Templates by BIGtheme NET

A Glândula Pineal e o Universo musical

O universo trans-material se torna musical na medida em que toda energia é desvendada segundo uma corda harmônica vibrando no tecido flexível do espaço-tempo.

Músicas  superiores são verdadeiras explosões de sentidos novos, de emoções puras e luzes incríveis para a consciência despida então da expressão material e mergulhada no sabor daquelas cordas que Pitágoras chamou de Música das Esferas, trazendo a tona a concepção de um Universo unificado, ressonante, onde cada parte se confunde com o Todo num fluxo de arpejos, acordes, vozes, instrumentos, sons, ondas, vibrações, tudo coexistindo numa Egrégora de essência absoluta, derramando debaixo de si a fantástica fábrica da Criação, esta sim, bem abaixo, regulada então pela boa e velha E = mc2!

O próprio Einstein declarou:
“O universo se resume, talvez, em notas musicais e regras matemáticas”, e apesar dele não ter sido tão bom músico (violinista apaixonado por Mozart) como foi bom cientista, eu acredito na simplicidade dessa solução.

 

Músicas desse tipo são verdadeiros passaportes para os estados alterados de consciência, por simples efeitos de ressonância sobre o mesmo tecido nervoso que, antes de ser pensante, é pulsante, é vibrante, segundo as mesmas leis da Harmonia, o que garante a conexão… e a viagem!

Poderíamos fazer uma lista: Mozart, Bach, Chopin, Vivaldi, Wagner, Tchaikowsky, Beethoven, Lizst, Haendel…  e todas as suas grandiosas obras para a humanidade!

É claro que músicas tais jamais foram criadas… antes, elas foram OUVIDAS, por mentes afinadas em sintonia com o roçar harmônico dos astros, cordas retesadas de uma Cosmologia ainda inalcançável para o denominado patamar da moderna concepção científica em voga…

Mas enquanto a porta de entrada do Som inaudível continuar lacrada por esse osso duro chamado glândula pineal calcificada, não poderemos OUVIR o Universo.

A ciência qualifica as coisas segundo o que vê, mas quanto ao OUVIR, fala apenas de um vácuo no espaço que impede a propagação do Som, na forma de ondas mecânicas… mas a gravidade canta no espaço, e é onda, e pode ser ouvida sim…
A canção da Terra é a inspiração de toda a sua vida verde e variada pulsando desde o núcleo de seu coração… para quem ouve estrelas, o vácuo é somente uma caixa acústica perfeita… uma estrutura de ressonância ideal…para a visão, o vácuo não passa de matéria escura inerte… ledo engano.

É pela glândula pineal aberta, livre de sais de cálcio e ativa, que os sons do Universo podem ser escutados.

Segundo pesquisas, pessoas comuns tem a glândula pineal calcificada, processo que começa na adolescência e progride ao longo de toda a existência.

Por outro lado, monges e iogues acostumados a prática da meditação regular, bem como pessoas que fazem projeção astral consciente, têm a glândula pineal mais limpa e desobstruída, sem calcificação. E são justamente do depoimento destes que temos ouvido falar dos SONS HARMÔNICOS DO UNIVERSO…

Interessante, não?

Glândula Pineal calcificada, nossa surdez espiritual crônica… glândula pineal aberta, o Olho que tudo vê, e também, o Ouvido que tudo ouve!

A contaminação pelo flúor é causa secundária desta calcificação, o real motivo é a atrofia da referida glândula, cujas funções só podem ser restauradas pelo exercício regular da meditação ou colocar o cérebro em alfa, da mesma forma que se não exercitamos músculos e juntas, eles atrofiam.

Aprendendo a meditar regularmente e a colocar o cérebro na frequência alfa ou outras ainda mais suaves, a glândula pineal se descalcifica, se desobstrui, e entra em atividade, colocando a mente em contato com as realidades ocultas. Ela é a prova de que órgão que não se usa, se atrofia. E a meditação ou o cérebro em alfa não faz parte do cotidiano das pessoas,muito pelo contrario, o stress é a tônica dominante dos pensamentos.

Pesquisas inclusive apontam que o Mal de Alzheimer está ligado à calcificação da glândula Pineal, pelo que de modo algum ninguém em sã consciência pode alegar que uma condição destas é positiva, pelo contrário, determina graus e graus de inconsciência. A calcificação da glândula pineal materializa a própria cegueira espiritual da raça adâmica caída!

A consciência desperta, por outro lado, parece requerer dum modo primordial esse instrumento desobstruído e ativo no cérebro.

Não só sensitivos, mas gênios, artistas, cientistas e místicos inspirados também devem trazer essa particularidade.

Essa seria uma demonstração científica (biológica) simples e acessível dos possíveis poderes paranormais de uma pessoa.

Um simples exame de raio X do crânio determinaria um potencial psíquico superior realmente desenvolvido e ativo, já que pesquisas demonstram a não calcificação da epífise em pessoas com manifestados graus de psiquismo superior, seja em qual área for.

