“Túnel do Tempo” que data diversos períodos da história é descoberto em Israel

Restos de edifícios com centenas de anos de história foram descobertos na cidade de Safed, no norte, incluindo um poço de água do século 16 e um túnel mais recente cavado para atacar posições judaicas durante a Guerra da Independência de 1948, disse o município de Safed em um declaração terça-feira.

Os restos mortais foram descobertos durante as escavações para construir um mirante sobre o Monte Meron que está sendo instalado na Praça Ashtam da cidade.

“Este é um achado fascinante e emocionante que revela uma extensa história da cidade e uma espécie de túnel do tempo de diferentes períodos da história” da cidade, disse o prefeito de Safed Shuki Ohana.

Oren Zingboim, da Autoridade de Antiguidades de Israel, explicou que existem quatro camadas para os achados no local: um edifício do século 20 construído durante o Mandato Britânico da Palestina em cima de um piso do século 19, sob o qual estão os restos de uma construção destruída no Terremoto de 1837 que arrasou grande parte da cidade, além dos restos de uma muralha do século XVII.

“Tudo isso está cobrindo uma abertura para um incrível poço de água e reservatório do século 16”, disse Zingboim no comunicado.

Os arqueólogos também encontraram os restos de um túnel cavado durante a Guerra da Independência por árabes do bairro muçulmano, que esperavam atacar o prédio Ashtam, que era uma fortaleza e local de armazenamento de armas para os combatentes judeus na cidade.

De acordo com o comunicado, a presença do túnel está alinhada com um relatório de Benjamin Geiger, o comandante da força de milícia Haganah em Safed durante a Guerra da Independência de 1948, que escreveu sobre os combates e notou ter ouvido o som de escavações, como conta o site Times of Israel.

Os pesquisadores avaliaram que o local ficava no centro da cidade durante o século 16, considerada a época de ouro do domínio do Império Otomano, durante o qual Safed viu um rápido desenvolvimento e expansão.

Na época, judeus expulsos da Espanha estavam chegando à cidade, que via boas relações entre judeus e muçulmanos residentes, disse o comunicado. Durante esse período, Safed foi um centro cultural central ligado a cidades de todo o Mediterrâneo.

O município de Safed iniciou um projeto para preservar o local e iniciou um exame mais detalhado das descobertas. Eventualmente, o local será desenvolvido como uma atração turística, disse o comunicado.

Comentários
Compartilhar