Fragmentos da Sabedoria da Serpente Emplumada 1

“Judas, jamais o esqueças e assim ocorrerá que, com o tempo, o homem também poderá entendê-lo , e o saberá, e o viverá, pois lhe será dado penetrar no sentido de que EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA”
“E jamais esqueci estas palavras. Por isso é que agora eu posso escrevê-las em teu coração com letras de fogo, para que a ti te seja dado saber e conhecer como Deus está no céu, na Terra e em todo o lugar, e como o homem pode estar com Deus no coração.
E aquilo que era o mais íntimo de mim mesmo, e mais real ainda que meu próprio nome, não era só meu corpo,; era e não era; meu corpo não era senão a morte na qual o amor despertava a vida. E de meu próprio corpo eu devia partir no caminho do regresso. Assim também as pedras no deserto, como tudo no Universo, estavam impregnadas de Deus pelo Verbo, mas para o homem, nem tudo era Deus, ainda que Deus seja tudo.”
Judas de Kariot, 1944

Se tudo tem o Verbo de Deus impregnado, até as pedras… ora, o corpo físico humano é a criação mais excelente e perfeita do Verbo de Deus, superando galáxias, estrelas, mundos e qualquer outra coisa não em tamanho, mas em complexidade, e tão complexa foi e é essa Criação de Deus que ela se localiza no último período, o Sexto Dia, no final do processo, quando o Espírito de Deus faz um templo para si mesmo à sua Imagem e Semelhança.

É claro que o Verbo de Deus estará presente nesse templo num grau maior do que qualquer outro lugar do Universo. Encontrar portanto esse Verbo em nosso próprio corpo, células, fibras, mente e coração, vibrando num uníssono de Amor por Deus, conforme o primeiro mandamento, é o único caminho voltado para dentro e que se torna o verdadeiro caminho de retorno ao que se foi um dia, Filho de Deus, caminho esse que significa o resgate da Verdade e da Vida, como ensinou Jesus.

Nossos corpos ainda são mortais, pedras frias sem luz viva da Verdade enquanto essa Palavra viva de Deus não for ouvida dentro de nós mesmos, em cada uma de nossas vigílias, orações e silêncios diante do Pai. E quando entrarmos na ressonância destas cordas divinas em nós mesmos, sentiremos a vibração de todo o resto do Universo atravessando nossa alma por inteiro, e de lá, e de dentro, e dessa soma, virá e será a nossa Luz de consciência perfeita e permanente, vigília dos que não podem dormir mais, vida dos que não podem morrer mais!

Até essa descoberta, nosso nome é um falso nome e nossa vida é uma falsa vida, já que a carne que ela carrega é temporária e corruptível.

JP em 30.03.2020

Comentários
Compartilhar