Interessante observar que a simbologia antiga para chifre (demônios) ou halo (anjos, santos) não está longe de ser real, porque a pineal calcificada é um osso pontudo literal que os adormecidos trazem na cabeça, enquanto que o halo de luz é o que resplandece na cabeça dos seres que possuem aquele terceiro Olho em atividade… as simbologias sempre escondem muitas verdades veladas, afinal…

Alguns médiuns alegam que o cristal da comunicação sensorial é a apatita (a calcificação da Pineal) o que é um absurdo, porque se falamos em cristais envolvidos em processos de tecnologia da comunicação, temos que falar do Silício, o mais secreto dos elementos químicos em nossa composição orgânica, que faz parte de todas as nossas estruturas e tem potencial de reconstrução do sistema nervoso num nível de inteligência superior e capacidades psíquicas extraordinárias.

Talvez os crânios de cristal de rocha dos antigos maias fossem mensagens dos antigos com esse apelo.

A chave está no Silício…

Crânio de cristal maia Mitchell-Hedges.

 

Observações: a causa primordial da calcificação da Epífise não pode ser atribuída diretamente ao flúor, como se vê por aí, porque muita gente que mora no campo e bebe água de poço, e não faz uso corrente de creme dental com flúor, também apresenta a referida calcificação.


E a calcificação, como processo de atrofiamento e até degenerativo da referida glândula, também faz decair a produção do D.M.T. aquele neurotransmissor naturalmente produzido por ela e que está relacionado aos estados alterados de consciência, quando liberado em quantidades significativas no sangue.

Portanto, meditem regularmente, essa é a única forma de colocar aquele órgão em atividade, abrindo um poço no meio do cérebro onde jorra água fresca de inspiração e iluminação no pensamento.
O universo é uma sopa de frequências que poderiam ser recebidas e decodificadas pela energia mental. Mas o principal bloqueio para esta sensibilidade superior é a referida calcificação da epífise.É assim que gênios, santos, sábios e mestres recebem suas “dicas” do Universo.  Não só vendo mas, principalmente, “ouvindo” além.

De fato, o corte ou secção do cérebro mostra perfeitamente o design do Olho de Hórus, Olho da Luz. E a pirâmide, em outra escala, com seu provável vértice de cristal capturando as fagulhas do Sol e das radiações dispersas no universo, talvez contivesse a mesma simbologia… nosso vértice psíquico ou nervoso não passa de areia calcárea… então, isso nos confina ao pensamento comum ou raciocínio tridimensional, baseado apenas em 5 sentidos, ou o que nos resta ainda deles…faltam sentidos, faltam coordenadas para que a mente sintetize a consciência completa do universo nos dados recebidos.

Chopin foi um Anjo encarnado, ele, Beethoven e Mozart, quem não lembra do famoso ouvido absoluto de Mozart? Sim, todos eles, ouviam coisas que nós não podemos ouvir… anjos e espíritos elevados encarnados com uma espécie de memória das harmonias celestiais…

Anjos encarnados que trouxeram a Terra o divino ofício de musicistas do Cosmos, co-criadores na Orquestra de Cordas…

São ecos da Criação, ronco das esferas musicais.

É tão bom meditar com músicas suaves, devagar, até que voce comece a ouvir outras músicas, quando o teu aparelho de som já foi desligado…

Sons assim também reconstroem muitos neurônios, e até arrisco: a audição regular da Música Clássica também coloca a referida glândula em níveis de vibração exaltada.

Mas em tempos de música degradante, não só a Pineal, mas todo o cérebro da humanidade está em vias de se calcificar… e cair na cegueira absoluta e na surdez irreversível, que nenhuma trombeta cósmica abrirá!

 

 

A MUSA MAIOR
Pitágoras, Beethoven, Mozart, Chopin, Bach, Vivaldi, Wagner…
Voltem e digam a esses pseudo-artistas modernos o que realmente é MÚSICA!
E como ela pode se transformar no instrumento mais rápido para a conexão com os estados superiores da Alma e as dimensões elevadas do Universo, lá, onde as Esferas roçam e esticam suas CORDAS criadoras de tudo o que existe.
Música (claro, a música verdadeira, e não o lixo barulhento que se produz hoje em dia) é a comunicação mais direta com Deus através das vibrações harmônicas.

Música é a ressonância do Espírito interior com todos os departamentos do Universo… gostos musicais refletem estados sintônicos de alma… e a julgar pelo gosto musical da maioria … música de presídio, música de bar, música de bebedeira, música de bordel… melhor deixar quieto…

Música de espírito tem que ter sintonia, simetria, Harmonia, Magia e Beleza…  é religião sem palavras, é ciência codificada, é coração emitindo e recebendo mensagens intuitivas, abstrativas, enfim…

Na verdade, os grandes compositores nunca compuseram música no sentido de EXTRAIR DO NADA suas inspirações melódicas. O que acontece é que compositores, em determinados estados propícios de espírito, OUVEM FRAGMENTOS HARMÔNICOS VIBRANDO NO UNIVERSO, e os capturam em suas composições.

Beethoven ouvia suas sinfonias no ar, enquanto Mozart dizia que as melodias tocavam inteiras e prontas dentro da sua mente.
Sob essa ótica, ouvir música é como ouvir a Voz de Deus, assim diziam aqueles mestres. 

E concordo com eles.
JP em 30.04.2019

Comentários