Os Híbridos de Vênus

Não somente nas escrituras bíblicas, mas em literaturas diversas dos povos antigos de todos os lugares, anjos, deuses ou seres das estrelas desceram na Terra e ensinaram aos humanos muitas técnicas e conhecimentos, alem de interagirem com eles no sentido “genético” de uma parceria em termos de cooperação evolucionária.
Eu falo dos seres híbridos, e os famosos semi-deuses da antiguidade, que eram filhos geralmente de mulheres humanas e deuses paternos.

Lembrando que, nos registros bíblicos, aquelas concepções especiais gerenciadas por “Anjos” em mulheres consideradas estéreis, podem ser consideradas uma hibridização com venusianos, já que sua espécie é muito semelhante a humana, e ao que parece, procedem de uma origem comum, tanto que muitos pensadores e estudiosos chamavam Vênus de irmão gêmeo da Terra.

Na linguagem mitológica, semi-deuses eram aqueles filhos entre deuses e humanos, o que também é uma pista para o processo de hibridização no passado, dotando-lhes de características e atributos de força e inteligência muito acima da média.

O DNA dos venusianos é similar ao nosso, de modo que há especulações de que os 144 mil (o trigo da Terra, as primícias) tenham caráter de semi-deuses, ou filhos híbridos com raças superiores.

Na linguagem esotérica, o raio do planeta Vênus corresponde à energia amorosa e criadora do Espírito Santo, o que nos leva a pensar em Jesus com sendo híbrido da mais alta casta venusiana, afinal, não disse ele ser A Estrela da Manhã? (Vênus).

Mas tendo caído a estrela da manhã, passou a se chamar Lúcifer, e sua casta maligna se formou daqueles anjos caidos que copularam com mulheres humanas, gerando os Nefilim, que antes de significar GIGANTES, significam CAÍDOS… conforme declara o Gênesis 6, abrindo a necessidade de se resgatar a pureza da Terra dentro de uma Arca antes da grande Onda renovadora.

O pai de Jesus não foi humano. Humana foi sua mãe, sagrada Virgem, fecundada pela energia do Espírito Santo, que é Vênus de acordo com a Teosofia.
Claro, os híbridos da esquerda, os greys, também existem. Dualidade, o positivo e o negativo. E se os híbridos da semente maligna dos greys existe, é porque antes sempre existiu o processo de híbridos venusianos na Terra, uma espécie de evolução cooperada, assistida e amparada pela semente não corrompida dos venusianos, talvez os irmãos de Adão e Eva, que não caíram do estado de Graça do Éden…. talvez aquele filho obediente que nunca abandonou a casa do Pai, irmão do filho pródigo, que resolveu abandonar o caminho certo e se entregou aos porcos e a vida mundana, para depois retornar, arrependido.


Há muito o que se compreender de tudo isso.
Mas o ponto mais forte é o símbolo de Davi: eu sou a raiz e a geração de Davi,


Eu sou a Estrela da Manhã. Realmente a história secreta dos hebreus e sua semente selecionada nos faz pensar em um processo dessa natureza com as raças arianas-venusianas em suas misteriosas origens na Europa central, os celtas, os semitas, os hindus, os egípcios, etc… segredos da Arca de Noé que ainda não foi compreendida além da imagem de um barco de madeira.

E Adão, algo além de água e argila…

JP em 01.03.2020

Comentários
Compartilhar