Símbolo sumério de NIBIRU aparece no novo crop circle!

Um enigmático crop circle apareceu na Inglaterra no dia 17 de Junho de 2020.

Símbolo sumério de Nibiru e dos Anunnaki, símbolo templário e um mapa do tesouro, ou um anúncio de sinal cristão e o esperado retorno?

Cada uma e todas essas coisas juntas, além de referências ao desvio magnético e outros indicadores, todos num mesmo símbolo, algo peculiar desse tipo de mensagem universal na linguagem dos símbolos.

Hunt’s Down, Wiltshire, UK, 17.06.2020

Num modelo que parece combinar um símbolo templário (Cruz) no centro de um modelo astronômico.
A frente, temos o eclipse solar de 21 de Junho, considerado por muitos (e eu também) como incomum e carregado de carga profética.
Falamos em Catedrais templárias nestes dias.


Vamos aos estudos!

O Sinal da Cruz de NIBIRU

O mais incrível neste crop circle do dia 17 de Junho, em Hunt’s Down, UK, é a combinação com um modelo astronômico de um símbolo mistico, uma variação de Cruz Templária (existem muitos modelos).

O Eclipse solar do dia 21 de Junho, no entanto, não mostra no céu nenhuma configuração planetária em Cruz, de modo que a data de algum evento a tal combinação pode ser daqui a alguns meses, e não imediatamente.

Existirá algum cenário astronômico futuro para o tal “Planeta da Cruz” ou Planeta que cruza, a tradução do nome sumeriano NIBIRU?

Sim, em outubro deste ano.

O símbolo sumeriano de Nibiru no disco solar alado é idêntico.
Então, esse crop circle é realmente uma referência ao astro que cruza as órbitas do Sol!

Esse cenário de planetas em cruz realmente vai se formar ainda este ano…setembro para outubro… talvez este crop circle seja um sinal referente a aproximação do objeto P 7X (Nêmesis, vulgarmente chamado de Nibiru) já cruzando as órbitas internas do Sol.

As direções da cruz estão em um ângulo de inclinação de aproximadamente 25° em relação aos quatro objetos em posição de cruz na órbita externa, sendo que o objeto circular maior, com um anel em torno, é a Terra, ou mesmo o Sol, destacados neste cenário.

Estamos recebendo coordenadas de posição de Nêmesis ou Nibiru P 7X!

Coordenadas de Nibiru (Nemesis) no crop circle da Cruz

O Astro invasor, o Planeta que Cruza, o Planeta da Cruz.
Um símbolo templário que nos fala de tempos proféticos, bíblicos, apocalípticos, e que também aponta para o antigo símbolo sumeriano de NIBIRU, o planeta da cruz (porque cruza órbitas internas do Sol).

Atualmente, os astrônomos que estudam o objeto P 7X sabem que ele está na órbita de Jupiter, e se aproximando cada vez mais da órbita de Marte e dos asteroides, o que já estaria causando incidência de meteoros e bolas de fogo no céu de forma anormal.

Encontrei duas coordenadas astronômicas dentro deste crop circle.
A primeira, mostra a combinação de quatro grupos de astros em cruz exata no dia 10 de Outubro de 2020.
Sol, Lua, Marte e o grupo Jupiter-Saturno-Plutão, e este grupo é onde se encontra atualmente o objeto P 7X, nas estrelas de Capricórnio.

A segunda coordenada tem relação com esse ângulo de cerca de 25° entre o objeto central em forma de cruz e os quatro astros dispostos em cruz. Há um angulo de cerca de 25°, e vendo a posição estimada do objeto P 7X nestes dias de junho (mapa inferior) a diferença angular entre Sol e Terra, do ponto de observação do próprio Nibiru, é de cerca de 25°, o que faz desse círculo maior, separado e destacado da formação, com um anel, o próprio segundo Sol, representado no centro pelo seu símbolo.

Há muitos símbolos parecidos com eles, todos eles associados ao Sol ou aos astros representados com asas, e tal simbologia antiga deu origem a várias interpretações, desde Anunnaki em suas naves até o segundo Sol, Sol alado, planeta da Cruz, Nibiru, etc.

Então, são no total, três coordenadas:

1. O símbolo do objeto em cruz, estilo templário, idêntico ao símbolo sumeriano do disco solar alado,
2. A disposição de quatro astros em cruz, verificada em outubro,
3. A abertura angular entre o Sol e a Terra do referencial do P 7X neste mês de Junho, e talvez se conservando aproximadamente neste ângulo até outubro, quando a cruz no céu se forma.

