O Destino pode ser explicado pela Física Quântica?

Karma (no sentido de Destino) é uma expressão da Física Quântica?
O que rege o Universo?
Incerteza ou Causa e Efeito?

Certamente.
Karma, de uma forma simples de se definir, significa AÇÃO E REAÇÃO, e embora o contexto da palavra tenha assumido uma imagem negativa com o tempo, o Karma não expressa unicamente reações negativas; e como o próprio termo define, causas boas geram efeitos bons.

Por outro lado, se o Karma ou Lei da Atração (outro modo de dizer Causa e Efeito, porque as causas atraem efeitos análogos dentro do tempo) é uma função EXATA da Física relacionada aos eventos encadeados uns aos outros dentro do tempo em sequência não aleatória, como entender e até mesmo confrontar Karma e o Princípio da Incerteza que rege a atual compreensão da Fìsica Quântica conforme o universo do conhecimento antigo, que nunca definiu o universo dentro de incertezas ou probabilidades, mas sim, dentro de sequências matemáticas dentro dos períodos construindo EVOLUÇÃO INTELIGENTE numa espiral definida?

Você realmente acredita num Universo de probabilidades ou a solução da Incerteza é apenas um atestado que limita a atual compreensão do Universo inteligente, não estatístico, mas altamente determinístico, conforme o que a milenar sabedoria hindu já conhecida sob o termo KARMA?

Karma, sânscrito, Em páli, kamma. Ambos os termos significam, literalmente, “ação”. Este é um termo de uso religioso dentro das doutrinas budista, xintoísta, hinduísta, jainista, sique e teosófica.
Em cada uma dessas doutrinas, o termo tem um sentido próprio.
Wikipédia

Sentidos próprios mas todos circunscritos à compreensão de Karma como ações que geram causas, e causas que geram efeitos ou consequências dentro de um determinado período, atuando não somente na esfera humana, mas também nos conceitos da Física (inclusive a lei de causa e efeito é um dos enunciados de Isaac Newton: para toda ação – força – existirá uma reação, igual e contrária).

O princípio da incerteza consiste num enunciado da mecânica quântica formulado em 1927 por Werner Heisenberg. Tal princípio estabelece um limite na precisão com que certos pares de propriedades de uma dada partícula física, conhecidas como variáveis complementares, podem ser conhecidos.

Fica estranho comparar esse princípio com um Universo inteligente e consciente, dotado de Mente coletiva vibrante e pensante em cada fibra de espaço-tempo a conter sistemas macro e microcósmicos entrelaçados.

Temos que nos lembrar que a Incerteza quântica de Heisenberg foi definida dentro de LIMITAÇÕES EXPERIMENTAIS DA CIÊNCIA MODERNA, e que de repente, quando as coordenadas x,y,z da matéria tridimensional puderem ser observadas dos referenciais z de tempo, z1 de mente, z2 de consciência (ou espírito) então o Universo redefinido sob suas seis dimensões básicas, precisamente as faces do cubo a pontuarem qualquer objeto ou entidade em seus domínios, as incertezas desapareçam, e as coisas se revelem como realmente são.

Talvez a Incerteza de Heisenberg valha ou funcione apenas dentro dos muros da observação tridimensional, quando então as partículas se comportem de forma estranha ou indeterminada.

Mas quando estas mesmas observações se colocarem em z, z1 e z2, o comportamento incerto dos elétrons se transforme como eles realmente são em níveis dimensionais mais elevados, a saber, matrizes harmônicas de frequências modulando todas as coisas a partir não de incertezas, mas de pensamentos conscientes que emitem energia e matéria, como realmente se espera de um Universo consciente, chamado de DEUS pelos antigos, os mesmos que contemplaram num simples termo, o KARMA, a solução sintética de todos estes mistérios, hoje tão emaranhados diante dos olhos opacos da ciência moderna.

Conclusão
A Incerteza não está na Física.
Mas nos olhos dos cientistas.

É como você estar dentro de uma casa, e com as janelas fechadas, tentar SUPOR como está o céu lá fora.
Se ele está claro ou escuro, se está luminoso ou nublado, se chove ou faz sol… apenas estimando um padrão de cenários que não consegue ver, por que as janelas estão fechadas.

Ou você acredita que Deus joga dados com o mundo, ou você acredita num Universo consciente.
Estes dois conceitos não podem coexistir num mesmo modelo de universo, o universo consciente e o universo probabilístico.
Evolução não é probabilidade. Evolução é refinamento.
E refinamento não segue probabilidades. Segue processos conscientes da energia conduzida na matéria dentro de ciclos fechados que caracterizam então processos evolucionários.
Basta olhar a evolução natural e a tendência da natureza em aperfeiçoar espécies por processos de adaptação.

