O mistério da “bolsa dos deuses” em diversos registros do mundo antigo

América e Mesopotâmia

Os achados arqueológicos das últimas décadas mostra que somos uma espécie que sofre de amnésia. Um grande número de artefatos de todo o mundo nos têm forçado a questionar tudo o que pensávamos sobre nossas origens na Terra, as antigas culturas da humanidade em geral.

No entanto, como podemos explicar as semelhanças em incontáveis milhares de anos atrás, a distâncias de dezenas de milhares de quilômetros uma da outra?

Por exemplo, por que quase todas as culturas antigas da Terra decidiram construir as pirâmides? E por que essas pirâmides são tão semelhantes entre si?

América

Um link invisível na infância da humanidade?

Este baixo-relevo acima representa um sacerdote olmeca com uma cobra. Quetzalcoatl.

A obra foi descoberta no território do México e se levou a cabo em algum momento entre XI e V a C

Milhares de anos e milhares de quilômetros separam estas duas divindades que, aparentemente, trazem na mão o mesmo objeto.

Você diria que todas as antigas civilizações formam os mesmos padrões.

Algumas imagens de milênios atrás, em representação de agradecimento (os deuses das tradições akkadienilor, os sumérios e os babilônios) representam a eles segurando sacos ou bolsas misteriosas.

O misterioso “saco dos deuses” aparece nas representações dos deuses em agradecimento, como aos sumérios. Só que a “bolsa” aparece também nas representações das culturas na América, mas também em Gobekli Tepe, na Turquia.

Tudo para ser uma extraordinária coincidência?

Gobekli Tepe, Mesopotâmia, América

Um dos mais interessantes e fascinantes mistérios tem suas raízes na Mesopotâmia. Esta área é conhecida como o “berço da civilização”.

Um fio condutor do mistério desta parte do mundo tem levado muitos autores a questionar a história que aprendemos na escola. Os sumérios antigos representavam os deuses numa associação com agradecimento, como estando eles em posse de vários objetos.

Leia também  ELOHIM, ANUNNAKI, NEFILIM, ENAQUIM

Dois destes objetos relatados pelos sumérios foram os chamados “relógio na mão”, e reunem-se em quase todas as representações.

É curioso o fato de que, se fizermos uma viagem de mil milhas, até a América, nós vamos descobrir que os astecas, os maias e outras civilizações antigas têm usado a mesma simbologia nas representações de seus deuses.

Por outro lado, no Egito, descobrimos que o símbolo da “cruz ansada” foi usado pelos deuses, tal como foi usado o misterioso “saco” na Mesopotâmia e a América antiga.

Todas as divindades estavam usando os mesmos “acessórios”?

Gobekli Tepe, as ruínas mais antigas da civilização

Por que estas civilizações antigas da América, Egito e Mesopotâmia representam os deuses com o mesmo objeto? É possível que todas as culturas do Egito, da América e da Mesopotâmia realmente tiveram contato com os mesmos “deuses”, mas sob títulos diferentes?

É interessante o fato de que os deuses eram sempre representados em forma humana. Há, no entanto, muitos traços que indicam a diferença entre eles e pessoas comuns.

Os traços faciais dos deuses antigos foram sempre bem escondidos, com a barba grande. Como os sumérios antigos, e que representavam as divindades em forma de pessoas, os antigos egípcios e diversas culturas pré-colombianas têm feito a mesma coisa.

A pergunta óbvia é:
por que todas as culturas antigas – separadas por milhares de quilômetros, representariam as divindades sob formas quase idênticas?

Saco de Quetzalcoatl

Este objeto intrigante é representado exatamente igual nas mãos das divindades na América, África e Ásia.

************************

Podemos entender que os acessórios dos deuses (seres das estrelas) tem uma conexão direta com instrumentos de poder. Espadas, bastões, tridentes, cruzes, coroas, asas, todos esses acessórios dos deuses ANUNNAKI do passado, que são os mesmos em todas as civilizações, sob denominações diferentes, tem duplo sentido.

Podem representar instrumentação tecnológica superior, bem como símbolos de valores espirituais: luz, conhecimento, poder mental, concentração, sacrifício, etc.

A bolsa?
Com certeza, algo para se transportar ou carregar alguma coisa.
E o que seria?

No caso dos deuses, a coisa mais preciosa que se pode transportar numa bolsa:
O Conhecimento Superior.

(A bolsa, espaço vazio e receptivo, simbolizando também a mente, o espaço receptivo psíquico onde os deuses armazenam seu conhecimento).

Conhecimento este que eles, os Anunnaki, transmitiram em todo o mundo antigo, de maneira amigável.
E a prova disso?

A repetição dos mesmos símbolos e deuses barbados em todos os cantos da Terra, civilizações e povos separados pelo espaço e pelo tempo,
mas todos ligados por um mesmo fio de consciência perante a visitação dos Anunnaki, os civilizadores da Terra em seus primórdios esquecidos pela memória acadêmica moderna.

Não há qualquer dúvida sobre isso.
Mas para o Sistema, inviável corrigir todos os livros de História.
Incompletos e mesmo equivocados.

JP em 01.02.2021

Comentários
Compartilhar