Arquivo Crop Circle V – mensagens venusianas

A Ressonância 11-11 nos dois Sóis
(e as bizarras implicações da aproximação de dois corpos capazes de distorcer o espaço-tempo da nossa vizinhança cósmica)!

Ela acontece quando duas coordenadas opostas se alinham no Espaço-Tempo numa mesma medida vibratória, alcançando similaridade com os efeitos do Entrelaçamento quântico (partículas gêmeas ressonantes) e criando uma conexão que, instantânea e adimensional, transcende o próprio Espaço-Tempo, e a informação entre elas partilhada dobra o Espaço das infinitas distâncias e salta o Tempo dos infinitos ciclos em sua singularidade.

Como duas mãos coordenadas pelo cérebro no mesmo trabalho, ou duas pernas coordenadas na mesma caminhada, estabelecendo conexão de ação.

Realizações factíveis pela antiga magia na dimensão do espírito e do pensamento iluminado no controle da matéria, que hoje, a ciência tenta recriar e simular com tecnologia de ponta, e que o arcano dos números codificou em 11-11, e por alguma razão oculta, elegeu o número 11 duplicado ou triplicado para representá-las na atualidade em todos os relógios, marcadores e tábuas numéricas do mundo, surgindo ao “acaso” que não é acaso, mas tão somente episódios sincronitários rodeando a nossa limitada consciência tridimensional, cada vez mais bombardeada por estes “telefonemas” das mentes superiores que insistem em retomar todas as chamadas perdidas pelos seres humanos hipnotizados pela Indústria da Máquina.

Na verdade, todos estes alertas estão sendo disparados para o Grande Alinhamento do Relógio Cósmico, o que, no nosso caso, significa a reunião de suas duas engrenagens centrais: ou dois Sóis.

Imaginem um sistema planetário que comporta dois sóis, e que eles só se encontram em períodos muito grandes de tempo, ficando a maior parte dos ciclos em afastamento.

No curto período relativo em que eles se aproximam, haverá nesse sistema planetário envolvido todo tipo de singularidade, estranheza e perturbação de energia, espaço, tempo, sinais estranhos no céu e na Terra, como dimensões deixando cair seus véus, seres entrando em contato, forças em combate, e tudo aquilo que a ficção científica materializa em sua especulação… se estamos vivendo períodos de grandes estranhezas, é porque os dois sóis reunidos abalam todas as estruturas do espaço-tempo que comportam nosso mundo em seu referencial de observação.

Ou seja, a ressonância 11-11 não é disparada somente por partículas alinhadas e emaranhadas quanticamente… os astros gêmeos também realizam emaranhamentos cósmicos em episódios de singularidade no Espaço-Tempo abalado… e os pictogramas crop circle, da forma como apareceram em 1990 e adiante, mostram dois objetos conectados por um eixo em barras laterais 11-11… podem ser duas partículas conectadas, dois sóis, duas mentes… será valido para todos eles.

Se aproxima o dia do nascimento helíaco de Sirius no leste e a celebração em mensagens crop circle!

O nascer helíaco ou nascimento heliacal de um corpo celeste é o momento em que este torna-se visível no horizonte imediatamente antes do nascer do Sol, estando suficientemente afastado para que não seja ofuscado pelo brilho dele.

Várias civilizações adotavam o nascer helíaco de determinados objetos como marcos em seus calendários.
Os egípcios observavam o nascer helíaco de Sirius e alguns grupos indígenas brasileiros o nascer helíaco das Plêiades.

Segundo Samuel Sharpe, foi através de observações do nascimento heliacal de Sirius (a estrela do cão) que os egípcios determinaram a duração do ano egípcio em trezentos e sessenta e cinco dias; a duração da vida de um observador, de cerca de quarenta anos, não seria suficiente para identificar com precisão que um ano de 365 dias não seria o valor de um ano sideral.

No Antigo Egito, o ano sótico, ou ano canicular, começava durante o nascimento heliacal da estrela do Cão. O período sótico, ou período canicular, se iniciava quando o nascimento heliacal da estrela Sirius (a estrela do cão) ocorria no primeiro dia de Thoth.
WIKIPÉDIA

Todos os anos, a mesma celebração que os antigos egípcios, por exemplo, realizavam diante do nascimento helíaco de Sirius, é repetida em mensagens crop circle muito especiais.
Geralmente mensagens maravilhosas aparecerem entre os dias 25 e 26 de cada ano, o que é uma combinação interessante com o DIA VERDE do calendário maia, na mesma faixa.

O crop circle abaixo é um entre tantos os que já apareceram com esta mensagem nos referidos dias do ano.
Ele surgiu em 25.07.2007, na Inglaterra.

Aliás, o ano de 2007, configurando o padrão numérico 72 (cabalístico e também relacionado ao pentagrama) foi um ano muito especial em termos de mensagens ao mundo.

Ele combina o símbolo astrológico de Vênus (círculo sobre a cruz) com o símbolo da estrela, Sirius, o pentagrama (que também é um símbolo venusiano).
Há um crescente lunar sobreposto aos dois símbolos, sugerindo também relação com Mercúrio e também conjunção planetária naquele ano envolvendo luas ou eclipses.

De forma magnífica, e mais uma vez, os autores crop circle assinaram numa formação, e eles tem relação direta com venusianos e sirianos, porque trata-se de uma assinatura repetida ao longo de 30 anos de mensagens registradas (1990-2020) e que nunca falharam.

Eu duvido que grupos de pessoas dispersas no espaço e no tempo tivessem um empenho tão grande em sustentar tais mensagens com tantos padrões e assinaturas repetidas, no mundo inteiro, por 30 anos, criando um corpo de mensagens tão completo e preciso na atualidade, sem qualquer contradição entre suas partes.

