Templates by BIGtheme NET

O Grande Segredo dos Cavaleiros Templários e a conexão com o Apocalipse 12

Um dos maiores segredos da humanidade, e um dos mais bem guardados até hoje, está na descoberta que um grupo de cavaleiros cruzados lutando em Jerusalém teria feito em suas ruínas… e esse “tesouro”, do qual se apropriaram, mudaria seu status de meros bonecos da Igreja Católica da época em senhores do mundo, inclusive com poderes iguais (ou maiores) que o da própria Igreja, antes de serem perseguidos e eliminados.

O Graal? Os segredos do Priorado do Sião? Os evangelhos de Maria Madalena? Ora, a Obra fala por si. O que os Cavaleiros Templários descobriram é tão óbvio que já fala por si no NOME admitido pela nova Ordem por eles criada: Templária (Templo), e também fala por si no grande segredo oculto nas magníficas obras patrocinadas por eles em toda a Europa, especialmente no norte da França: as catedrais góticas.

O que os Cavaleiros Templários descobriram foi o Tesouro perdido da Ciência Templária do Rei Salomão. Confira os detalhes!

Existe um segredo, o maior de todos eles, criado pela Ordem dos Cavaleiros Templários da Idade Média em um grupo especial de CATEDRAIS por eles construídas e patrocinadas, junto à Igreja Católica da época, e este grupo de Catedrais, seguindo o mesmo estilo da Franco-Maçonaria, se destaca por alguns pontos:

Catedral de Rouen

1) São Catedrais nomeadas NOTRE DAME, isto é, dedicadas à Nossa Senhora. Amiens, Paris, Auxerre, Rouen, Reims, Laon, Chartres…

Catedral Notre Dame de Paris

2) São Catedrais que possuem labirintos no piso interno de suas Naves, o símbolo da peregrinação interior.

Labirinto interno da Catedral de Amiens

 

Labirinto interno da catedral de Baieux

3) São Catedrais, em geral, com uma planta arquitetônica em forma de Cruz e um estilo similar de edifício e símbolos decorativos.

catedral de Amiens

4) São Catedrais relacionadas à Maternidade Sagrada da Virgem, isto é, a imagem da Virgem como Mãe, a ligação entre o formato da Igreja e um Grande Útero ou ventre, simbolismo do Segundo Nascimento cristão, tudo em arquitetura estilo gótico.

Catedral de Reims

O termo arquitetônico nave é originário do grego naos, referente ao espaço fechado de um templo, e do latim medieval navis.

nave é o termo referente à ala central de uma igreja ou catedral

Nave da Catedral de Notre Dame de Paris

5) São Catedrais que, construídas em cidades do Norte da França, desenham a CONSTELAÇÃO DE VIRGEM no mapa daquele país, e colocam a sua estrela principal, ALFA (SPICA) na posição da Grande Catedral de Chartres, a mais bela e significativa de todas elas.

Catedral de Chartres

 

Constelação de Virgem, Nossa Senhora (Notre Dame)

Em 24 de Outubro de 1260 a catedral de Chartes (Spica, estrela Alfa da constelação de Virgem) foi consagrada na presença do rei Luís IX. Veja o ano: 1260: o mesmo número de dias em que a Mulher, Mãe da Criança, se refugiará no deserto, fora da presença do Dragão, conforme o Apocalipse 12.

Todo esse conjunto assinala uma espécie de PROFECIA DO TEMPO escrita nas Catedrais e seus símbolos secretos: a Profecia do Apocalipse 12 e do Nascimento da Criança! Isso porque nesta catedral não há túmulos, e ela mais parece um livro de pedra totalmente dedicado ao Segundo Advento de Cristo e a Assunção de Nossa Senhora!

Aparição registrada em fotos da Virgem Maria em Zeitun, Egito, 1968, sobre uma mesquita

França, a Pátria do Eterno Feminino, a nação da Luz, das grandes aparições de Maria, Lourdes, Paris, La Sallete, entre outras. As conexões com a Flor de Lis, Merovíngios e os descendentes do Sangreal de Madalena.
As origens da Franco-Maçonaria, enfim.

Relações entre a constelação de Virgem demarcada na rota das cidades do Norte da França que tem catedrais góticas Notre Dame, incluindo Paris, Chartes e várias outras, num plano traçado e premeditado pelos Cavaleiros Templários, nas origens da Franco-Maçonaria

 

As estrelas da constelação de Virgem e sua relação precisa com aquelas cidades do Norte da França marcadas por Catedrais Notre Dame, da Virgem Maria.

 

Algumas comparações.

O crop circle de Cley Hill, 18.07.2017, traçou na parte externa a flor de seis pétalas, exatamente como consta no centro do Labirinto da Catedral de Chartres. O labirinto do tempo que atravessou todas as crises da Idade Média e nos alcança intacto agora, neste momento!

