626–539 a.C.), sua popularidade diminuiu e tornar-se-ia pai de Marduque. Foi registrado em placas, esculturas, estelas votivas e glípticos e em textos cuneiformes como Enuma ElixeEpopeia de Gilgamexe e Nergal e EresquigalAtrahasisEnqui e a Ordem do Mundo, hinos templários, etc.[ Isimude era seu mensageiro.

O fato de repetir o nome da divindade em dois idiomas diferentes, e o fato de usarem um mesmo estilo crop circle de simbolismo e codificação em anos seguidos, ligando os nomes de Albert Einstein (e sua obra prima, a mais bela equação do mundo) com o deus da sabedoria na primeira civilização da humanidade é intrigante.

Poderia significar uma evidente reencarnação de uma divindade em uma existência moderna que manifestou realmente grande sabedoria por meio de uma mente aquática, uma sabedoria não somente científica, mas também humanista e filosófica, expondo um interesse muito grande dos ALiens envolvidos com os crops circles nesta existência em particular.

E ainda mais, um dos nomes da divindade, EA, são as iniciais de Albert Einstein ao contrário (AE).


Muitos outros crops circles já apareceram antes com referências a padrões de símbolos que podem ser associados aos modelos da Teoria da Relatividade, e vários deles na Alemanha, que era a pátria de Albert Einstein.

Alemanha, 2016, modelo wormhole em movimento

Outro gênio que foi igualmente celebrado em alguns crops circles foi Leonardo da Vinci,

Certamente, não há dúvidas de que estes são apenas alguns dos muitos nomes daqueles grandes gênios e almas que pisaram neste mundo com missões específicas, na área da Ciência, da Arte, da Fé… todos eles considerados obras especiais no Jardim de Deus, e que, por isso, devem ser cuidados e vigiados pelos jardineiros de um modo todo especial, quem sabe, recebendo auxílio telepático para a realização mais completa de suas missões em Terra?

Tudo porque nos foi dito que os primeiros seriam os últimos, e os últimos seriam os primeiros… e que os maiores deuses, anjos e hierarquias do passado deveriam voltar, no fim do ciclo, reencarnados, para ajudar a aumentar as portas da consciência coletiva por meio do seu trabalho. Me parece que, desde o Renascimento, a era das trevas (Idade Média) ficou para trás na sucessiva encarnação de grandes almas, em todos os departamentos do conhecimento humano, com essa finalidade. Desde Leonardo da Vinci, vieram Roger Bacon, Galileu Galilei, Isaac Newton, Nikolas Tesla, Albert Einstein, Bach, Mozart, Chopin, Planck, Wagner, e muitos outros.

Uma contagem regressiva para a chegada dos deuses das estrelas e as grandes colheitas espirituais da Terra?
Mas não seremos nós também, filhos das estrelas?
E não seriam estes gênios, autênticos deuses estelares encarnados como um de nós, humanos, mesmo não sendo como nós?
Porque a árvore é conhecida pelo fruto… e o fruto de suas mãos demonstram que eles são humanos como nós… mas que suas mentes nunca foram humanas, mas extraordinariamente alienígenas em seus contatos com as estrelas em suas ideias geniais!

Portanto, não me espantaria saber que Einstein foi uma das reencarnações do deus Enki na Terra em nosso tempo, cumprindo todas as suas estações probatórias para se levantar outra vez e reassumir a perdida divindade que já foi sua um dia, com todos os erros e acertos tipicos da existência do espírito perfeito em experiência humana na matéria!

JP em 19.08.2020

Veja também:

Comentários
Compartilhar