O lapso da Fisica quântica está justamente quando ela é confrontada com o macrocosmo.
Não pode existir um microcosmo regido por incertezas e um macrocosmo regido por leis determináveis.
Falta sim, melhorar o campo de observação do mundo quântico para descobrir que ele realmente é definido por leis determináveis.

O universo quântico é definido por pacotes, daí o termo Quanta, quantidade.
A energia é transmitida por unidades de energia ou pacotes de energia, conceito esse que se solidificou com os trabalhos de Albert Einstein sobre o efeito fotoelétrico, que lhe rendeu o Nobel.

Einstein nunca esteve errado.
Não é a Física que é incerta.
É a atual compreensão humana dela.
E a própria Incerteza de Heisenberg é tão limita e imprecisa quanto sua mesma definição.
Basta uma rápida observação consciente do Multi-universo para além dos muros tridimensionais, e a Incerteza dá lugar à Consciência.

Difícil é a ciência aceitar Deus ou Universo consciente brincando de esconde-esconde nos átomos diante de observadores …e que os nossos pensamentos são um fragmento do Universo pensante em rede.
E que os mesmos átomos pensam, dentro de sua escala própria de atividade mental.

Os princípios de Heisenberg se tornaram manobras matemáticas e conceituais inteligentes para contonar as limitações das observações da Física Moderna.
Mas é redundante falar em um Princípio chamado de Incerto como uma grandeza exata da Física.
E também fica difícil postular novas equações ou soluções matemáticas incrivelmente simples que solucionem estes limites de observação quando transportadas as suas coordenadas para as outras três dimensões fundamentais faltantes para a funcionalidade da equação: tempo, mente e consciência.

Um átomo, um elétron tem coordenadas x,y,z de posição impossíveis de se determinar com precisão.
Mas o átomo e o elétron também tem uma coordenada tempo, tem um padrão mental e tem uma energia consciente lhe movendo. E quando estas três definições forem conhecidas, o mundo atômico abrirá suas portas e revelará seu grande mistério, mistério esse capaz de criar uma ponte de conexão com o mundo macrocósmico das estrelas no modelo UNIFICADO, isto é, tudo isso reduzido ás matrizes harmônicas portadoras de informação criadora através daquelas Cordas vibrantes (Teoria das Supercordas).

O quanta não é energia em pacotes?
Agora pense na energia mental.
Ela também opera em pacotes ou unidades de energia chamados de PENSAMENTOS.
E pensamentos são mais que simples energia, são ondas que comportam duas coisas:
energia e informação.
E se a nossa mente é um fractal da Mente cósmica ou Universo pensante, e se nossa mente é para o Universo o mesmo que as partículas são para a matéria formada, então, para o Universo, segundo o modelo da Física quântica, por analogia, seria impossível observar o comportamento das mentes individuais, que somos nós, em nossos pensamentos se tornando ações no mundo material.
Mas isso está errado, e o conceito do Karma define exatamente o oposto da Incerteza.
Ele define a causa e efeito com precisão matemática dentro do tempo.

Ainda demora muito para a ciência atual conseguir esse padrão de conhecimento.

Por outro lado, a cultura moderna têm se valido destes conceitos elementares da Fisica quântica para criar uma espécie de religião ou fórmula mágica de solução para todos os problemas da vida, e para todos os mistérios, mesmo sem compreender 1% da Física Quântica, dentro de discursos que misturam, de forma altamente imprecisa, os conceitos da Física com espiritismo, filosofias e comportamentos sociais.

Este também não é o caminho.
O caminho está em redescobrir a sabedoria antiga, que já conhecia todos estes e outros mistérios ainda maiores do Universo, e sem usar qualquer instrumento de laboratório, mas tão somente um cérebro desenvolvido e uma mente alinhada com todos os planos da consciência cósmica em exercícios diários de meditação e contemplação.

Coisa que raramente vemos nestes clubes da Física quântica nesta moda do momento.
E que de Física quântica realmente tem muito pouco.
Ou quase nada.

Está na moda falar de Física quântica para tudo.
Mesmo sem nada entender do assunto.

Então, respondendo à questão inicial:
O Karma pode ser explicado pela Física Quântica?
Resposta: NÃO.

Simplesmente porque Destino algum é probabilístico ou estatístico.

Ele é matematicamente e rigorosamente exato.

Contudo, o Karma e a sabedoria antiga é que podem explicar, desvendar e mesmo expandir os atuais limites da Física quântica e da ciência moderna como um todo.

Isso com certeza.

Um olhar mais profundo além do modismo vigente em torno da Física Quântica misturada com conceitos espirituais, responsáveis por uma deterioração do conceito e até por uma involução do conhecimento verdadeiro da Física nos domínios do microcosmo ligados à existência humana.

JP em 28.06.2020

Comentários
Compartilhar