A Medicina da câmara ressonante de cristal

(Relatos de experiências astrais)

Em tempos em que muitos debatem sobre os avanços da medicina, vacinas, transplantes, genética, ética e tal, fica interessante comparar a nossa medicina com a medicina de sociedades avançadas, as quais pude entrar em contato várias vezes em visitas astrais aos centros de trabalho destas sociedades localizadas em bases UFO muito secretas, as quais você pode visitar em Astral desperto – se for convidado, logicamente.

Nestas viagens, visitando certas bases UFO instaladas na Terra para receber humanos selecionados do rebanho, cardume, massa de manobra, etc, quando vierem os tempos da Grande Tribulação (que os alienígenas superiores conhecem muito bem),
constatei algumas tecnologias fantásticas, inimagináveis pela sua eficiência associada a sua simplicidade.
E uma delas, a câmara de cristal ressonante, me deixou deveras impressionado.

Eu vi corpos de pessoas dentro dessas câmaras, feitas, todas elas, de uma peça de cristal cortado (quartzo branco, transparente) e associado a esse corpo cristalino, um aparelho de frequências múltiplas e ajustáveis, que, por algum mecanismo, conseguiam (as frequências) poder de amplificação no meio cristalino, as quais, aplicadas sobre o corpo físico ali encerrado, eram capazes de curar todas as doenças sem a necessidade de qualquer meio invasivo, como agulhas e mesmo cirurgias!

Tentando entender o modus operandi, descobri que os Aliens avançados (nossos cuidadores e progenitores ancestrais) conhecem com precisão a tábua de frequências fundamentais de todas as partes do organismo vivo (humano e de outras espécies), tendo em mãos a frequência fundamental, por exemplo, do coração, do sangue, ossos, nervos, dos órgãos, de cada tecido e espécie celular enfim. Frequências variadas mas que atuam na semelhança como uma sinfonia de muitos instrumentos, e a saúde resulta no toque de todas estas frequências juntas em precisa harmonia musical, enquanto as doenças aparecem quando um ou mais instrumentos desafinam suas notas em relação ao conjunto harmônico vibrante que é o nosso corpo fisico.

Aliás, toda a relação entre chakras, vórtices de energia do corpo (e o total de chakras é muito maior do que sete – sete chakras são os principais, mas deles derivam-se centenas ou mesmo milhares de sub-chakras) também é definida por esse mapeamento harmônico do organismo vivo, detalhadamente.

Uma visão maravilhosa da nossa constituição, e os exames que eles faziam não priorizavam analisar taxas de elementos no sangue ou na urina, as sim, padrões musicais eventualmente desalinhados na radiografia harmônica do corpo físico!
Uma vez identificado o órgão, tecido ou setor desafinado (e doente), eles aplicavam sobre o corpo deitado, dentro da câmara cristalina ressonante, a frequência exata que, com o tempo do tratamento, por ressonância, fazia aquelas partes desafinadas (e doentes) do corpo se realinharem, recuperando automaticamente a saúde.

Sem cirurgias, sem vacinas, sem fármacos contaminadores, sem injeções de substâncias pesadas!

Nesse momento, cheguei a ter vergonha do primitivismo da nossa medicina moderna, e como parecem rudimentares para eles toda a nossa medicina invasiva.
Transplante de órgãos, por exemplo, é uma medida que eles consideram ABSURDA, por uma série de fatores.
Sem falar em outras coisas.

Quaisquer doenças, por pior que fosse, são curadas ali dentro.
Mesmo aquelas que nossa medicina tradicional considera incuráveis.

Problemas cardíacos graves, câncer, danos no sistema nervoso e até deficiências de origem genética!

Afinal, o mesmo mapeamento harmônico também alcança o conhecimento do DNA das espécies, incluindo humanos, de tal forma que, dentro de outra linha de trabalho e técnica, as câmaras ressonantes podem realinhar nosso DNA, removendo deles os tais defeitos congênitos segundo o mesmo princípio do realinhamento harmônico.
Tudo a partir do momento em que se conheça detalhadamente cada frequência fundamental que rege cada parte do organismo.

