A serpente emplumada voando para Vênus em dois memoráveis crops circles no dia de Sirius

Foi no ano de 2010, Inglaterra, dia 25 de julho, que dois crops circles apareceram próximos um do outro, no mesmo campo: a Serpente e a Estrela.
E ninguém, nenhum estudioso ou pesquisador, interpretou a grandeza desse símbolo conjugado…

Milk Hill, UK 25.07.2010 1

A serpente emplumada voando para Vênus… ou para a Estrela Sirius, já que este par de crops circles surgiu precisamente no dia do nascimento helíaco de Sirius, anualmente entre 25 e 26 de julho.

Milk Hill, UK 25.07.2010 2
SIRIUS

Vamos começar a análise pela estrela, pentagrama estilizado, e como eu já declarei em muitas postagens anteriores, em praticamente todos os anos, todas as temporadas crop circle, ao menos um modelo de Pentagrama aparece, como uma assinatura simbólica da origem dos autores desta arte e mensagem ao mundo.
Em primeiro grau, Venusianos. E em segundo, Sirianos.

Em vez de pontas, os vértices da estrela-pentagrama foram ilustrados com cinco crescentes lunares, que representam em primeiro plano o alinhamento Sol-Lua em relação à Terra e, num segundo plano, um alinhamento cósmico que permita o movimento da serpente alada (a serpente alada é uma das representações antigas de Wormholes e Buracos de Minhoca – ou de serpente – alegoria que revela como os UFOs se movem nas distâncias astronômicas, através de atalhos hiperdimensionais. Crops circles com essa temática aparecem todo o tempo.

Dentro de cada um destes cinco crescentes lunares, um símbolo que reproduz o Caduceu de Mercúrio, o qual, na linguagem hermética, ensina a forma de se emplumar a serpente interna de energia (Kundalini).
Transporte-se essa chave hermética disciplinar para os modelos da High Tech UFO, e teremos uma parte dos mecanismos do movimento hiperdimensional das naves dentro do espaço-tempo manipulável.

Dessa interação entre Yang-Yin em energias polarizadas num perfeito equilibrio, as asas do Anjo e do movimento no Hiperespaço são conquistadas. Cada ação valendo em sua própria escala e esfera de energia mas como lei universal aplicável em todos os setores do Universo.

(7-7)

Cada serpente dentro do par cria uma espiral de sete níveis (7) antes de se fundir com a serpente gêmea (2).

Outro velho e importante código encontrado nas ciências do espírito na antiguidade, e de forma excelente, na Cabala bíblica e não-bíblica: Setenta e Dois.
Sete representa o ápice de evolução de uma banda de energia, quando ela se torna pronta para se unir à outra banda que lhe corresponde, que também evoluiu ao grau máximo sete, para comporem o andrógino final, a grande chave da Alquimia interna e da própria tecnologia avançada que se baseia em comandos semelhantes perante a compreensão da energia em mesmo aspecto, polarizada e que pode ser alquimizada num terceiro elemento singular que funciona como chave de abertura de dimensões, entre outras coisas.

É assim que a serpente tecnológica (UFO) se torna alada e capaz de voar até as estrelas mais distantes, como Sirius (na outra representação do pentagrama).

A estrela tem 25 pequenos pontos circulares distribuídos simetricamente em seu corpo.

E em cada um dos cinco caduceus, dois pontos na base e um ponto no topo repetem aquela ideia de energias polarizadas (7-2) alcançando um nível máximo de evolução antes de se combinar com o seu complemento e alcançar um terceiro elemento dotado de real poder.

Repete a data: 25.07.2010 e o nascimento helíaco de Sirius (entre 25 e 26 de julho), evento que tinha grande importância para os antigos, sendo repaginado na modernidade por diversos círculos místicos, realçado pelo fato de que o dia fora do tempo, segundo o calendário maia, acontece em 26 de julho.
Depois de um período de vários dias de ocultação (pelo Sol), Sirius volta a brilhar no leste entre os dias 25 e 26 de cada ano.

É para lá que toda serpente emplumada e todo UFO da Ordem Maior voa… por saber que lá está a sede maior da Fraternidade Branca em toda a nossa galáxia.

A serpente alada

Um crop circle magnífico, com diversos elementos.

A cabeça da serpente foi codificada pelo mesmo padrão Sol-Lua em formato de Crescente, ao qual se adicionou uma coroa de plumas: Serpente Alada coroada, o binário Sol-Lua reunido, Yang-Yin e Caduceu de Mercúrio, várias maneiras de dizer uma mesma coisa e lançar um mesmo segredo nos campos…

Note que esse padrão Sol-Lua está dentro de um formato de Cabeça Alienígena, também muito empregado nas simbologias crop circle de vários anos.