Essa, para mim, é uma das maiores provas da assinatura extraterrestre dos crops circles, e obras humanas imediatamente destoarão do conjunto mencionado.
Ou serão como peças de um puzzle que não se encaixa em parte alguma do quadro montado.

Prestem atenção, porque entre os dias 25 e 26 de julho, poderemos ter nova notificação de venusianos, sob a renovada luz de Sirius!

Fractal de Julia no crop circle de 1996
Crops circles definidos por padrões matemáticos complexos!

Em 1996, dois modelos deste tipo apareceram, o primeiro, com uma espiral, em 7 em julho, diante do monumento de Stonehenge, e o segundo, no dia 29 de julho, com três braços de espiral, 22 dias depois (11-11), cujo padrão repetiu-se no atual crop circle da Polônia, meio de julho, 2020, 24 anos depois.

O modelo de 7 de julho de 1996 tem uma espiral com 34 círculos em progressão e regressão geométrica (de tamanhos) desembocando no círculo central 35 (soma 8).
Existem subníveis laterais, alternando sequências de pontos também em progressão aritmética de uma unidade, séries laterais de 1, 2, 3 círculos menores, compondo então a forma final do crop circle.

O total de pontos circulares de cada lado da espiral central, em sub-séries de 1, 2, 3 círculos menores, soma exatamente 56, o que, lado a lado, reproduz 56-56, e somando, 11-11.

Por alguma razão misteriosa, um único ponto circular foi inserido a mais nos braços externos da espiral (a única série de 4 círculos laterais) quebrando a harmonia total. Uma espécie de erro proposital que nos leva a outra direção de interpretação.

Vamos aos números totais.
São 34+1 = 35 círculos da espiral central, mais 56 e 56 laterais, ou seja,
S = 35+112 = 147
Somando aquele circulo extra, S+1 = 148, temos a resposta sobre o “erro proposital”.

Porque 148 soma 13, e treze é a transformação da matéria relacionada à própria definição de CAOS do conjunto Julia.
A matéria em transformação, desintegração de sistemas, dissolução fractal, 148 somando 13, que comporta a mesma definição de Pesach, Páscoa ou PASSAGEM na Cabala.
P-S-CH nas letras vale 80+60+8 = 148

E esta definição cabalistica vai ainda mais longe, porque 148 é o número de Pesach, Pascoa, ou a Passagem do corpo da morte para a imortalidade, já que a morte representa o estado caótico da transformação orgânica ou defunção, que, no caso da Passagem para o estado da energia crística, detém a morte como desintegração, sustentando uma reconstrução orgânica, celular e genética no que a Bíblia chama de Segundo Nascimento em vida após a morte interna (dos defeitos da natureza inferior, uma transmutação regida pelas leis da matemática).

Isso demonstra que a ciência também explica os mistérios do espírito atuando na matéria através de matemática pura, geometria, e vibrações, ou música dos números!

Passagens da matéria para outros estados dimensionais conforme os átomos se realinhem no espaço segundo a matemática das vibrações, e a maravilha é que isso pode ser usado na reconstrução fisica que define a imortalidade.

A tripla espiral de 1996 que retomou o modelo do Fractal da série Julia
E novamente, crops circles se revelam em sua complexidade matemática!

O crop circle de 29 de julho, 22 dias depois (de 7.7.1996)
Uma tripla espiral no estilo conjunto de Júlia, de complexidade ainda maior e certamente relacionada ao primeiro objeto espiral.

A sua estrutura é mais complexa, mas as três espirais no vórtice composto são simétricas (idênticas) entre si, em ângulos de 120 graus criando a sensação de vórtice horário, diferente, ou o oposto do vórtice da Polônia, anti-horário.

Cada braço tem uma série terminal de pequenos círculos que vão aumentando de tamanho conforme se aproximam do centro, e regridem em seguida até desembocar no circulo central.
Cada braço tem uma amostra diferente de pequenos pontos:
Um deles projeta 31 círculos até o círculo central. Outro projeta 32 círculos, e outro, 33 círculos, todos convergindo simetricamente para o círculo central.

O total parcial dessa estrutura será S = 31+32+33 = 96.
Mais o círculo central, 97.

As projeções laterais estão todas simétricas e, na sua distribuição, contemplam
17-17-17 círculos (nos três braços).
Olhe bem para esse padrão: 17-17-17 se transforma em 8-8-8, ou aquele padrão crop circle atual da Polônia.

Soma final: 97 + 17×3 = 97 + 51 = 148
Outra vez nos conectamos com o crop circle de 7 de julho, e as mesmas explicações podem ser aplicadas aqui, que produziu o mesmo valor 148 (publicação anterior)

Porque 148 soma 13, e treze é a transformação da matéria relacionada à própria definição de CAOS do conjunto Julia.
A matéria em transformação, desintegração de sistemas, dissolução fractal, 148 somando 13, que comporta a mesma definição de Pesach, Páscoa ou PASSAGEM na Cabala.
P-S-CH nas letras vale 80+60+8 = 148

E esta definição cabalistica vai ainda mais longe, porque 148 é o número de Pesach, Pascoa, ou a Passagem do corpo da morte para a imortalidade, já que a morte representa o estado caótico da transformação orgânica ou defunção, que, no caso da Passagem para o estado da energia crística, detém a morte como desintegração, sustentando uma reconstrução orgânica, celular e genética no que a Bíblia chama de Segundo Nascimento em vida após a morte interna (dos defeitos da natureza inferior, uma transmutação regida pelas leis da matemática).

Isso demonstra que a ciência também explica os mistérios do espírito atuando na matéria através de matemática pura, geometria, e vibrações, ou música dos números!

Passagens da matéria para outros estados dimensionais conforme os átomos se realinhem no espaço segundo a matemática das vibrações, e a maravilha é que isso pode ser usado na reconstrução fisica que define a imortalidade.

