A pulsão religiosa da humanidade

Se engana quem pensa que a pulsão religiosa da humanidade existe somente no modelo clássico, dentro de igrejas, templos e crenças ensinadas pelos seus líderes ao rebanho.

O impulso religioso consiste numa necessidade inerente da alma humana se apegar a alguma coisa que ela tenha por segura, confiável e que lhe dê bases de apoio psicológico além das próprias bases do seu entendimento.
A necessidade de crer em algo maior e melhor, que dê algum conforto e esperança.

A pulsão religiosa é como a energia, não pode ser destruída, apenas transformada.
Podemos expressar essa pulsão por vários canais equivocados, que não lhe realizarão de forma concreta e plena.

No passado (e ainda hoje), essa pulsão costumava ser direcionada ao reino místico, divindades, crenças, religiões e instituições.
Mas atualmente, a pulsão religiosa anda assumindo novos canais.
A política é um deles.
E a ciência, mais um.

Acima da mera racionalidade, existe dentro da alma humana um aspecto frágil, assustado e desprotegido, que sempre irá procurar por conceitos que lhe assegurem conforto e esperança, uma pulsão que vem do próprio Subconsciente e procura por um canal de expressão.
Isso explicar porque muita gente transforma a politica ou a ciência em objetos de adoração, e ideologias opostas se enfrentarão com grande dose de fanatismo violento.

Vemos então a turma da esquerda combatendo a turma da direita, e vice-versa.
Vemos a turma da terra plana combatendo a turma dos devotos da NASA, e vice-versa.
Enfim, vemos as almas procurando desesperadamente por conceitos, crenças e teorias que lhes dêem uma sensação de segurança, falsa, porque é temporária, subjetiva e baseada em conceitos externos.

A Primeira Besta do Apocalipse, como sabemos, é a Política Mundial, e nela se move o Anticristo, induzindo as mentes humanas ao ódio, conflitos e guerras sem fim.

A Segunda Besta pode ser associada a cultura moderna, ciência, tecnologia e filosofias materialistas.
Tanto que ela, a segunda Besta, aparece parecida com o CORDEIRO, com dois chifres, porque no final dos tempos iria posar de SALVADORA DA HUMANIDADE. E é com essa abordagem que muitos encaram a tecnologia e ciência da atualidade: a salvação da humanidade.

Enquanto a alma humana não realize a jornada do autoconhecimento, iluminando a casa interior e apoiando suas esperanças em algo CONCRETO, que é a sua conexão consciente recobrada com o Universo espiritual real, eterno e imutável, ela rodará pelo tempo e pelo espaço, animada por movimentos passageiros da política, da ciência e das próprias religiões institucionalizadas.

E não se realizará internamente.
E sofrerá abalos tremendos quando seus políticos, suas crenças e mesmo suas teorias cientificas mais sólidas forem abaladas.
Porque até a própria ciência moderna, em que muitos depositam sua fé em tempos melhores, vive mudando sua perspectiva e sua forma de compreender o Universo.
Só a sabedoria de Deus é imutável, eterna e base sólida confiável.
Todo o resto muda com o giro da roda do tempo.

É como você construir uma casa sem saber se o chão debaixo dela estará ali no dia seguinte.

A fé em ídolos e crenças equivocadas é uma imensa perda de energia mental.
A fé só produzirá um renascimento na alma humana quando ela reconectar-se com a Fonte de tudo.
E a Fonte de tudo nunca esteve na política, na ciência e nem nas pseudo-religiões.
Apenas em um lugar: o Propósito de ser e existir de tudo.
Incluindo a alma humana no centro desse propósito.

JP em 14.11.2020

Comentários
Compartilhar