Milagre de São Januário não acontece e deixa o mundo em alerta para catástrofes


Hoje, 16 de dezembro é a data em que é esperada a liquefação do sangue de São Januário . Mas o ‘milagre’ não foi aconteceu esse ano, segundo informações do jornal italiano Il Fatto Quotidiano, o milagre geralmente acontece nesta e em outras datas, desde o século 14. O fato quando não acontece está associado a catástrofes mundiais.


Não é a primeira vez que o milagre não ocorre, mas nas outras vezes, sempre algo ruim foi associaodo a não liqueficação, em setembro de 1939 estourou a Segunda Guerra Mundial, em 1943 foi a vez da ocupação nazista. Novamente, em 1973 houve a epidemia de cólera, enquanto em 1980 ocorreu o dramático terremoto na Irpinia. Em suma, a falta de liquefação é considerada portadora de eventos nocivos.


O abade da Capela de São Januário da Catedral, Mons. Vincenzo De Gregorio, comentou aos presentes que das três datas em que o sangue de São Januário costuma se liquefazer, 16 de dezembro é quando o milagre não ocorre com maior frequência.

“O dia 16 de dezembro normalmente é assim, não se liquefaz no momento. Mesmo com atraso, pode se liquefazer no dia seguinte. Há 2 anos, aconteceu que às 17h se liquefez. Portanto, não sabemos o que vai acontecer. Neste momento, como podem ver, está absolutamente sólido, não dá nenhum sinal, não há uma gota que se veja descendo. É muito claro. Esperemos com confiança o sinal”, disse Mons. De Gregorio.


A liquefação do sangue de São Januário é um fenômeno inexplicável. Em dezembro de 2016, o milagre também não ocorreu e, em 2018, se liquefez com várias horas de atraso.
O sangue de São Januário está recolhido em duas ampolas de vidro, hermeticamente fechadas, protegido por duas lâminas de cristal transparente. A ampola maior possui 60 cm cúbicos de volume; a menor tem capacidade de 25 cm cúbicos. Em geral, o sangue endurecido ocupa até a metade da ampola maior, na menor, encontra-se disperso em fragmentos.[

Leia também  Face de Jesus aparece nitidamente numa pedreira

Trata-se verdadeiramente de sangue humano, comprovado por análises espectroscópicas e há algumas peculiaridades, que constituem outros milagres dentro do milagre liquefação, há uma variação do volume: algumas vezes diminui e outras vezes aumenta até o dobro. Varia também quanto à massa e quanto ao peso.

Em janeiro de 1991, o Professor G. Sperindeo fazendo uso, com o máximo cuidado, de aparelhos de alta precisão, encontrou uma variação de cerca de 25 gramas. O peso aumentava enquanto o volume diminuía. Esse acréscimo de peso contraria frontalmente o princípio da conservação da massa e é considerado pela Igreja Católica como inexplicável, pois as ampolas encontram-se hermeticamente fechadas, sem possibilidade de receber acréscimo de substâncias do exterior.

Fonte

Comentários
Compartilhar