Os ventos ficarão cada vez mais fortes a medida que as asas de Nêmesis se aproximem do Sol…

Sinais no céu

Além do conceito astronômico, temos que lembrar dois outros conceitos fundamentais implícitos a este símbolo notável no centro de um cenário astronômico em movimento… o símbolo místico e o símbolo ufológico.

O símbolo místico nos fala de uma cruz templária, e existem vários modelos, todas elas derivadas de um mesmo símbolo primordial, a Cruz, e que, muito antes de Cristo, já aparecia em todas as partes da Terra, herança dos Anunnaki ou, mais especificamente, símbolo venusiano puro, reconhecido inclusive como tal em muitas culturas pré-colombianas.

A cruz no meio do céu pode ser um símbolo de expressão profética cristã, porque, segundo consta nos registros sagrados, Cristo voltaria ao mundo sobre as nuvens, supostamente, sobre uma Merkabah, conforme a interpretação ufológica do conceito.

E então, aparecerá o Sinal do Filho do Homem no céu, e todas as tribos da Terra lamentarão”
Mateus 24: 30

Esse é o sinal do retorno de Cristo.

E essa interpretação coexiste com as profecias sobre os deuses astronautas da antiguidade, que prometeram também voltar ao mundo no dia da grande colheita, margeando o final do Grande Ciclo.

Dessa forma, os conceitos místico e ufológico convergem para um só: a assinatura dos deuses das estrelas na cruz, através de grandes sinais para o mundo, um mundo cada vez mais conturbado.

Muitos símbolos sumerianos colocaram DEUSES associados a estas cruzes solares aladas, divindades dotadas de grande poder. A Merkabah de Ezequiel é outro objeto ufológico famoso, e totalmente composto de símbolos de CRUZ:
Quatro rodas, quatro criaturas, quatro asas.
Vejam como todas estas simbologias místicas e ufológicas convergem para o mesmo sinal, a Cruz.

E se você pensa que acabou … notou o dia da formação?
Dia 17.
Arcano 17 significa A ESTRELA, ou o sinal estelar.
Sabe de onde vem a palavra Estrela?
De Ishtar, divindade venusiana da Mesopotâmia…
IShtar, Ashtar, Star, Stela…

Assim, não descarto a possibilidade de grandes sinais ufológicos no céu, talvez no glorioso eclipse solar de domingo, ou depois… porque a colheita é iminente.

E a revelação de tudo o que ficou escondido até agora, também!

A grande colheita se aproxima

“Imediatamente após o tormento daqueles dias, o sol escurecerá e a lua não dará a sua luz; e as estrelas cairão do céu, e os poderes celestes serão estremecidos.
Então surgirá no céu o sinal do Filho do homem, e todos os povos da terra prantearão e verão o Filho do homem chegando nas nuvens do céu com poder e majestosa glória.
Ele enviará os seus anjos, com poderoso som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus.”
Mateus 24: 29-31

E me parece que os Mensageiros de Cristo já estão notificando o mundo sobre essa colheita com datas… porque eles fazem parte dos Anjos a serviço de Deus.

O Sinal dos Escolhidos

A interpretação cristã desse magnífico símbolo com uma cruz templária no centro (e os templários sempre se associaram a causa cristã) e que nos leva ao sinal do regresso de Cristo nos céus, fala também da eleição dos 144 mil, porque está escrito que, com este mesmo sinal, eles seriam selados pelo Grande Anjo do Sol, e depois disto, seriam reunidos pelos quatro Anjos nas quatro direções da Terra.

Lembra-se do Êxodo de Moisés, quando todos os filhos de Israel, libertos do Egito, tiveram suas casas seladas com sangue de cordeiro para evitar a passagem do Anjo da Morte?
Esse selo é o TAU, a Cruz, a letra 22 do Taro, que soma
2+2 = 4

Então, o que temos no crop circle?
O sinal da Cruz (Cristo, Templários) no centro, e quatro círculos nas quatro direções cardeais, exatamente como anunciou Mateus 24:

Então surgirá no céu o sinal do Filho do homem, e todos os povos da terra prantearão e verão o Filho do homem chegando nas nuvens do céu com poder e majestosa glória.
Ele enviará os seus anjos, com poderoso som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus.”
Mateus 24: 30-31

E lá no Apocalipse 14 temos o relato sobre os escolhidos:

“E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham escrito o nome de seu Pai”
Apocalipse 14:1

E sabe qual o Nome do Pai, conforme as Escrituras antigas?
IHVH ou Tetragramaton, o Nome da Cruz.
Ou a cruz em forma de nome de quatro letras sagradas.

E olhe outra vez para o crop circle.
Encontra 1.4.4. ali?

Fácil.

