Vida, morte e renascimento no símbolo celta do monolito

Na Igreja de St. Giles, Inglaterra, um monólito foi descoberto em 30 de dezembro de 2020. Ele apareceu sem deixar vestígios durante a noite e não se sabe quem ou o que colocou o monólito no cemitério da igreja em Sheldon.

Este monólito é mais alto do que outros monólitos e mais delgado do que o monólito típico.

Os monolitos tradicionais são sempre de METAL. Alumínio, aço ou outras ligas. Isso é relatado em praticamente todas as postagens sobre o tema.

Cemitério da Igreja de St. Giles, Sheldon, Birmingham, UK

Ele é quadrado, tem a parte superior cortada, e com coloração branca (duas cores, prata manchada na parte inferior e branco na parte superior).

Simbolo celta, espiral dupla, Sistrel

O diretor da igreja e os habitantes locais não têm ideia de como ou por que foi colocado lá. Tal artefato nunca teria permissão de planejamento para ser colocado em um lugar tão sagrado. Este não é o tipo de coisa que se esperaria em um cemitério, mesmo por vândalos locais, especialmente em uma cidadezinha tão pacata como Sheldon.

A gravura é idêntica às gravuras celtas que decoram os túmulos das passagens na Irlanda, especificamente Newgrange e Knowth.

Este símbolo celta, com dupla espiral invertida, já apareceu em vários modelos de crops circles.

Crop circle inglês de espiral dupla e monumento celta com o mesmo símbolo

A espiral dupla Sistrel ou Celta foi encontrada em muitas cavernas irlandesas e simbolizava a dualidade das coisas. Os celtas usavam este símbolo para representar os equinócios (época do ano em que dia e noite têm as mesmas horas).
É considerado o equivalente do yin-yang na cultura oriental.

A espiral dupla representa o equilíbrio entre duas forças opostas. Ele também simboliza o despertar espiritual, a concorrência do mundo físico com o reino espiritual. Nascimento e morte, criação e destruição existem em equilíbrio e são representados, também, pela dupla espiral.

Triskelion, a espiral tripla celta

A dupla espiral é vista como um símbolo de equilíbrio e também como um sinal dos equinócios. Alguns sugerem que a espiral representa o sol e a espiral dupla a jornada do sol ao longo do ano. O uso do número três é bastante comum em símbolos celtas.

Espirais simples, duplas, triplas e até quádruplas são comuns na simbologia do mundo celta, com significados paralelos.

Deusa celta com padrões espirais rúnicos



E o mais interessante, diversos crops circles já reproduziram a mesma linguagem dos símbolos celtas, em todos os formatos, espirais, cruzes, nós, etc.

Abaixo, alguns crops circles de espiral dupla:

Crop circle inglês 18.08.2002
Crop circle inglês 26.07.2004
Crop circle inglês 13.07.2013

Análise
Primeiro, o monolito apresentou estrutura incomum quadrada (forma de paralelepípedo) com duas cores distintas, prata manchada na parte inferior, e branco limpo na parte superior.
Diante de uma igreja, em um cemitério.

Poderia ter sido colocado apenas diante de uma Igreja, ou apenas dentro de um cemitério.
Aliás, é o primeiro a aparecer dentro de um cemitério.
É nesse cenário de contexto que a espiral dupla deve ser investigada, com seus múltiplos significados direcionados de uma forma mais específica.

Igreja, Cemitério, vida, morte e ressurreição.
Obviamente, a mensagem é direcionada à ressurreição física e a renovação de toda a vida na Terra.
Altos e baixos, cosmos e caos se alternando na curva do tempo, quando ela se fecha em seus ciclos.

Nascer e morrer.
Gênesis e Apocalipse, o Alfa e Ômega bíblicos.

Tanto é assim que o monolito é quadrado (matéria, cubo, estrutura 3D) e não triangular, como das outras vezes (que melhor representam modelos de energia, teletransporte associados à geometria dos tetraedros e pirâmides, etc).

Essa ideia é reforçada pela estrutura dual do monolito.

Na parte inferior, uma prata manchada: corpo físico deteriorado, morto (cemitério)
E na parte superior, um metal branco e limpo: o corpo físico renovado, restaurado, curado, ressuscitado. Como o resultado de uma transmutação alquímica superior.
Os eleitos de Cristo vestindo roupas brancas cintilantes nas dimensões superiores após o arrebatamento!

O que fica em baixo é a matéria inferior, corrompida, manchada pelos pecados, mortal.
E o que ascende às dimensões superiores é a matéria purificada, branca, espiritual, imortal.

E a forma e o local onde o monolito foi colocado parece até sugerir um corpo físico enterrado (no cemitério local) emergindo, como um corpo branco, ressuscitado (o linho branco limpo, na simbologia cristã da ressurreição).

A própria definição dual do símbolo celta se conecta então com essa dualidade simbólica do corpo mortal na terra e o corpo imorta ascensionado (para o céu, dimensões superiores).

Um estranho monolito em forma de caixão já tinha aparecido antes numa praia da Inglaterra, de modo que este monolito pode ser tomado como uma mensagem continuada daquele.

Ramsgate, Inglaterra, dezembro 2020

Aliás, crops circles também já enviaram muitas mensagens deste tipo ao mundo, com valores cristãos e alquimistas referentes a ressurreição física, transmutação da matéria, poder da mente e todas aquelas ciências do espírito muito desconhecidas no moderno mundo de consciência materialista, que vive em função da aparência, do prazer, da sensação do momento, da satisfação imediata do ego, das posses materiais, enfim, da consciência totalmente adormecida, emparedada dentro de suas ilusões.

Das quais não deseja renunciar.
Então, tal ciência do espírito é alta demais para essa humanidade.
E que nem se interessa por ela.

Da mesma forma como porcos não se interessam por pérolas…

JP em 21.01.2021

Comentários
Compartilhar