A Hora do Karma

Karma ou carma significa ação, em sânscrito (antiga língua sagrada da Índia) é um termo vindo da religião budista, hinduísta e jainista, adotado posteriormente também pelo espiritismo.

Na física, essa palavra é equivalente a lei: “Para toda ação existe uma reação de força equivalente em sentido contrário”, ou seja, para cada ação que um indivíduo pratica vai haver uma reação, dependendo da religião o sentido da palavra pode ser diferente, mas usualmente é relacionada a ação e suas consequências.

A lei do Karma é aquela lei que ajusta o efeito a sua causa, ou seja, todo o bem ou mal que tenhamos feito numa vida virá trazer-nos consequências boas ou más para esta vida ou próximas existências. A lei do Karma é imodificável, e é conhecida em várias religiões como “justiça celestial”.

Em sânscrito, karma significa “ato deliberado”. Nas suas origens, a palavra karma significava “força” ou “movimento”. Apesar disso, a literatura pós-védica expressa a evolução do termo para “lei” ou “ordem”, sendo definida muitas vezes como “lei de conservação da força”. Isto significa que cada pessoa receberá o resultado das suas ações. É um mero caso de causa e consequência.
*********************************************************************

Pelo caminho mais fácil do entendimento, Karma significam marcas de ações negativas que a alma carrega na sua linha de reencarnações, e essas marcas são aplicadas como efeitos daquelas ações na sua linha do tempo, programando todas as reações equivalentes à elas quando certos mecanismos do Grande Relógio Astrológico do Tempo Zodiacal se alinham.
Complexo abordar isso, mas vamos ao Ato Final da Grande Ópera.

Há uma Lei Cósmica, há uma Ordem Vigente, há uma conduta moral e espiritual inerentes à nossa existência física, neste e noutros mundos e planos de consciência, enfim, e tais padrões nunca são quebrados e transgredidos impunemente.
No tocante ao homem, três são as esferas onde Karma lhe é imputado, quando essas medidas são transgredidas ou excedidas:

Nas relações do homem consigo mesmo (corpo e mente, veículos emprestados pela Natureza para a sua alma reencarnante), nas relações do homem com o semelhante, e nas relações do homem com a Natureza e toda vida, que é Deus visível (a Natureza).

Outra questão é que, da mesma forma como a alma acumula karma individual em suas trajetórias de reencarnação, muitas almas irão partilhar o mesmo Karma quando, de algum modo, suas ações negativas se nivelarem ou mesmo se encontrarem no mesmo cenário da sua realização passada.
O que explica porque alguém nasce na África faminta, ou no Oriente Médio cheio de guerras, ou mesmo num paraíso qualquer fora desse mundo.

A Lei da Imantação Universal é que reúne as pessoas segundo o Karma que partilham e o nível de consciência que comungam, seja ele qual for, de bárbaros no meio de uma guerra ou de monges em meditação no alto de uma montanha desconhecida.

Disto isto, e em tempos que o Relógio do tempo parece ter soado a Hora do Karma, existem três maneiras de quitar o Karma:

1. Pela dor (o caminho mais comum, quando a alma não remove conscientemente a causa da dor nas suas ações negativas que continuam colocando o karma em marcha no destino)
2. Pelo trabalho (quando a pessoa se torna consciente destas causas, e as modifica pelo trabalho, tentando reparar como puder os efeitos negativos de seus erros consigo mesmo e ao redor)
3. Pela Graça Divina (por uma questão de méritos também procedentes de vidas passadas, o karma pode ser PERDOADO pelos Juízes da Lei, quando o Pai de todos os seres emitir essa Graça. Claro, essa espécie de quitação kármica é a mais rara de todas).

O mais comum é que a dor venha cobrar as dívidas da humanidade, já que faltam tanto os méritos espirituais para que as pessoas recebam a Graça do Alto, bem como trabalhos conscientes direcionados na mudança real dos erros que causam os efeitos negativos na vida.

E se estamos debaixo de um Grande Relógio, e cada novo ALINHAMENTO CÓSMICO dispara um novo efeito KÁRMICO de reações negativas sobre o mundo, eis que faltam poucos minutos, ou segundos, para que o ponteiro central deste grande Relógio alcance a Meia-Noite (a hora mais negra da Terra).
Ou como os sábios do Calendário Maia nos ensinaram: a Hora Treze! Hora da Grande Transformação Vermelha, purificadora, global.

E se o Karma global não pode ser mais alterado, infelizmente (ou felizmente, depende do ponto de vista) todas as profecias irão e terão que se cumprir.

O Apocalipse nunca esteve tão atualizado diante da humanidade, e só falta a cereja na cobertura para que o bolo seja servido (O Grande Sinal do Filho do Homem nos céus).

E se no passado reinava o deboche entre essa humanidade materialista e zombeteira, agora reina o silêncio, e sob suas pedras, o medo, o grande medo… de morrer!

Mas, eis a conclusão que quero depositar aqui:

Quem não deve, não teme!

Não é o que se diz costumeiramente?
Pena que muitos conseguem descansar quando pagam suas contas ao governo, mesmo tendo dívidas até o pescoço com a Justiça Divina.

Vigiar e Orar também é uma fórmula para que todos possam acertar suas contas com a Lei Maior.

E a Lei Maior nos deu um grande Fiador nesse momento em que todos nós estamos endividados até o pescoço.
Tenho certeza que você sabe quem é!

Só que agora, os teóricos moderninhos, inspirados em Keanu Reaves, resolveram entender o Karma como Matrix, para fugir de suas dívidas ancestrais apenas com “vibrações positivas..” como se pudessem!!!

O pior do Ego humano é que ele sempre encontra justificativas e subterfúgios para nunca olhar no espelho e assumir seus próprios erros.

Assim sendo, não tem fiador que resolva problema!

JP em 19.03.2020

Comentários
Compartilhar