Mas, falando de cosmologia e o sinal 888, especialmente o número de círculos laterais nos três braços daquele vórtice de 1996 formando 17-17-17, cuja leitura no Taro (arcano 17) é estrela, e somando tudo 8-8-8, nos traz conexão direta no tempo com a formação recente da Polônia e com aquelas matérias que explicavam com detalhes porque o numeral 888 tem relação com estrelas nos valores da cosmologia antiga.

Então, se esse crop circle da Polônia se relaciona com estrelas e, ao mesmo tempo, geometrias fractais de transformação (analogias com os crops circles de 1996, 24 anos atrás, e 8+8+8 = 24!), então podemos concluir que esse modelo da Polônia pode se referir a eventos estelares, sinalizando para a Terra em breve, supernovas, ondas de rádio, ou quem sabe, telecomunicações alienígenas?

Eu pessoalmente acredito mais na possibilidade de fonte de raios X por via cosmológica (estrelas, emissão natural de ondas, supernovas, P 7X, etc).

Mas tem muita gente que acha que tudo isso foi feito por humanos com suas tábuas e cordas.
Nem na casa da Júlia!

JP em 21.07.2020

O Poder profético dos crops circles

Dia 27 de junho de 2009, Inglaterra, uma andorinha formando um padrão de cometa, e uma cabeça Alien inserida nela, e outra cabeça Alien na base da formação, recebendo as linhas de pensamento, uma espécie de telepatia convertida em linhas de código neste intrigante crop circle venusiano, parte interpretável, com símbolos reconhecidos, e parte incógnito, com símbolos nunca vistos, como se realmente fosse um tipo de escrita de caracteres alienígenas.

E, em 2013, 4 anos DEPOIS, o surgimento do cometa ISON, que maifestou comportamentos estranhos diante dos sensores de monitoramento do mundo inteiro, inclusive sugeriu-se que ele era acompanhado por UFOs.
Até que encontrou no periélio solar, em novembro daquele mesmo ano, a sua desintegração.

Uma teoria:
por que UFOS acompanhariam um grande cometa?
Talvez para evitar algum impacto ou problema maior que poderia ter acontecido e não aconteceu justamente por causa da interferência alienígena?

Essa é uma forte hipótese da Ufologia em torno dos Extraterrestres guardiões da humanidade, anônimos vigilantes que já nos livraram de muitas encrencas sem que ao menos soubéssemos para lhes agradecer, atribuindo tudo à sorte ou acaso… esse é um dos muitos exemplos dos crops circles proféticos, anunciando antes coisas que se materializam depois. Como a recente tormenta solar chegando na Terra, anunciada duas semanas antes…

Tapeçaria e arte crop circle

num modelo bem antigo, de 6 de agosto de 1999, Inglaterra, Heptagramas com rendas e tranças nas hastes do trigo.
Quatro círculos em cada um dos sete eixos convergindo ao centro, e a conta total produz 4×7 + 1 círculos, igual a 29, que soma 11.

E dentro dos círculos, e no espaço ao redor, a finíssima tapeçaria de trigo!
A data também revela padrões numerais.
Fazendo 6+8+1+9+9+9 = 42, múltiplo de sete, alinhado com a simbologia setenária da formação.
Todos os detalhes são incorporados no conjunto das mensagens, datas, locais escolhidos, orientação das figuras, sítios arqueológicos próximos, configurações de planetas e estrelas no céu daquele crop circle, etc…

Padrões, mensagens repetidas, sempre o mesmo teor em símbolos alternantes, com toda a arte da geometria sagrada combinada a técnica de manipulação das plantas, sem nunca quebrá-las e ferí-la de modo algum, apenas dobrá-las, porque continuam vivas, e ainda mais vivas, mais energizadas, pela influência de campo vital do crop circle em seu perímetro…

Tratores? Tábuas e cordas? humanos invadindo fazendas para “brincar” de desenhar crops circles?
Esqueça! Imaturo demais que tudo isso é obra humana, o velho atalho das mentes céticas que sempre preferem pensar pelo caminho mais curto e fácil na solução de problemas…

Este é mais um delicioso aperitivo para os simpatizantes do fenômeno,
e mais uma tragada indigesta para os céticos.

Ps: a simbologia do Heptagrama ou estrela de sete pontas é sempre espiritual, geralmente relacionada a hierarquias e elevadas autoridades do mundo espiritual, isso por causa da ressonância do número Sete com o espírito, e na Bíblia, encontramos farta literatura relacionada a esse respeito. O Apocalipse, por exemplo, é totalmente codificado na simbologia do SETE.

JP em 22.07.2020

Diretrizes de Trabalho com os crops circles

Agora que temos maiores e melhores revelações abertas sobre os crops circles, aconselho a todos os interessados se envolverem de forma mais profunda com esse fenômeno, e tomando parte dele, tomarão parte de suas finalidades implícitas.
Uma delas garante que os crops circles criam uma espécie de rede telepática mundial através do padrão de imagens correndo todo o planeta e todas as mentes atraídas por elas.
Criou-se, há décadas, uma Egrégora mental confeccionada pelos crops circles numa progressão inteligente e série calculada por eles, para chegar aos seus fins em nosso tempo.

Aqui mesmo, creio eu, a página brasileira mais importante a divulgar o assunto, com consistência de estudos e demonstrações concretas de contato, se criou uma Egrégora mental poderosa conectada a eles, e todos nós poderemos desfrutar de um bom trabalho, entrando numa rede telepática cujo alvo central é despertar a nossa consciência, nos realinhando com a Verdade divina, Verdade essa que os Aliens também servem, tal como nós já servimos um dia…

Obs: no fantástico crop circle inglês de 27.06.2009, vemos, no corpo da andorinha, uma cabeça Alien, se comunicando telepaticamente com outra, na base, através de linhas mentais em código.
Este é um dos crops circles mais específicos na revelação da telepatia extraterrestre-venusiana fluindo entre as mandalas espalhadas na Inglaterra para o mundo!