Essas frequências, previamente conhecidas e interpretadas pela mente e os comandos nervosos, entravam no sistema físico via ressonância para ampliar e corrigir os padrões desalinhados de vibração das partes doentes detectadas na radiografia harmônica do corpo, e dentro de tempos determinados, essas frequências continuas aplicadas sobre os órgãos doentes iam modificando as estruturas danificadas com poder de restauração: o som atuando na mente, e a mente direcionando comandos de uma espécie de auto-cura induzida.

Sabemos que tanto o Som como a mente tem poder sobre a matéria, não somente a matéria fisica, e que a cura, na verdade, é uma auto-cura induzida pela tecnologia exposta.

Nas minhas visitas, além de corpos vivos (mas adormecidos) dentro destas câmaras ressonantes de cristal, tive o privilégio de ver corpos mortos, mas não totalmente mortos, porque não estavam “defuntos” mas sim num estado suspenso, de hibernação, e a mesma câmara tinha potencial para manter o corpo conservado e também de recuperar suas partes danificadas.
Um privilégio notável para aqueles que morreram debaixo de um selo de eleição divina.
Até porque esta tecnologia extraordinária também tem um limite.
Ela não concede vida. Ela apenas restaura tudo o que exista na vida doente.

Quem concede vida é o espírito da pessoa que, por um mandato especial do Grande Juiz, voltará a ocupar o corpo (que estará preparado para isso) no dia e hora marcadas para o seu renascimento (como a alma de um bebê entrando no feto que se tornou pronto).

Neste caso, renascimento não se dará em uma nova matriz, mas na velha matriz, conservada e restaurada devidamente, como uma roupa velha que foi devidamente reformada.

Inclusive, no livro que fala da visita de Valiant Thor, o líder venusiano, ao Pentágono norte-americano, em 1957 (o livro se chama Um Estranho no Pentágono, de Frank Stranges), aquele capitão ofereceu várias tecnologias para os americanos, incluindo tecnologias medicinais, desde que eles estivessem dispostos a realizar alguns sacrifícios em nome do bem das outras nações menos favorecidas.
Como os americanos se recusaram a isso, Valiant Thor levou de volta suas tecnologias maravilhosas para Vênus.

Um adendo:
Dizem que uma das tecnologias existentes na Grande Pirâmide, dentro da câmara do rei, induzia um espaço de ressonância harmônica sobre o corpo ali inserido, com o objetivo de conservar uma múmia não morta e ressecada, mas uma múmia viva, hibernante…

Detalhe: não é uma medicina que os Aliens inferiores tipo GREY, por exemplo, conheçam ou pratiquem, ela é posse dos Aliens superiores e evoluídos. Até porque os relatos dos abduzidos nos falam em experiências medicinais dos Greys altamente invasivas, traumáticas e dolorosas, pelo que se conclui que a medicina deles também é rudimentar, se comparada com a tecnologia medicinal dos Aliens divinos.


Essa postagem é baseada em uma série de experiências astrais que eu tive, onde vislumbrei, entre outras coisas, a tecnologia medicinal dos alienígenas superiores, conhecida como a câmara ressonante de cristal.

É tão simples o seu processo que se torna tão eficiente justamente por isso.
Por lidar não mais ou somente com massa orgânica corporal, mas principalmente, com massa vibrante!
E não há o que essa tecnologia não cure, restaure ou recupere.
Só não produz vida, logicamente.

Mas conserta todos os desalinhamentos da vida, por uma pura e simples questão de sintonização corpo-mente-espírito.
Coisa que a medicina moderna ainda está anos-luz de distância…

Conclusão
É o caso de muita gente perguntar:

Com tanta gente sofrendo em hospitais, em postos de saúde, em filas, em cidades lotadas, em qualidade de vida cada vez mais deteriorada, em tempos de pandemia, virus (tudo também curável dentro daquela câmara, bastando operar com a frequência básica do samgue e sistema imunológico)…

Por que os Aliens não nos entregam essas maravilhas?
(***)

Porque os seres humanos não merecem.
Simples assim.

Mas que fique claro o seguinte:

Os que merecerem, irão receber tudo isso.
Até porque muitos já estão recebendo.

JP em 27.09.2020

Comentários
Compartilhar