Desvio do campo magnético

Como este tema é recorrente nos crops circles, ele pode estar sendo sugerido no novo crop circle de 17 de Junho, se interpretarmos o círculo maior com quatro círculos em cruz como sendo os pontos cardeais, e a cruz templária central como sendo uma bússola que está desalinhada em relação aos pontos cardeais ou pontos de marcação tradicional dos pólos magnéticos, em cerca de 25°.

Ao lado, aquele círculo maior na órbita, com um anel, pode representar a fonte da perturbação: P 7X, o astro que se aproxima.

Segundo as pesquisas mais recentes, o polo norte magnético se move mais depressa que o polo sul, e aquele se deslocou da Russia para o Canadá, o que, em termos de deslocamento angular, pode corresponder ao desvio da orientação da cruz do crop circle em relação aos quatro pontos cardeais assinalados.

A velocidade do deslocamento preocupa os cientistas, e uma possível inversão magnética a frente causaria impactos inimagináveis. Muitos desses impactos parciais já podem ser dimensionados atualmente.

A imagem da cruz central desalinhada com os quatro pontos cardeais pode também estar indicando perturbações na rotação terrestre: porque o campo magnético nos dá o Norte-Sul, enquanto a rotação terrestre é que define o eixo Leste-Oeste, completando desta maneira os quatro pontos cardeais com base em fenômenos astronômicos e geológicos, todos sofrendo alteração por causa daquele objeto maior ao lado, invadindo a órbita da Terra (porque Nêmesis ou Nibiru é aquele que CRUZA as órbitas do Sol).

O Mapa do Tesouro Templário

Quem já não viu algum filme, cartoon ou um livro onde o clássico mapa do tesouro era marcado por um grande X dentro de um círculo ou mapa com os quatro pontos cardeais assinalados?

Como a Cruz central do crop circle é de estilo templário, e como a Ordem Templária, Cavalaria real de Cristo, esteve envolvida com muitas histórias sobre tesouros de grande valor encontrados nas ruínas de Jerusalém durante as Cruzadas, então este crop circle pode, entre outras interpretações, TAMBÉM mostrando o X do grande tesouro templário.

O Conhecimento perdido de Salomão?
A Arca da Aliança?
O Santo Graal?

Já relatei diversas vezes aqui que a Ordem Maçônica Templária patrocinou a construção de um circuito de catedrais góticas no norte da França em cidades que, vistas do alto, formam o desenho da constelação de Virgem no céu. E todas as catedrais são em honra a Virgem, Nossa Senhora, Notre Dame, em francês.

Paris é a capital da França e abriga a catedral mais conhecida. Porém, no mapa elaborado pelos Cavaleiros Templários, não foi a Catedral de Paris a eleita para centro da codificação, mas sim, a Catedral de Chartres, a oeste de Paris.

Tomando o mapa do Norte da França, com as cidades assinaladas pelas catedrais góticas nelas construídas, podemos criar um paralelo com as imagens do crop circle.

A Catedral de Paris seria o círculo maior assinalado na órbita circular, e os quatro círculos menores, quatro catedrais dentro daquele circuito no mapa, e temos mais de quatro inclusive: Rouen, Lisieux, Alençon, Beaumont-sur-Sarthe, Orleans, Meiun, Dreux… e no centro do grande circulo, marcada pelo X, está Chartres, a mais bela e enigmática de todas elas, que os Cavaleiros Templários, com sua ciência maçônica nos primórdios, fizeram corresponder à principal estrela da constelação de Virgem, a gigante azul SPICA, a Espiga – que a Virgem colhe da terra (sentido de Igreja como colheita espiritual).

De tudo o que eu já estudei e ainda estudo sobre essa magnífica Catedral, não duvido que ali exista um grande tesouro oculto. Que tesouro? O Santo Graal? Escrituras perdidas, ciência de Salomão?

Talvez um tesouro que não esteja ao alcance do homem moderno encontrar.

Este não foi o primeiro crop circle com referências aos Templários.
Lembrando que, no dia 14 de Junho, apareceu um modelo solar com 12 pétalas que corresponde com precisão a ornamentos e vitrais de várias catedrais francesas, e principalmente, corresponde à roseta da entrada principal da Catedral de Chartres, como vimos antes pela técnica da sobreposição de imagens.

Mas não pensemos aqui em tesouros de ordem material, eles pouco valem diante do verdadeiro tesouro que os Templários esconderam dos profanos até a morte: um tesouro de Conhecimento Superior que transcende todas as religiões de letra morta e crenças de guias cegos.