Crops circles e pirâmides

Notem a relação:
O Egito foi o país do mundo antigo que abrigou as pirâmides mais poderosas da Terra, construídas na região que hoje nós identificamos como sendo o chakra cardiaco do planeta.

A partir dali, uma rede de pirâmides menores foi construída em todo o planeta, criando uma espécie de grade de vibração a partir da captação da energia telúrica por todas elas, convertendo tudo isso em sinalização na quarta dimensão da Terra, e criando um verdadeiro radar de comunicação permanente com as estrelas.

É uma outra forma de compreender uma Internet alienígena criada no passado para manter a Terra, importante para eles, dentro de uma sinalização permanente, através da grade vibratória criada pelas pirâmides posicionadas em pontos estratégicos da Terra, a partir do antigo Egito.

Repare nos crops circles.

Elegeram um novo ponto estratégico, a Inglaterra, e até o monumento de Stonehenge, sul da Inglaterra, Wilthire, pode ser considerado uma referência deles. Circular, ele também lembra uma mandala crop circle, usado na antiguidade para criar conexões de energia com as estrelas.

Pois bem, o moderno plano dos crops circles imita o antigo plano da pirâmides do Egito.

Um centro de referência, um chakra planetário importante no sul da Inglaterra, e crops circles aparecendo no mundo inteiro, repetindo OS MESMOS SÍMBOLOS, inclusive no nosso Brasil.

Pode ser que o chakra cardiaco central da Terra tenha se movido do Egito, região de Gizé (Cairo) para o Sul da Inglaterra, o que explicaria a pergunta de muitos:
Por que a Inglaterra é o epicentro mundial dos crops circles?

Todos eles compondo anualmente uma grade de conexão alienígena, de uma forma sutil, que circula no planeta de forma segura e intocável, porque o mundo moderno e a ciência oficial não acreditam neles!

Essa é a proteção perfeita para que eles continuem compondo sua Internet cósmica e sua telepatia em rede com as mentes sintonizadas em Egrégora com suas mensagens.

Assim, temos feito um bom trabalho debaixo das barbas do Sistema, tolo Sistema que pensa estar no controle das coisas, e que julga poder cancelar a nossa fé nesse evangelho divino só por causa de suas críticas negativas e cheias de deboche, ceticismo e ironia arrogante.

(Imagem, crop circle de 21.06.2001, Inglaterra)

Aqui, a degustação é outra

É costume comum dos usuários do facebook colocarem lindas fotos de receitas culinárias, bolos, doces, assados, pizzas, churrascos, e tudo o que venha para instigar a gula humana a partir dos olhos, com muitas curtidas e compartilhamentos garantidos!

Nada contra um pedaço de bolo na hora certa, desde que na moderação, but…

Aqui, a degustação é outra!
Todos os dias, oferecemos um pão diferente, um pão para a alma chamado Conhecimento,
para ser degustado com os olhos do coração,
na certeza de que ele faz muito bem para a saúde do espírito.

E desse pão eu sou guloso!

Bom apetite!

Crop circle modelo pizza 2010, com 12 faixas em código sequencial já decifrado:
Em matemática, a identidade de Euler é representada pela equação
{e^{i.pi }+1=0}

A beleza da equação é que ela relaciona cinco números fundamentais da matemática: e, pi, i, 0 e 1; e as operações base da matemática: adição, multiplicação e exponenciação.

Isso demonstra o quanto os Aliens conhecem a nossa matemática avançada, e enquanto, eu fico imaginando como será a matemática deles…

JP 01.08.2020

O Código Lazarus no crop circle da Borboleta
um dos maiores crops circles já realizados!

Holanda, 8 de agosto de 2009
Um imenso crop circle, de cerca de 500 metros de comprimento,
apareceu junto a rodovias movimentadas na Holanda,
e como sempre, ninguem viu nada… porque, se fosse obra humana, um crop circle desse tamanho, e perto de rodovias, necessariamente teria que ser visto por muitas testemunhas.
Mas não foi o caso.

Tal como o crop circle do Índio, essa é outra amostra dos códigos de ressurreição em muitos deles.

Chaves para vencer a morte, para realinhar o DNA mortal com o DNA imortal de Adam Kadmon, o super homem que já fomos um dia antes da queda na bestialidade instintiva que hoje, governa a mente dos humanos geneticamente defeituosos, não de fábrica, porque vieram perfeitos, mas defeituosos pelo abuso e mau uso de suas nobres faculdades…

O crop circle da Borboleta humana o estilo Homem Vitruviano, de Leonardo da Vinci, gênio que também procurou avidamente pelas chaves da imortalidade, alquimista que foi.
E aqui, os Aliens de Vênus, que repartem nosso DNA dum mesmo tronco ancestral relacionado ao Adão edênico, enviaram o código Lazarus na ressurreição da larva em borboleta.

Ninguém tem que morrer eternamente para escalar as escadarias da evolução cósmica.
Isso pode, isso deve ser feito em condição de veiculo imortal.
Muita gente te ensinou coisas erradas a respeito da reencarnação como única maneira de evoluir.
Tanto que Jesus não falou uma única linha sobre reencarnação.
Isso porque ele trouxe algo muito melhor.
A possibilidade de se viver para sempre, reassumindo a mesma condição (perdida) dos anjos (que já fomos um dia) em existência imortal nas estrelas.

Vamos publicar em breve o código Lazarus na análise da borboleta humana, aliás, carregada de padrões 11-11.
Então, acompanhe o canal e nunca desligue a estação mental!

