O Código do Sol Alado

Muitas culturas antigas representaram o Sol de uma forma similar: com duas asas.
Egito, Suméria, Pré-colombiana (Serpente Emplumada), Grécia, Israel, e outras.

O sol alado é um símbolo associado à divindade, realeza e poder no antigo Oriente Próximo (Egito, Mesopotâmia, Anatólia e Pérsia).
Na Alquimia, era o símbolo da transformação.
Mas, a parte destes símbolos, pode ser que este emblema tão universal represente a coisa mais elementar de todas do ponto de vista cosmológico: a condição binária do nosso sistema solar (dois sóis).
E quando estes dois sóis se encontrassem, ciclicamente, eles trariam renovação e transformação em larga escala, global, planetária, por meio do elemento fogo.
Algo que está acima da própria transição de Atlântida, registrada como sendo através de um dilúvio universal.
Na transição efetuada pelo encontro dos dois sóis, acontece um evento de grande descarga de energia solar, que os antigos representavam com puro fogo, estendendo o signo da Fênix renascida das cinzas ao planeta inteiro.

Existe uma teoria que a extinção dos dinossauros, há cerca de 65 milhões de anos, foi causada pela queda de um grande cometa na Terra. E o que teria causado a queda deste cometa? Se é que um cometa caiu mesmo, e ao invés disso, os dinossauros teriam sido as testemunhas mais “recentes” no tempo (que se tem notícia) do encontro dos dois sóis?
As teorias de Nêmesis falam que sua órbita poderia ser de 26 milhões de anos… está na casa de tempo da extinção dos dinossauros.
Os índios Hopi, por exemplo, falaram da grande estrela vermelha purificadora, Red-Kachina, que seria vista no fim do ciclo desta atual humanidade.

A Segunda Epístola de Pedro dá a entender que o mesmo cenário de fogo será criado na Terra, vindo do céu, e que renovará tudo:

“Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.
Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade,
Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?”
2 Pedro 3:10-12

O que Deus prometeu a Noé foi não exterminar a raça humana novamente com água.
Mas Ele nada prometeu que não o faria com fogo.
Porque tem coisas que só o fogo limpa, purifica e renova.
E a origem desse fogo estaria precisamente no encontro das duas asas do Sol duplo… e o que pode estar chegando, pode ser da mesma magnitude que aconteceu no tempo da extinção dos dinossauros, quando a Terra, então, foi renovada por inteiro.
São cosmologias do Sistema Solar qual um relógio ainda ignoradas pela moderna Astronomia.

Exemplos crop circle

Pictogramas na Holanda em 2016

Vários pictogramas apareceram na Holanda, na estação de 2016, indicando o mesmo (apesar das variantes) que os pictogramas de 1990 indicavam naquele tempo, com insistência, na Inglaterra, entre outras coisas, a identidade binária do nosso sistema solar.

No geral, eu sempre interpretei esses pictogramas como marcadores astronômicos, que mostravam não somente a condição binária do sistema solar, mas principalmente isto.
No pictograma do canto inferior direito, do dia 15.07.2016, vemos o Sol, um planeta interno (pode ser a Terra com a órbita lunar), e na outra ponta, um objeto com um garfo duplo: a sugestão de segundo, segundo sol.

Mas no pictograma do dia 06.05.2016, os códigos foram mais interessantes.
Um dos objetos tem como duas asas em forma de letra L, que lembra a representação dos discos alados da Suméria e do Egito (Sol Alado) que se liga a outro objeto (sol duplo).
E junto do eixo central, ao invés do típico 11-11, temos pontos e códigos que podem ser convertidos, por exemplo, em numeração maia.

Barra e ponto em cima vale seis. E dois pontos, um de cada lado, vale dois. Dois e seis, em cada lado do eixo.
Oito e oito, dezesseis, referência ao ano em curso (2016).
Pensei em 16 meses, unidade de tempo, e contando 16 meses a frente do dia 6 de maio de 2016, isso nos levaria ao ano 2017, no mês de setembro! Dia 23 de setembro de 2017 e o grande sinal do Apocalipse 12 consumado no céu, constelação de Virgem coroada, Sol e Lua, etc.

Ou então, código morse?
(. _ .) = R
(.) = E

ER // ER ou RE // RE

No Antigo Egito, o deus Sol supremo era conhecido como Ra ou Re, e representado pelo escaravelho alado, símbolo da ressurreição, da renovação. Um dos círculos tem dois ganchos em forma de L que podem representar o mesmo, o Sol alado, como o escaravelho sagrado do Egito, onde cultuavam o Sol com asas.
Essa sempre foi uma representação do Sol em muitas culturas antigas, com duas asas.
As duas asas do Sol representando, no final de tudo, a sua identidade binária?
Dois sóis, duas asas do Sol?
E quando estas duas asas do Sol (duplo) se encontram, acontece o processo de renovação de nível global, planetário… faz sentido!

JP em 21.04.2020

Comentários
Compartilhar