Mistérios

O enigmático Portal do Sol: Estrutura de 10 toneladas que desafia a História Moderna

Localizado nas proximidades de um dos lagos mais maravilhosos da Terra – o Lago Titicaca – o Portal do Sol foi construído há milhares de anos por uma cultura ancestral que habitava a Bolívia dos dias modernos, no sítio arqueológico de Tiahuanaco.

Desde que os exploradores europeus se depararam com a estrutura enigmática – arqueólogos, historiadores e turistas ficaram intrigados com o Portão do Sol.

Entre os especialistas, é conhecido como um dos melhores exemplos do grau de perfeição que atingiu a sua cultura construtiva, tanto pela arte como pelo simbolismo que valoriza os seus relevos.

A maioria dos especialistas concorda que este ‘portal’ foi criado a partir de um único bloco andesita pesando aproximadamente 10 toneladas e tem aproximadamente 9,8 pés (3,0 m) de altura e 13 pés (4,0 m) de largura. [1]

No passado, o Portão do Sol fazia parte de um edifício maior que provavelmente estava localizado no topo da Pirâmide de Akapana ou no templo Kalasasaya, onde existem várias construções feitas do mesmo material que o Portão do sol.

O Portal do Sol tem curiosas representações em sua superfície, a mais reconhecível é a de Viracocha, que é retratada cercada por criaturas aladas que se ajoelham diante dele. Essas são as representações das mesmas criaturas aladas que vemos na antiga Mesopotâmia? São 32 efígies com rostos humanos e 16 com cabeças de condores.

Viracocha  é a grande divindade criadora da mitologia pré-inca e inca na região andina da América do Sul. De acordo com a lenda, Viracocha surgiu do Lago Titicaca durante o tempo de escuridão para trazer a luz e criou o sol, a lua e as estrelas. Curiosamente, diz-se que essa divindade antiga CRIOU a humanidade respirando em pedras, mas sua primeira criação foram gigantes sem cérebro que o desagradaram. Então ele o destruiu com uma inundação e fez um novo e melhor com pedras menores.

Artigos relacionados

A porta nunca foi terminada, pois os especialistas encontraram várias figuras inacabadas, como se os escultores tivessem deixado para trás apressadamente uma de suas estruturas mais magníficas.

O Portão do Sol tem em seu canto superior direito uma fenda que divide a pedra em duas. Acredita-se que tenha sido atingido por um raio, mas essa teoria não pode ser verificada porque não há marcas de queimadura na pedra ou dentro dela.

Se dermos uma olhada em algumas das lendas que mencionam gigantes, a porta foi quebrada ao ser jogada no chão, quebrando o portão do sol em dois.

Isso permanece um mistério para os arqueólogos.

De acordo com a lenda aimará, a porta guarda um segredo que os antigos aimarás deixaram escondido para ajudar a humanidade futura em apuros.

Atualmente é um dos monumentos mais importantes de Tiahuanaco.

Tiahauanco – o complexo da cidade – era o centro da antiga civilização Tiahuanaco, uma cultura pré-inca extremamente bem desenvolvida que baseava sua economia na agricultura, arquitetura e pecuária. A cultura milenar abrangeu os territórios do planalto Collao, localizado entre o sudoeste do Peru, oeste da Bolívia, norte da Argentina e partes do norte do Chile, regiões das quais a cultura passou sua influência tecnológica e religiosa para outras civilizações contemporâneas.

A cidade de Tiahuanaco é caracterizada por seu incrível estilo arquitetônico intrincado, decorado com incontáveis ​​relevos, que por sua vez estão envoltos em mistério.

O complexo da cidade é composto por várias construções arquitetônicas importantes: as plataformas escalonadas Akapana, Akapana Leste e Pumapunku, Kalasasaya, Kheri Kala, recintos Putuni e o Templo Semi-Subterrâneo, Puerta del Sol (Portal do Sol) e Puma Punku, que por sua vez possui inúmeras estruturas que desafiam os arqueólogos tradicionais.

Conforme observado por estudos recentes, esses exemplos arquitetônicos, assim como o Portão Akapana, têm detalhes únicos e demonstram alta habilidade no corte de pedra. Isso revela um conhecimento da geometria descritiva. A regularidade dos elementos sugere que eles fazem parte de um sistema de proporções.

Acredita-se que Tiahuanaco é uma das culturas mais antigas da América do Sul, tendo sobrevivido por volta de 1500 aC até o ano 1000 dC

O consenso geral é que a antiga cultura Tiahauanco começou por volta de 1580 AC

Essa cultura milenar se caracteriza por possuir ferramentas e armas de bronze, o que lhe confere uma grande vantagem tecnológica e militar em relação às demais culturas da América naquela época; Prova disso é que uniões de latão foram encontradas em suas construções e várias ferramentas e armas foram desenterradas por especialistas.

Alguns autores – como Arthur Posnansky – estimaram que Tiwanaku datava de 15.000 aC, com base em suas técnicas arqueoastronômicas. A teoria de Posnansky afirma que após a grande inundação de cerca de 11.000 aC, os sobreviventes desenvolveram técnicas avançadas de agricultura que só hoje estão sendo estudadas por alguns especialistas. Em particular, esta cultura milenar conseguiu obter, por meio de cruzamentos e técnicas que até agora não são bem compreendidas, excessos de produção de milho, quinoa, kiwicha, batata e maca (nutriente muito poderoso até hoje utilizado), embora o clima o tenha sido. resfriado excessivamente.

Em seu famoso livro “ Tiahuanaco, o berço do homem americano “, Posnansky propõe duas teorias que segundo ele são essenciais para considerar Tiahuanaco como a cidade mais antiga da superfície do planeta.

Dada sua aparente antiguidade, alguns estudiosos propuseram que Tiahuanaco era a cultura mãe de todas as civilizações sul-americanas, enquanto outros a consideravam a capital de um antigo império megalítico ou um grande império que se espalhou pelos Andes Centrais.

Fonte

Comentários

Botão Voltar ao topo