Não precisamos morrer fisicamente de forma repetida para despertar a consciência divina.
Não é exatamente a matéria física que precisa morrer para que isso aconteça. Mas sim, os estados de imperfeição da alma.
Essa é a lição central da morte que conduz à vida eterna dos evangelhos, a mesma lição do Budismo clássico que ensina como deter a roda do tempo, a roda do Samsara cujo eixo atravessa nosso corpo ainda vivo de ilusões…

E quando os estados impuros e imperfeitos da mente e da alma morrem na raiz mais profunda do nosso psiquismo, é que a mente se torna liberada outra vez para realinhar nosso DNA corrompido com o padrão original de Adam Kadmon, o homem cristal eterno ressonante com as estrelas…

Despedaçar esse eixo é deter o tempo, é quebrar a roda, é viver para sempre no mesmo grau dos Anjos, em veículos imortais… são lições que estão ensinando errado para muita gente aqui, via canalizações impuras.
Mas, como eu disse antes, crops circles estão aqui para realinhar nossa consciência com a Verdade.

Assim seja, porque assim será!

JP em 02.08.2020

Fênix Crop Circle de 2009

Uma Fênix, disse a maioria, apareceu na Inglaterra neste crop circle, no dia 12 de junho de 2009.
Porém, há muito mais que uma Fênix.
Se você olhar para o design da cabeça, não verá uma Fênix, e sim, um Grifo.
E se olhar para as penas da cauda e visualizar ali um bico de ave, e os pequenos olhos laterais, verá também a
cabeça de uma águia.
Fênix, Grifo, Águia… os dois primeiros são seres mitológicos.
E o segundo, a rainha das aves em nossos céus.

A Fênix é aquele pássaro mítico que incinera a si mesmo para renascer mais poderosa e brilhante de suas próprias
cinzas, um símbolo da metamorfose e da transformação cíclica da consciência, renascida de suas ruínas, dissabores e
amargas experiências.

E o Grifo?
“Grifo é uma criatura lendária alada com cabeça e asas de águia e corpo de leão. Os grifos faziam seus ninhos como
qualquer outro animal, contudo, a matéria prima dos ninhos era de ouro.
Acreditava-se que os grifos eram inimigos dos basiliscos, uma serpente fantástica.”

“A figura do grifo surgiu no Oriente Médio,onde era representado por meio de esculturas, pinturas e relevos em
paredes. Ele está diretamente relacionado à religião zoroastra. Eles estavam também relacionado aos símbolos usados
pelos magos e sacerdotes dessa religião. Como eram seres que possuíam asas, acreditava-se que tinham ligação com o
mundo celestial. Ele era considerado o símbolo das sabedorias celestes e terrenas, pelo fato de possuir asas e ao
mesmo tempo possuir cabeça de leão, formando um sincretismo entre o mundo sobrenatural e o terreno.

Ainda na Grécia, os grifos eram tratados como seres guardiões. No caso de Dionísio, os grifos protegiam sua cratera
de vinho. Já por Apolo eles eram utilizados por Apolo para que guardassem os tesouros dele em Hiperbórea, uma terra
mítica em um lugar ao norte. Outro deus que os utilizam como fiéis “cães de guarda” era Zeus, o deus dos trovões.”
Wikipédia


Ora, as esfinges derivam-se dos grifos, como leões alados, guardiões de templos e tesouros, e inimiga da serpente
basilisco, a inimiga da humanidade.
Tem algo paralelo ao simbolismo da fênix, porque o leão está associado ao fogo, enquanto as asas da águia, ao ar e
ao sentido de trasnmutação de energia. Algo ligado a Alquimia antiga, reduzir a matéria prima a cinzas até que seja
projetada a semente do ouro desejado.
Grifos também foram associados a Cristo na Idade Média. O Leão de Judá e a Águia da Justiça, ambas figuras presentes no Apocalipse.

Além das referências alquimistas veladas, o grifo e a fênix são símbolos da alta espiritualidade, da ascensão por
meio da transformação do denso em sutil, do impuro em puro, do animal em angelical… do humano imperfeito no divino
perfeito.

O magnífico crop circle tem várias estruturas.
No topo, um grande Sol rodeado por três pequenos círculos, pode ser uma referência a Sirius, cujo sistema estelar é
tríplice (a origem dos Anunnaki, os primeiros instrutores da civilização humana).

Deles é que vieram todos estes arquétipos do conhecimento superior impressos nos símbolos que fizeram uma corrente
de transmissão até os nossos dias pelos guardiões das tradições antigas.

A cabeça do grifo também está cercada, lado a lado, por três círculos, o que perfaz o número-arcano 33, idade de
Cristo e o grau do Mestre na Maçonaria, que é o Mestre que morre e renasce. Relação direta com a simbologia da
Fênix.

Ele possui duas asas com sete penas cada, e isso perfaz 14, outro código interessante no Taro, Arcano 14, o Anjo da
Alquimia, realizando operações de mistura de um líquido em duas urnas, ouro e prata, Sol e Lua, até obter a pedra
filosofal da Alquimia que é a Androginia.

Muitos crops circles reproduzem esse padrão de penas, 7-7 somando 14.

E o significado é sempre este, a Alquimia rumo ao andrógino elementar, andrógino esse que começa com a restauração
da nossa condição mental nivelada (nosso cérebro trabalha somente em meia banda, desafaso, dai nossas severas
limitações psíquicas, nossa energia mental atua sempre numa banda preferencial dos dois hemisférios).
O Grifo é um andrógino, o leão como elemento masculino e a águia, feminino, reunidos num ser binário completo que então assume poder de transformação plena (Fênix), chamas da renovação.

O disco onde o Grifo se encontra também reúne um crescente lunar e um Sol (ao fundo de sua cabeça), outra vez, alquimia Sol e Lua representada.

Nas extremidades, as sete penas da parte interna se projetam em doze pontas, de cada lado.