Face Alien padrão, compare com o formato da cabeça da serpente. A primeira imagem (acima) apareceu na Inglaterra em 22 de agosto de 1999)

A coroa de plumas tem 17 raios (penas), sendo oito e oito laterais, e um central.
O Arcano 17 se chama A ESTRELA, e representa geralmente Sirius, a estrela maior, a mais brilhante, diante das sete estrelas menores (Pleiades ou os sete planetas visíveis da Astrologia antiga).
As sete estrelas na mão direita daquele que vem em seu trono, em sua Merkabah (Apocalipse 1 e 4).

A Face ET coroada, Sol e Lua (binário) coroada com 17 plumas (a Estrela)
Sol, Lua e Estrela, os três elementos simbólicos da alquimia do caduceu num nível e aspecto macrocósmico e pessoal da chave da energia manipulada.

O diagrama crop circle nos permite uma melhor visualização dos muitos elementos do modelo.

O código 666 foi empregado: cada asa tem 6 círculos, e o corpo da serpente, 6 círculos.
Porém, a chave aqui é o encontro desta série de 666 círculos no círculo superior, a cabeça da serpente.
E os círculos do corpo foram formados por estágios de um eclipse, sugerindo que a serpente se move dentro do túnel virtual dos alinhamentos cósmicos (Wornholes).

E se somarmos todos os círculos, 6+6+6+1 (o círculo superior) isso nos dá 19, o número do Sol no Taro.
A serpente mergulha no núcleo solar através de um túnel de seis estágios de um alinhamento proposto.
A imagem exata de um SUNGATE ou portal DENTRO DO SOL capaz de arremessar os UFOs para as estrelas mais distantes do céu. Como Sirius e tantas outras.

Na magia cabalística e astrológica antiga, os números 6, 36 e 666 eram números do Sol e do quadrado mágico do Sol.
As asas e o corpo da serpente alada tem seis círculos cada (666) e o quadrado de 6 é 36, e a soma de todos os números do quadrado do Sol, 666!
Não há qualquer dúvida sobre a relação destes símbolos com o Sol e a dimensão oculta das serpentes aladas UFO em suas estradas via hiperespaço!

O detalhe final (3-8)

É a codificação colocada na cauda da serpente alada, a raiz de sua forma, em dois códigos, simbólico (garfo ou tridente) e maia (número 8, a barra valendo 5, e cada ponto sobre ela, valendo 1).

A primeira análise nos dá a soma 11 (3+8) que é a Força, na leitura do Arcano 11 do Taro:

O tridente é visto como símbolo das três forças unificadas (o que nos lembra a Teoria do Campo Unificado, de Albert Einstein). Energias sendo refinadas e transformadas em outros tipos de energia é um conceito fundamental do Universo aplicado em todo tipo de tecnologia existente e desconhecida por nós.

Na ordem cabalística de mundos, a sefirá 3 é o céu de Vênus, e a sefirá 8, o céu das estrelas fixas, regido pela estrela mais brilhante de todas, Sirius. Uma conexão direta Vênus-Sirius é proposta neste código 11 = 3+8, apresentando as formas de como a serpente alada UFO se comunica com estes setores do universo extraterrestre já destacado nos símbolos da sabedoria antiga.

Pelo fato do número 8 estar escrito em numeral maia, essa conexão final nos leva aos maias e ao seu calendário, e uma interpretação final se junta a todas as anteriores: esta dupla de crops circles é outro chamado ao retorno dos deuses das estrelas, Sirius, Plêiades e a própria Vênus interpretada simbolicamente como tal, como Estrela da Manhã, aquela que Nosso Senhor Jesus Cristo anunciou como luz de sua própria identidade:

Eu sou a Estrela resplandecente da Manhã!
Apocalipse 22: 16

Numa dimensão maior de entendimento, a Serpente Emplumada é a ponte entre os mundos extremos do universo, micro e macrocosmo, homem e Deus, longe e perto… não somente a alegoria das naves UFO voando em Buracos de Verme, mas principalmente, a alegoria da consciência que unificou carne e mente, matéria e energia, visível e invisível, corpo e alma, dentro e fora, e unindo as extremidades do universo polarizado, encontrou a porta de saída do mundo das ilusões e a porta de entrada para o mundo da Verdade finalmente revelada diante de sua consciência renascida sob uma nova luz, luz que voou em asas brilhantes para aquelas muitas Moradas do Pai!

JP em 19.07.2020

Comentários
Compartilhar