As sete órbitas planetárias do coração e a chegada do segundo coração do sistema…

 

 

 

 

Também conhecidas como Chakras!
Sim, a sabedoria antiga associava cada um dos sete chakras com órbitas de energia e frequências que cercavam o Sol interior, nosso coração, localizado na altura do chakra médio, o quarto, com três abaixo (os chakras vitais, instintivos) e três acima (os chakras psíquicos, mentais).

Além disso, a Magia antiga conseguia contemplar uma perfeita relação entre o movimento dos astros (os sete planetas da Magia antiga, Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter e Saturno) com ativações e estímulos de energia sobre nossos chakras, corpo e mente, estudando as configurações celestes, a posição da Lua, as conjunções com estrelas, enfim, todas as notas astronômicas mais fortes direcionadas para a Terra, afetando todos os seres vivos.

E sendo válida esta relação, não somente os alinhamentos planetários produzem energias no Universo: o alinhamento espiritual dos sete chakras em perfeito equilíbrio vibrando na potência máxima, todos eles somados, criam uma verdadeira explosão de energia espiritual contínua no humano ser que conquistou esse status, e a imortalidade seria apenas um dos benefícios adquiridos desta situação, além de inteligência expandida, memória e lógica, e vários outros talentos.

Em resumo: será a conquista do Canal direto do indivíduo com a Energia Divina, a Fonte Divina, a Vida, Mente, Pode e Consciência do Criador!

O homem foi chamado de Microcosmo pela sabedoria antiga.
Porque é fractal à imagem e semelhança do Macrocosmo.
Se a humanidade foi criada dentro do molde do sistema solar, nosso berço primitivo, então os chakras e nossa constituição interna é similar do sistema solar, cumprindo efeitos semelhantes. E nossa biologia é mesmo sincronizada de acordo com os ritmos do Sol, da Terra e da Lua (o ano, o dia e o mês).
Assim sendo, sabendo nós que o Sol tem um companheiro gêmeo… teremos também dois corações em nosso sistema orbital de energias internas?

Ah sim… isso nos leva ao segundo coração que perdemos um dia… aquela alma gêmea e complemento do Ser…

Agora, se o segundo Sol se aproxima do seu gêmeo, e toda essa energia gerada no ventre do Espaço-Tempo já começou a abalar todas as estruturas do nosso Universo Local, considere que, pelo lado positivo, para as pessoas que realmente estão buscando a Unidade espiritual em alinhamento com sua consciência e vida de atos e pensamentos, a chegada do Segundo Sol produzirá o secreto e mágico ingrediente de despertar espiritual que nos falta… uma página de mistério que tenta ver a chegada do Segundo Sol como um fenômeno que finalmente irá reunir todos os pares de corações perdidos… porque Adão foi criado do barro, mas não Eva, que foi tirada de sua costela, onde fica o coração.

O Espírito divino tem dois corações e sete órbitas de energia.
Olhe para os números: 72. Ele diz muito por si mesmo…

Quem entende as analogias secretas da Bíblia, tem à sua disposição um tesouro de conhecimento, tanto no nível interno quanto no nível cosmológico, que se relacionam perfeitamente.

A grande maioria da humanidade está sentindo os efeitos da chegada do Segundo coração do Sistema Solar como uma onda negativa de energia destruidora… mas para uma pequena parcela, aquela parcela de seres já preparados para reconstruir o status sete e dois de sua natureza espiritual original, o que o Segundo Sol está trazendo é o fogo amoroso e reedificante do Espírito Santo de Deus!

Somente quando a vida alcançar sua sétima frequência de consciência e quando essa consciência se reunir ao seu segundo coração, batendo juntos como duas harpas em ressonância eterna, é que o Espírito divino revelará sua identidade plena ao possuidor de corpo e alma encarnada!

 

JP em 25.10.2019

Comentários
Compartilhar