Novo estudo revela que os crânios alongados de Paracas não são Homo Sapiens

Na costa do Peru, um povo misterioso apareceu há cerca de 3.000 anos e desapareceu 1.000 anos depois. Hoje nós os conhecemos como Paracas, um termo inca para descrever a área cerca de 1.500 anos depois que os Paracas não estavam mais presentes. 


A deformação craniana de crânios humanos era um fenômeno que existia em todos os continentes habitados, e especialmente o caso há cerca de 2.000 anos entre a elite das sociedades. 


Em geral, essas eram as elites de uma sociedade e a deformação craniana era realizada nos recém-nascidos para que parecessem distintos da população em geral. No Peru e na Bolívia, havia muitas sociedades com cabeças alongadas, incluindo a família real Inca. 


Eles eram algum tipo de raça de elite que vagava pelo planeta inteiro? Por que os antropólogos raramente falam sobre deformação craniana e sabem tão pouco sobre isso? 


Mas agora os recentes testes de DNA dos primeiros Paracas indicam que eles não eram originários do Peru e que, na verdade, não eram Homo sapiens. 

Pra quem não conhecia, acesse o artigo abaixo:

Fonte

Comentários
Compartilhar