Cley Hill crop circle, 18.07.2017 UK

Labirinto no piso interno da Catedral de Chartres

E em 22.5.2017, tivemos o magnífico CC da Deusa, em Cerne Abbas Giant. O padrão VESICA PISCIS é o fundamento arquitetônico das linhas geométricas de todas estas Catedrais Góticas, e podemos intuir uma relação direta entre Catedrais e Crops Circles, construídos PELA MESMA GEOMETRIA HARMÔNICA.

Crop circle da Deusa, em 22.5.2017, Cerne Abbas Giant, UK

Inclusive na Entrada da Catedral de Chartres, Cristo aparece no Ventre da Vesica Piscis, cercado pelos quatro Querubins do Trono.

Cristo no portal da catedral de Chartres, dentro do ventre central da Vesica Piscis, rodeado pelos quatro animais sagrados do Trono divino

O desenho da Deusa também aparece no mapa do Norte da França e suas principais Catedrais, e o seu ventre equivale exatamente à Estrela Spica, Alfa Virgo, que está na Catedral de Chartres.

Podemos aqui pensar na palavra francesa CHARTE (CARTA), que se relaciona com o Mapa Astral e a temática astrológica do dia 23 de Setembro e sua relação com o Nascimento.

Visão do Apocalipse 12

Uma Grande Carta Astrológica prevista para 23 de Setembro de 2017 foi escrita no mapa das Catedrais da França?

Mas… como os Cavaleiros Templários sabiam dela?

Aparições secretas da Virgem Maria e do próprio Cristo lhes avisando sobre este dia e sobre a necessidade de se construir o Memorial das Catedrais Góticas do Norte da França para o grande dia do Nascimento assinalado no Apocalipse 12?

(…)

A ideia, que toma o Cristo como referência, tanto o Mestre pessoalmente falando como no sentido da Egrégora, onde a IGREJA assume valor simbólico, não de templo de pedra ou instituição jurídica em Terra, mas em sentido de energia de agrupamento mental, o que nos leva ao ponto seguinte.
A Última Ceia de Cristo retrata a célula mater de sua Igreja, composta por doze apóstolos, número que se expandiria na egrégora a (12 x 12 x 1000) conforme o Apocalipse 14…
A idéia se baseia num fato real, numa realidade presente não só na Estrela Sirius, mas em todas as estrelas do céu, cada qual governada por um Anjo tutelar específico, sacerdote em seu próprio templo, e todos os templos ligados em rede mental, como uma imensa egrégora que tem seu centro-coração em Sirius.

Todas as estrelas vibram em rede dentro da energia ou pulso crístico, que brota das profundezas da Galáxia mas que tem origem anterior a ela, quando o Verbo disse seu primeiro FAÇA-SE na ocasião do Big Bang…

É como na Terra, temos uma matriz, a Igreja ou sede do Vaticano, e todas as Igrejas e catedrais católicas espalhadas no mundo, todas em rede com as ordens da matriz. Isso foi tirado do modelo lá de cima, das estrelas, e existe uma demonstração disso.

No Norte da França, os templários construíram inúmeras catedrais góticas em cidades diversas, espalhadas, mas juntando o traçado delas, aparece o desenho da constelação do signo de Virgem, e a mais magnífica destas catedrais, erigiram em Chartres, e fizeram dela a igreja central daquela rede estelar, análoga a estrela SPICA, A ALFA DE VIRGEM, que também é uma estrela azul… 

Desconfia-se que o Mestre de Obras envolvido nesse grandioso projeto, anônimo entre os cavaleiros templários, era o próprio Jesus Cristo disfarçado, planejando algo muito grandioso em tal empresa… que não tinha nada a ver com os interesses materialistas da Igreja mundana caída, diga-se de passagem… a ideia era criar uma rede de energia ligando estas catedrais entre si, uma espécie de modelo análogo equivalente do que acontece no céu, na rede das estrelas… relacionada ao número sagrado de 144 mil espíritos, os quais, em união de consciência e pensamento, são a Igreja, e a rede de Igrejas de Notre Dame, ligados diretamente a energia do Eterno Feminino na recepção do Poder crístico em seu segundo e admirávle advento.

A ideia é simples… sabendo nós que a sustentação de todas as civilizações do universo se baseiam em egrégoras múltiplas entrelaçadas, todas vibrando por ressonância justamente por serem parecidas e direcionadas ao significado maior da imagem ou arquétipo CRISTO, então se pudermos criar uma célula dessa mesma natureza e sustentá-la, então, por uma simples questão de sintonia, entrarmos na rede vibracional daqueles mundos, daquelas estrelas, daqueles templos de espíritos congregados…

Discípulos que realizem suas peregrinações, suas romarias, suas cruzadas pessoais, suas jornadas a Santiago de Compostella ou a Jerusalém, Meca ou Macchu Picchu, enfim… núcleos sagrados, suas montanhas e templos,  guiados pela Estrela de Belém que conduz ao segundo nascimento…
Há mais mistérios no passado por solucionar do que mistérios presentes diante da especulação moderna.
Veja também:
http://tonocosmos.com.br/o-labirinto-perdido-de-2009-um-chamado-dos-reinos-ocultos/
JP em 08.03.2019

Comentários