Sem categoria

O Nome de Deus representa a Lei de Deus

O problema não está no Nome de Deus!

Nem nas diferentes linhas religiosas que esse Nome derivou com o tempo,
porque o espírito de Deus é uma hierarquia cósmica que visitou não somente Israel, mas diversas outras culturas, antes e depois de Israel, o que explica o paralelismo entre nomes e personalidades divinas,
como o Zeus grego, o Júpiter romano, o ANU sumério, o Osíris egípcio, o Varuna hindu, inclusive o Arcanjo supremo da teurgia judaica, Metatron, etc.

As pessoas estão coando o mosquito e engolindo o camelo.

Isto é, preocupadas com as questiúnculas culturais envolvidas no inevitável processo da fragmentação religiosa e diluição dos seus conceitos originais, mas se fazendo cegas à essência da lei que permeia todas as religiões antigas sob uma mesma didática espiritual.

A necessidade do cumprimento da Justiça, da Verdade e das leis daquela Entidade patriarcal original, comum a todos os povos antigos, com nomes, atributos e identidades análogas justamente por essa razão, e que agora, volta para pesar a humanidade de acordo com seus atos a serem julgados conforme aquela Justiça, Verdade e leis, já diante de um intercessor colocado para advogar nossa causa: Jesus Cristo.

Que confirma todas as ações do Velho Testamento ao declarar:
“Eu não vim para destruir a lei ou os profetas. Não vim para anulá-los, mas para cumprí-los!”

Jesus Cristo veio para esmiuçar a Lei de YHWH no seu tempo, aplicada a todo tipo de gente que encontrou pela frente, ensinando desde os mais simples até os mais eruditos, cobrindo por igual o mesmo pecado comum a todos, porque esse era o alvo do intercessor, fornecer a cura para a humanidade diante das muitas transgressões acumuladas contra o Eterno e suas Leis perfeitas desde a queda de Adão na geração animal (corrupção sexual)

Artigos relacionados

O problema não está na roupagem externa das religiões, que realmente sofreu muitas alterações e inevitáveis degradações pelo uso e mau uso da humanidade. Isso é casca, é aparência.

O foco aqui é a sentença moral que as religiões procuraram passar à humanidade em sua educação espiritual e alinhamento de consciência com a Verdade que permeou todas elas, para as quais o ego dos ignorantes ilustrados da era moderna insiste em tombar cego, fingindo que não a compreendeu.

E assim, vivendo num plano de erudição pseudo-sapiente ao mesmo tempo que abrigam um coração pecador cheio de contradições e conflitos internos, seguem vivendo uma vida falsa, na expectativa de que, anulando a existência do Grande Juiz da humanidade, possam ter alguma esperança de viver à margem da Lei do Criador na era dos homens, que francamente está se desintegrando aos olhos de todos, justamente pelo peso dos seus pecados, crimes e depravações não arrependidos, pelo contrário, confirmados de forma arrogante e orgulhosa a cada dia que passa diante da Face do Criador que insistem em afrontar.

E ao afrontarem a Lei de Deus, afrontam o Seu Nome, com o qual Deus assinou toda a sua Obra.

Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido.
Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam.
Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.”
Romanos 10:11-13

JP em 28.06.2022

Comentários

Botão Voltar ao topo