Um Conhecimento capaz de nos conduzir ao caminho perdido da Árvore da Vida e de seus frutos, que dão vida eterna.
Um tesouro chamado VERDADE.

“Conhecei a Verdade, e a Verdade vos libertará!”
Jesus Cristo

A Pirâmide Octogonal do Egito no crop circle

Nosso amigo e colaborador Lucas Berri observou uma relação interessante entre o crop circle da cruz templária (e
suméria) e a pirâmide de Quéops, Egito antigo, cuja planta aérea é levemente octogonal, conforme as imagens.

Essa planta octogonal (estrela de oito raios) na Grande Pirâmide justifica em seu design a mitologia em torno
destes monumentos, considerados pontes ou escadarias de acesso ao céu pela alma do faraó morto, que foi julgado
e confirmando por Osíris em seu Tribunal.

Aliás, o design de estrela de oito pontas (octogonal) já era encontrado na Suméria e nas referências aos deuses
descidos das estrelas, Anunnaki.

Neste crop circle, vemos a cruz templária (termo que significa DO TEMPLO, pertencente ao Templo – e os templos
representam exatamente isso, as conexões entre o mundo material e o mundo estrelado e espiritual, donde vieram
os deuses), e a cruz está levemente desalinhada em relação aos quatro pontos cardeais sugeridos no círculo ao
redor, em posições simétricas num quadrilátero.
Eu medi cerca de 25 graus, e isso pode nos levar aos 23.5 graus de inclinação do eixo de rotação da Terra, o
produtor das quatro estações (outra conexão com estes quatro pontos circulares ao redor da cruz).

Esse desnível entre a cruz e os quatro pontos assinalados pode representar os abalos no campo magnético da Terra (nos eixos norte e sul magnéticos) e na rotação (eixos leste-oeste).
Profecias hopi falam dessas alterações da rotação planetária, o que pode acontecer em função dos abalos do astro invasor e seu potente campo gravitacional e eletromagnético.

No entanto, Lucas encontrou um alinhamento com certas projeções da cruz e os quatro pontos assinalados, o que ilustra a geometria da cruz na pirâmide como antigo marcador das coordenadas da Terra, já conhecidas pelos antigos egípcios, com bastante precisão, incluindo o fato de que as faces da pirâmide estão voltadas mesmo para os quatro pontos cardeais.

Não somente a Pirâmide do Egito, mas muitos templos sagrados de outras culturas têm referências arquitetônicas diretas ao octógono, que é a matriz geométrica que significa ESTRELA, para indicar não somente os templos como pontes ao mundo estrelado, mas também para retratar a identidade daqueles que de lá vieram (Anunnaki).

Um dos principais simbolos, portanto, dos cavaleiros templários, é esta cruz com base na geometria octogonal, com muitas variantes.

Ishtar (Vênus), Ashtar, Star, Stella, Eteila, Estrela… paralelos do termo em vários idiomas preservando o segredo.

Uma brilhante observação, Lucas!

Contagem regressiva?

Sinais e eventos no eclipse solar?
O crop circle apareceu exatos 5 dias antes de 21.06.2020

JP em 19.06.2020

A aceleração da transformação do Sistema

Dois crops circles repetem o mesmo tema,
o fluxo dos quatro elementos dentro de uma cadeia precisa de energia circulando.

Sabemos que as relações de Deus no Espírito são representadas pelo número três, ou triângulo, e as relações de Deus no mundo material e energético são representadas pelo número quatro, ou o seu signo supremo, a Cruz e suas inúmeras variantes, como a cruz templária, a cruz celta, a cruz cristã-latina, a cruz grega, a cruz orlada (Parravicini) a cruz suástica, etc, todas elas derivadas dum mesmo segredo de operação de energia sobre a matéria com base no equilíbrio dos quatro elementos em balanço polarizado de energia circulando num sistema qualquer.

A Terra sempre recebe esses influxos de energia a cada novo alinhamento, e eu estou certo que o eclipse anular de amanhã (21.06) injetará grande quantidade de energia na Terra, porque é uma polarização cósmica (Sol e Lua) afetando os quatro elementos materiais, ou quatro estados da matéria, no sistema terrestre.
Energias muito fortes que a Terra dissipa na forma de eventos cataclísmicos, e a humanidade infelizmente dissipa na forma de violência e guerras.

Sábio o homem que emprega estas forças circulando para transformações positivas do seu ser inteiro, corpo e mente, abrindo portas para o Espírito e usando a energia como fonte geradora de consciência!

Acredito que amanhã, domingo, dia do eclipse, um novo e belo crop circle vai aparecer para aprofundar todas estas ilustrações.

JP em 20.06.2020

Veja também:

Comentários
Compartilhar