O Triângulo Divino

 
Em muitas concepções científicas, o Universo se assenta numa mesma estrutura fundamental que o espírito e as doutrinas antigas que o descrevem para o mundo moderno, uma estrutura triangular, e todas elas garantem que tudo o que existe, existe em três tempos e movimentos:
 
1) Emanação: a origem de tudo
2) Criação: a consolidação de tudo
3) Transformação: a reciclagem e renovação de tudo, voltando ao ponto de partida.
 
Antigamente, quando Astrologia e Astronomia eram uma coisa só, essa trilogia foi identificada nos doze signos do Zodíaco de modo similar, havendo ali quatro elementos (a essência da matéria) e três ritmos cósmicos.
 
Os quatro signos (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes), fazem parte da cruz mutável, aquela associada ao Espírito Santo, Shiva, o transformador, enquanto a Cruz fixa (Touro, Leão, Escorpião e Aquário) pertencem ao raio de Cristo, ou Vishnu, o Filho, o Verbo sustentador e fixador do Universo, e a primeira cruz, chamada Cardeal ou energética, nos signos elementares de Áries, Cancer, Libra e Capricórnio, se vinculam a emanação primordial, o Pai, ou Brahma, fechando a trindade cosmológica dos princípios.
 
Esta é a Trimurti hindu, idêntica à Santíssima Trindade Cristã e outras alegorias tríplices das antigas religiões.
 
Nossa própria existência se fundamenta numa triplicidade bem conhecida: corpo, mente e espírito, e podemos dizer que a mente ou atividade mental é o estado intermediário entre a nossa parte física visível e concreta, o corpo, e a parte invisível e abstrata, o espírito, que então lhe demonstra.
 
E o próprio tempo é outro triângulo bem conhecido, passado, presente e futuro, fluindo em ciclos fechados menores dentro de ciclos também fechados, e maiores, numa cadeia de matéria e energia que parece reter tudo nos domínios da Ilusão, quando nada permanece como é, carecendo de realidade substancial.
 
Porque, a todo tempo, nossa alma, corpo e mente inseridos na força das três cruzes entrelaçadas encontram alimento, transformação, elevação, mudança, vitalidade e espiritualização, que se tornarão mais fortes no dia em que tomarmos parte consciente de tudo isso.
 
É como se nós fossemos unidades tríplices individuais inseridas na Cosmologia da Grande Unidade Tríplice, ou triângulo das forças que sustentam, formam e transformam tudo, na qualidade de fractais, criados a imagem e semelhança do Criador.
 
Afinal, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, antes de estarem governando os Universos sem fim, existem dentro de nós como três partículas integradas a todo esse Sistema, porque o que está fora é igual ao que está dentro, só muda a escala de tamanho, o que já estabelece ressonância!
 
Mas, para quem consegue enxergar a devida grandeza deste conhecimento, ele vale mais que ouro. Sequer tem preço!
Deixa que Deus dentro ouça a Voz de Deus fora… e siga o chamado!
 
Que pode se parecer com um belo acorde de inspiração em três tons perfeitos soando entre o passado e o futuro, naquele momento presente que também estabelece um portal no tempo de conexão com o Infinito… quando o Três volta para o UM, e o Um entra na porta do NADA para voltar a ser TUDO novamente!
JP em 18.12.2019
Comentários
Compartilhar