Equador entra em alerta após frota de pesca chinesa chegar nas Ilhas Galápagos

O Equador está em alerta devido ao surgimento de uma enorme frota de navios de pesca com bandeira chinesa nas Ilhas Galápagos.

As patrulhas estão tentando garantir que a frota — composta por cerca de 260 navios — não entre no delicado ecossistema das águas internacionais.

Os navios chineses viajam para a região a cada ano em busca de espécies marinhas.

Em 2017, um navio chinês foi capturado na reserva marinha com 300 toneladas de vida selvagem, a maioria tubarão.

“Estamos em alerta, realizando vigilância, patrulhando para evitar um incidente como o que aconteceu em 2017”, disse o ministro da Defesa do Equador, Oswaldo Jarrin, a repórteres.

Não houve comentários imediatos das autoridades chinesas quando contatados pela BBC News.

O ex-prefeito de Quito, Roque Sevilla, disse ao The Guardian que uma “estratégia de proteção” estava sendo projetada para as ilhas.

“A pesca chinesa sem controle na beira da zona protegida está arruinando os esforços do Equador para proteger a vida marinha em Galápagos”, disse ele.

O presidente Lenin Moreno disse que o Equador realizará consultas com outros países da América Latina com uma costa no Pacífico — Colômbia, Peru, Chile, Panamá e Costa Rica — para formar uma posição regional conjunta sobre a “ameaça”.

“Por causa dessa riqueza natural nessa área, sofremos imensas pressões das frotas pesqueiras internacionais”, afirmou ele no jornal El Universo.

A Reserva Marinha de Galápagos possui um grande número de espécies de tubarões, incluindo baleias em extinção e cabeças de martelo.

As Ilhas Galápagos são um Patrimônio Mundial da UNESCO reconhecido mundialmente por sua variedade única de plantas e animais selvagens.

Charles Darwin fez observações críticas à sua teoria da evolução nas ilhas.

Fonte

Veja também:

Comentários
Compartilhar