A Chave das Plêiades

 

 

Naturalmente que a teoria extraterrestre é a única que desvenda praticamente todo o enredo repetido das escrituras antigas dos povos, que afirmam, unânimes, que certos seres elevados vieram das estrelas e criaram o homem desde as suas origens.

Plêiades? Seu nome hebraico é KIMÁ, e significa CENTRO.

Curiosamente, inúmeras outras culturas denominaram o grupo das Plêiades com o mesmo atributo de Centro, Umbigo do céu. E o que os pesquisadores não sabem explicar é por que culturas afastadas chegaram a essa mesma conclusão em relação á constelação das Plêiades, um grupo apagado de estrelas mas de alto significado para os antigos, dos aborígenes aos maias, e egípcios, e hindús, e chineses, árabes, etc…O Sol central das Plêiades é Alcyone, e se descobriu que se trata de um sistema estelar quadrúplice, no formato de L. Curiosamente, nos textos do Gênesis, 4 rios irrigavam o Éden original. E o mais espantoso: o nome que os hebreus antigos davam para as Plêiades (o outro nome, antes de Kimá) era “Magadanot”, que significa os laços, as correntes das Plêiades. E este nome é derivado diretamente de Éden!

Portanto, as conexões do Gênesis sobre as Plêiades, a luz da Cabala secreta, são imbatíveis para acusar esse grupo estelar em nossas origens. Hibridismo, criação pelo poder da Palavra, tecnologia e poder espiritual puro aliados na obra, enfim, o fato é que realmente os 4 rios de Alcyone (sistema quadrúplice) irrigam a Terra desde os seus primórdios. A natureza destes quatro rios? Não creio seja gravitacional ou “fotônica”, conforme o astrônomo e esoterista alemão lhe atribuiu no passado século, mas uma natureza ainda superior, de uma energia/força ainda ignorada pela ciência moderna (e que aquele astrônomo não soube explicar por falta de dados), e que certamente desagua em nosso planeta na condição de uma FONTE.

E eu acredito que esses LAÇOS entre as Plêiades e o nosso mundo (e outros) tenham a ver com o “Som das Estrelas”… algo que se relaciona com a Teoria das Cordas em Escala Macrocósmica e que, dentro dessa definição, coloca o nosso sistema solar e as Plêiades dentro de um “Harmônico” contínuo, como um acorde que ressoa entre aquelas estrelas e o nosso Sol (duplo). Esses são os laços que justificam o seu nome.

É como se houvesse uma ressonância harmônica direta e contínua entre as Plêiades e outros sistemas estelares da Galáxia, incluindo o nosso sistema.

Vejam aí o verdadeiro centro de gravidade das Plêiades, e as quatro Alcyones.
(Alcyone A é a estrela mais brilhante)


O Quatro, a Cruz, os quatro elementos,,, e aqui começou toda a vastidão dos símbolos em torno do QUATRO (Tetragrama) que significa, na Cabala, PORTA.
E por extensão, Chave… e elas não parecem mesmo com uma Chave?

A Chave do Éden… (Alcyone é um sistema múltiplo de quatro estrelas da constelação das Plêiades, em forma de chave).
O Pão da Vida, e quem come dele, não terá mais fome.
E viverá para sempre.


Os Dogons africanos afirmam categoricamente, e com provas sólidas de encontros reais (e não canalizações), de que os antigos instrutores do Mundo vieram de Sirius, sob o arquétipo do Peixe.
A Estrela de Belém, Beit-Lechem, que significa a Casa do Pão.
Pão da sabedoria que alimenta a alma, como o Peixe.
Cinco Pães e dois peixes, etc.
Genética recuperada, imortalidade… temos que estudar essas três constelações em conjunto, elas fazem parte de uma mesma chave, mais ou menos assim:

Orion, o Pai.
Sirius, a Mãe
Pleiades, a Fonte, a Origem, a Unidade

“…e o SENHOR TINHA SETE ESTRELAS NA SUA MÃO DIREITA…”
(Apocalipse 1: 16)

A chave de conexão das Plêiades, portanto, não procede de anéis fotônicos, como se publica por ai, e sim, de acordes, de sons, frequências, de cordas ressonantes estendidas entre aqueles sistemas de mundos e o nosso sistema de mundo, e entre aqueles seres e a nossa humanidade ainda bastante primitiva, se comparada a eles… essa é toda a fonte de grande poder que emana daquele grupo de estrelas, com características de fonte no centro das constelações…
JP em 17.12.2019
Comentários
Compartilhar