Doze e doze, vinte e quatro, o número dos anciões diante do Trono do Senhor IAO do Apocalipse, ou Cristo empossado de poder, o que pode transformar a leitura desse grifo-fênix numa mensagem de renovação e alquimia estendidas a todo o planeta, tal como já acontece a cada novo capítulo do planeta extremo.

A cauda do animal tem 16 penas, e algumas chamas saindo delas.
Somando as 24 penas das asas com as 16 penas da cauda, 40 penas.
Um número igualmente recorrente nos crops circles e que, alinhado pela sabedoria bíblica, nos fala de tempos de penitência e deserto, onde as energias se concentram para purificar e transformar o penitente.
O deserto é um cenário relacionado ao conceito da própria fenix, ele reúne condições extremas que transformam todo aquele submetido ao seu universo.

Dois pequenos círculos laterais fazem parecer dois olhos ao lado de um grande bico de águia numa visão frontal.
A águia completa a simbologia espiritual do crop circle, o pássaro que voa mais alto e contempla as luzes do Sol… símbolo total do espirito transcendido da condição material.
Vasta demais a simbologia da águia nos arquétipos para que possamos falar de todos eles, mas o sentido é sempre positivo, superior e transcendente.

Onze pequenos círculos na composição, e Onze é sempre arcano de força em todas essas leituras crop circle bastante padronizadas em séries de repetição.

Crops circles sempre tem mensagens direcionadas a dois campos: o individual e o coletivo.

Falam de chaves e ampliam os conhecimentos do passado, que visam educar o homem na direção da sua transformação espiritual, e ao mesmo tempo, anunciam os agentes da transformação planetária como um todo, alinhados com as antigas profecias que sabem que não há renovação se morte, e que essa é a lei que garante a própria vida.

JP

Uma sensacional formação na Holanda!
Nem só da Inglaterra vivem os crops circles!

Veja essa incrível geometria fractal que apareceu na Holanda, em 23 de julho de 1999. Ela já completou 21 anos de existência e ainda continua surpreendendo! Um modelo fractal e que, ao mesmo tempo, visualiza um efeito 3D dotado de movimento e fluxo: o fluxo das três forças de campo do Universo, talvez uma tentativa de nos ensinar alguma coisa sobre o Campo Unificado, esta sinfonia inacabada de Einstein…

Eu lhe pergunto: obra humana?
Lembrando que parte vital da arte crop circle é direcionada para o cenário aéreo, ou seja, vistas do chão elas nada significam, mas quando são vistas do alto, é que seu significado se revela.
Algo que as linhas de Nazca já pretendiam aos deuses astronautas da antiguidade.
Como poderiam seres humanos projetar no chão essas linhas que se revelam perfeitas e absolutamente intocáveis vistas do alto?

Considerou isso?

JP em 03.08.2020

A chave 11-11 num dos primeiros crops circles codificados em binário

Este magnífico crop circle foi um dos primeiros que apareceu portando um código binário em suas imagens, dentro de um grupo de cinco barras com três variações de sequência, repetidos nos quatro ângulos da formação em cruz, e repetindo também a série, em ordens diferentes: 14-21-21-27, somando 83.
Ora, repetindo esse valor nos quatro ângulos, temos dois pares de 83 cruzados (83-83 // 83-83),
o que, pela soma 3+8, nos leva ao padrão 11-11 em cruz.

Pois bem, desde 1990 o padrão 11-11 sempre foi empregado como parte essencial da mensagem, que significa eventos sincronitários sendo disparados na Terra, a medida que o tempo se aproximava da data-limite maia de 21 de dezembro de 2012 e todas as suas implicações para a Terra.

E este crop circle evocou a ciência do calendário maia, primeiro, na ornamentação pré-colombiana do anel externo (bordas), em espirais quadradas de 8 voltas. Se espiral é tempo, e se considerarmos cada volta como um ano, e se considerarmos o ano de 2005 (do crop circle) incluso na conta, então 2005+8 anos = 2012, já no final (perto de 2013). O disco com 20 espirais quadradas faz analogia aos 20 selos do calendário maia.

No centro, temos a face Alien coroada, e uma combinação do Sol e da Lua num formato de eclipse, porque eclipse é alinhamento, e essa imagem simboliza o grande alinhamento de 2012 aqui anunciado, 8 anos antes.
Foi a primeira vez que a face Alien coroada (sugerindo uma hierarquia) apareceu em tal configuração de código binário)

Este foi mais um magnífico crop circle declarando que, a partir de 2012, dezembro, uma onda de gatilhos sincronitários (estilo 11-11) começaria a ser disparada na Terra por causa dos alinhamentos e a implicação da aproximação de um segundo Sol do sistema “realinhado”.
E de fato, temos visto tudo isso acontecer em nossa época, 8 anos depois de 2012 (outro 8) em pleno 2020.

E note a data do crop circle: 9 de agosto. A mesma data que tenho explorado para agora, daqui a 3 dias, em 9 de agosto de 2020, de acordo com o arranjo planetário em forma de T e vários padrões crop circle deste ano sendo repetidos nas últimas formações.

Por coincidência, o dia 9 de agosto próximo cairá num domingo (o dia preferido dos Aliens para mandar crops circles) e será o dia dos pais… como me notificou o amigo Rodrigo … um belo dia para uma mensagem do PAI de todos os seres nos campos de cultivo às vésperas das colheitas de agosto?

Outra incrível concordância: Em 09 de agosto, é comemorado o Dia Internacional dos Povos Indígenas.
E não foi este um crop circle relacionado ao conhecimento de um dos povos mais sábios da Terra antiga, os maias?
Certamente, o dia 9 de agosto de 2020 promete ser muito especial.

Aqui, vemos o Alien coroado no centro da mandala de quatro direções, e o último crop circle colocou a Árvore da Vida no centro de uma mandala também com quatro direções.
Chegando a hora do Senhor do Trono dos quatro espíritos se revelar?

