O primeiro crop circle de junho na Inglaterra parece prever colapsos no Campo Magnético da Terra

O primeiro crop circle de junho na Inglaterra, em Wiltshire, 11 de junho

Uma visão antecipada do Eclipse anular de 21 de Junho próximo?
E uma soma de efeitos desencadeando perturbações de todo o tipo, climáticas, sísmicas, vulcânicas, solares, magnéticas?

Um Sol interno desenhado no circulo central do novo crop circle
Vejam vocês que as interpretações devem ser localizadas no poder solar, porque o círculo maior central é um Sol detalhadamente desenhado nas hastes das plantas rebaixadas.
Em breve, imagens melhores e mais próximas nos permitirão verificar melhor os detalhes.
Dia do eclipse solar, 21 de Junho, dia sagrado, o dia mais longo do ano (Hemisfério Norte e o verão).
E este verão promete novos impactos de energia, como no ano passado.

Eclipses de Junho

Numa análise simples, e dentro de uma leitura que segue padrões anteriores, vemos neste crop circle elegante uma representação dos alinhamentos Sol, Lua e Terra dentro do período dos eclipses de Junho, a saber, eclipse lunar (dia 5 de Junho) e eclipse solar (anular) no próximo dia 21 de Junho.

E como sempre, até repetindo os temas dos crops circles franceses de 2019, vemos ONDAS DE ENERGIA GRAVITACIONAL sendo geradas no alinhamento (estamos dentro dele), e como bem sabemos, os impactos que tais alinhamentos e energias geram no sistema solar.
A inversão magnética do campo da Terra é apenas um dos problemas do sistema total abalado.

Esperemos então por abalos planetários nos próximos dias.
O Eclipse solar total será daqui a 10 dias… muita coisa poderá acontecer até lá … e depois.
Porque em 21 de julho há outro grande alinhamento.

Rupturas orbitais

Além do alinhamento expresso (eclipses), existe algo estranho nesse modelo.

Vemos o Sol central, a sequência de duas órbitas (Mercúrio e Vênus) e a Terra, seguida da Lua (em formato crescente).
E existem duas “quebras” nas órbitas de Mercúrio e Vênus (marcadas em X) em um arco de aproximadamente 135°.
Algum tipo de abalo que afetará os planetas vizinhos?
Uma espécie de oscilação aparece, e que reforça a mensagem recente do crop circle Yang-Yin (30.05.2020).

Abalos magnéticos, inversão de campo, um sistema que manifesta extremismos em tudo, cada vez mais, temperaturas extremas, energias extremas.

O maior mistério neste modelo é: o que significa as rupturas nas órbitas de Mercúrio e Vênus?
Poderíamos mencionar o objeto P 7X, atualmente na quinta órbita do Sol (Jupiter)?
Creio que sim, porque, de qualquer forma, temos cinco níveis neste desenho.
Cinco planos orbitais.
Pode ser este um significado oculto para o objeto P 7X reforçando os alinhamentos naturais cíclicos do Sol, Lua e Terra (eclipses).
Ele estaria “quebrando as órbitas regulares do Sol” num sentido astronômico mesmo.
O que pode realmente acontecer (abalos orbitais) quando ele se aproximar mais do periélio solar.

Avaliando o mapa do sistema solar para o dia do eclipse solar, notamos que a maioria dos planetas se encontra razoavelmente alinhada numa única direção do espaço (Mercurio, Venus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Plutão…e o objeto P 7X), o que deve gerar muita energia gravitacional no sistema.

Detalhe: o eclipse solar do dia 21 de Junho próximo (que será anular) acontece na região celeste oposta da posição do astro P 7X, se deslocando entre as estrelas de Capricórnio. Esse é outro alinhamento a ser considerado.

Abalos no campo magnético da Terra

Deslocamento do campo magnético
Rumo à inversão magnética

Nos últimos anos, ele se afastou do Canadá e seguiu para a Sibéria, na Rússia.

O deslocamento foi tão rápido que tem obrigado os cientistas a fazer atualizações mais frequentes nos sistemas de navegação por GPS, incluindo aqueles que são usados nos mapas dos smartphones.
Vendo este modelo por outro aspecto, o circulo central é a Terra, e as duas órbitas, as linhas de força do campo magnético, com duas rupturas.

Rupturas representando falhas no campo magnético, como já vem acontecendo há vários anos.

E o ângulo entre as duas rupturas pode representar aquele deslocamento do polo do Canadá para a Rússia.

Os círculos das extremidades podem representar finalmente a “nova Terra” (círculo do mesmo tamanho, mas vazio) assumindo novo campo magnético (invertido), conforme essa oscilação dos dois lados, esquerda e direita, representando um movimento de inversão, o que representaria o Apocalipse das telecomunicações globais no nosso planeta!

Ou seja, tudo relacionado ao câmbio intenso de energias do sistema solar em ritmo de alinhamentos e a aproximação acelerada do objeto P 7X…

Buracos na coroa solar

Lembrando que, no ano passado, em 23 de Julho, apareceu um crop circle que, interpretado com sendo o Sol enviando ondas de energia para a Terra, resultou verdadeiro quando, dias depois, enormes buracos na coroa solar apareceram, efeitos posteriores dos eclipses de Julho daquele ano, com ventos solares altíssimos caindo no campo magnético da Terra e trazendo abalos nas telecomunicações globais.

O estilo de “onda” dos dois modelos é o mesmo.

E se o grande círculo branco central é o Sol, e suas duas órbitas são suas camadas de energia na superfície (coroa solar) aquelas duas rupturas vistas também podem representar estes buracos enormes, e toda a energia escapando por eles em direção a Terra (que seria então o círculo externo, do mesmo tamanho, dos dois lados, dentro da onda ou oscilação direita e esquerda).

São todos estes eventos integrados numa mesma cadeia de processos oriundos dos grandes alinhamentos cósmicos, maré gravitacional e abalos no sistema solar como um todo.
Vamos acompanhar os eventos deste mês de Junho.

JP em 11.06.2020

Previsões acertadas dos crops circles

No dia 11 de Junho, apareceu este crop circle, um marcador astronômico, com duas órbitas, Sol interno, Terra e Lua, mostrando os alinhamentos (eclipses) do período, entre 5 de Junho e 21 de Junho, lunar e solar, respectivamente

O que eu achei mais estranho naquele crop circle foram as duas rutpuras ou buracos nas órbitas externas ao Sol central, e entre outras interpretações paralelas, obsevei que poderiam representar perturbações na superfície solar, buracos ou explosões.

Duas rupturas, duas fortes explosões solares nos dois dias seguintes ao crop circle: 12 e 13 de Junho!
Duas rupturas no crop circle, duas explosões solares nos dois dias seguintes, motivadas pela energia gravitacional sendo gerada nos eclipses e alinhamentos deste mês e do próximo.

Isso demonstra que estes crops circles não são de origem humana.
Somente Aliens poderiam saber de eventos solares (e outros) antes deles acontecerem.

JP em 14.06.2020

Comentários
Compartilhar