CONTATO!

JP em 05.08.2020

Alertas de Guerra nos crops circles

Não foram poucas as mensagens crop circle alertando o mundo sobre o risco das guerras.
Separei duas imagens e mensagens poderosas, uma direta e outra, simbólica.

A mensagem direta apareceu nesta espiral (a esquerda) em 2014, traçada em código morse (ponto e traço), o qual, decodificado de forma simples e direta, escreveu (em inglês, o idioma da pátria do fenômeno crop circle, Inglaterra):

NO MORE WAR
“NÃO MAIS GUERRA”

Isso é mais um pedido que um alerta dos Aliens ao mundo, sempre preocupados especialmente com guerras envolvendo armamentos nucleares.

Pois bem, no ano seguinte, 2015, um tremendo e enorme crop circle com mensagem simbólica voltou a aparecer nos campos da Inglaterra, mostrando dois mísseis em colisão, inclusive produzindo ondas de choque.

E combinado a isso, uma espécie de relógio ao fundo, com ponteiros alinhados sobre doze marcadores, como que indicando A HORA DA GUERRA.

A Terceira Guerra Mundial, a cada dia que passa, se torna uma ameaça real dentro do tabuleiro do Xadrez Mundial.

Jesus falou: quando viessem os rumores de Guerra, este seria o sinal não do fim, mas do início das dores.
E vocês verão Jerusalém sitiada, completou…

Vejam vocês, crops circles têm se mostrado extremamente eficientes nas previsões de tempestades solares e outras catástrofes… alguma chance de errarem a respeito das guerras?

Vigiai e orai…

JP em 07.08.2020

Um dos crops circles com assinatura T
E um dos mais enigmáticos da temporada 2014 (quando eu conheci o Lord T em abril, e nos meses seguintes, vários crops circles assinaram com T – este foi um deles).

Um círculo central belamente trançado, e três arcos angulares, dois com a letra T na extremidade, e um com um pequeno circulo, o que compõe facilmente o número 101.

Em Welsh Way, nr Barnsley, Gloucestershire, UK em 22-7-2014, exatos 3 meses depois de eu entrar em contato com informações sobre o Lord T, em 21 de abril de 2014. O crop circle mostra o Sol com três arcos, como três meses passados.
E 101?
Este é o número da palavra hebraica Mensageiro, MLAKI, que é também o número do Nome de Miguel (MIKAL) em hebraico, do qual MLAKI (mensageiro ou ANJO) é perfeito anagrama!
O binário disso é 101 = 1 + 4 = 5, o Pentagrama (Vênus)

O centro do crop circle, círculo central e barra, perfaz um 10, ou 1-0, outro elemento binário.
10101 = 1+4+16 = 21 (a data 21 de abril quando eu conheci o Lord T).

Existem outros crops circles daquele ano de 2014 ainda mais enigmáticos que este, seguirei publicando.

JP em 10.08.2020

Código Sirius em Stonehenge 2016

Essa magnífica estrela heptagonal da Alquimia apareceu próxima de Stonehenge, Inglaterra, no dia 7 de julho de 2016, quando, todos os anos, o Sol se alinha com a estrela Sirius, na constelação do Cão maior.

Note a data, ela perfaz um triplo Sete, que tem sentido de PONTE na Cabala:
07-07-2016, 7-7-16, 777.
E soma 23 (a identidade cromossômica da humanidade).
Vínculos genéticos reais…

Pois bem, a Estrela da Alquimia cumpriu seu papel ao unir Sol e Lua na mesma figura.
As fórmulas alquimistas antigas usam Sol e Lua como símbolos das polaridades masculina e feminina da Obra, tal como o enxofre e o mercúrio, na obtenção do ouro real de Anunnaki a partir da transmutação do Chumbo e de outros metais e minérios.
Eles sabiam produzir ouro, e em quantidade e qualidade.

A trindade divina, Estrela, Lua e Sol, (na sequência dos arcanos 17, 18 e 19 do Taro), foram cercadas por um duplo anel com pontos marcando, de dentro para fora, 73 e 82 unidades.

A solução do enigma foi possível com o código ASCII de computadores, muito usados nos crops circles, ao lado dos seus equivalentes binários.

Ora, 73 = I e 82 = R.
IR

Porém, o crop circle é, todo ele, trinitário.
E se olharmos no centro, temos a letra S sugerida no Sol, (ou Sun, inglês), e na Estrela (Star, inglês) e no número sete (Seven), e também no nome do lugar, Stonehenge!

Além de tudo, o S de Sirius, que é a estrela relacionada ao Sol e Lua desta composição.

Assim, a palavra SIR aparece, como prefixo de Sirius (ou Sótis, na antiga língua egípcia), ou ainda, o título nobre de SIR, (“Senhor”, em inglês) que é o tratamento destinado aos cavaleiros da Ordem do Império Britânico. Nos tempos medievais, este era o título associado a cavaleiros servindo à nobreza.

Isso pode ajudar a explicar o misterioso conjunto de três letras que apareceram numa antiga formação da Inglaterra, em 3 de agosto de 1999: S V T.

Sir
Valiant
Thor!

Um cavaleiro de Vênus servindo a Sua Majestade, o Cristo.

Mais uma assinatura para a coleção!

JP em 13.08.2020

Código T crop circle 2014

Outro crop circle bem expressivo apareceu em 2014 (um ano com muitos objetos assinados pela letra T, coisa que se repetiu na temporada 2020), e que pouca gente, ou ninguém entendeu.
Que T era esse?
Eu conheci o Lord T em 21 de abril de 2014, e note o espelho numérico (por coincidência):
21-04-2014 = 214 – 214 (7-7) padrão crop circle.

O crop circle é de Sutton Hall, Inglaterra, dia 24 de Julho de 2014, e marca etapas de um eclipse solar, que aparece representado no centro, ladeado por dois círculos do mesmo tamanho.
O argumento do número 3 esta presente.

Três grandes círculos alinhados no eixo horizontal, e três pequenos circulos (pontos) alinhados em cruz, na base, formando um T. E para completar, uma pequena letra T aparece repetida, embaixo.

Podemos interpretar esse duplo 3 em cruz como sendo o sinal 33, em referência à cruz de Cristo e o signo do Tau.
Até porque a Páscoa naquele ano caiu no dia 20 de abril, um dia antes de eu conhecer o Lord T.
Uma energia crística promovendo secretamente este encontro?
Seis anos se passaram e tudo confirma isso. E seguirá confirmando.

O Eclipse solar próximo aconteceu em 29 de Abril, 8 dias depois de 21 de abril, no signo de Touro (outra referência da letra T). Do dia do eclipse solar até a data do crop circle, 24 de julho, são três meses, outra alegoria de tempo para o arranjo de grupos de 3 no crop circle.

Outros crops circles apareceram no mesmo ano com esta assinatura.
E nenhum pesquisador as interpretou.
Até agora.

Código T crop circle 2014 2

Agora, outro par de crops circles naquele ano de 2014 (onde conheci a história do Irmão T), ano onde a assinatura T apareceu várias vezes (como não antes) em diversas formações.

Uma delas foi dupla, isto é, teve duas fases, no campo de Ark Lane, Inglaterra.
Primeiro, apareceu um grande círculo em divisão setenária, com uma lua em formato crescente dentro dele, assemelhando-se a um radar ou painel sinalizador de varredura de objetos no céu.
Depois de 5 dias, um grande pictograma apareceu do lado da primeira formação, como que completando-a, porque repetiu a mesma lua crescente em seu eixo misterioso.

Quatro vezes a letra T foi assinalada neste pictograma astronômico, mostrando planetas em curso, alinhamentos e provavelmente fazendo relações com o eclipse solar passado, 29 de abril de 2014, quatro meses atrás (quatro letras T e também, parâmetros no pictograma indicando essa mesma medida de tempo, e outros símbolos indicando conjunção, procuras e encontros etc, porque o sentido do painel de radar detectando o objeto é exatamente este.
E foi realmente um ano onde iniciei minhas buscas em torno deste mistério de um modo muito intenso.
E a busca ainda prossegue…

JP em 15.08.2020

A mensagem do crop circle de Stonehenge 2002
O cromossomo 24 perdido

Em 4 de julho de 2002, Inglaterra, bem diante do monumento de Stonehenge, apareceu um gigantesco crop circle em formato hexagonal. Ele era composto de seis grandes fitas, girando num vórtex em uma incrível perspectiva 3D.

Cada fita trazia uma “onda” completa, alternando a cor claro-escuro em relação às faces externa e interna.

Cada um dos seis eixos trazia três faces da mesma fita, e no centro, uma curva ligando cada uma delas ao centro da formação. E isso totaliza 4×6 = 24 unidades geométricas.
O mesmo número do cromossomo perdido, 24, porque a identidade genética da humanidade termina nos cromossomos sexuais, o par 23 (todos os cromossomos são pares).

Se Stonhenge é um monumento composto para avaliar alinhamentos e direções estelares no céu, então a primeira mensagem “subliminar” deste crop circle é a de que nossa herança genética é estelar.
E nossa identidade cromossômica total é de 24 pares cromossômicos (48 cromossomos).

O nosso DNA é uma fita helicoidal dupla, representada pelo número 8.
O crop circle veio em estrutura hexagonal (6), e se multiplicarmos o Hexágono 6 (a matriz do Espírito) com a cadeia 8 (o laço, a vida – porque toda vida resulta num laço entre vidas, a vida é um fenômeno de coletividade de vidas, a partir do próprio conceito celular) isso gera 48.

Se diz que a Terra foi povoada por doze tribos de quatro “raças” distintas, na antiguidade representada pelas cores vermelha (indígena), amarela (oriental), negra (africana) e branca (caucasiana).
Multiplicando o número das tribos pelas raças, 4 x 12 = 48.
A Bíblia é repleta de codificações envolvendo os números 12, 24 e 48, além de 72 e 144.

Aliás, no hebraico, 48 é o número do termo KUKB, Estrela.
O que, mais uma vez, demonstra que nosso corpo até pode ter vindo de evolução mineral neste mundo (o barro do Éden), mas certamente a nossa alma e a sua identidade genética vieram ambas das estrelas… da nossa Mãe Sirius.

Coincidência ou não, a Estrela de Seis pontas é o símbolo da nação de Israel.
E foi no ano de 1948 que os judeus espalhados pelo mundo voltaram para sua nação.
Israel, na Bíblia, sempre representou essa nação pura e selecionada pelas Mãos do próprio Deus, tanto em termos genéticos como em termos de qualidades e virtudes desenvolvidas.

A mesma Bíblia, contudo, após a crucificação de Cristo, alta traição de Israel, verifica que Deus quebrou todos os pactos com aquela nação, e o termo Israel passou a representar os povos que, espalhados pela Terra, fossem assumindo ou melhor, reassumindo sua pureza espiritual e genética com base no pacto de sangue com Jesus Cristo, que ao morrer na Cruz, prometeu devolver à raça humana caída a sua constituição genética e espiritual imortal, isto é, o Adam Qadmon divino antes da queda no humano instintivo e mortal.

O mesmo Apocalipse inclusive ensina que a frequência oculta de 144 Hz pode realinhar gradualmente nosso DNA em medida 48 (porque 48 x 3 = 144).

São muitos os mistérios que tanta gente ignora desta matriz de conhecimentos por puro preconceito criado por causa dos maus religiosos.

JP em 18.08.2020

Comentários
Compartilhar