A Fênix de Job

Satan ferindo Job (William Blake)

Um tratado de Alquimia antiga na Bíblia?
Pode apostar que sim.

Jó 29:18-20

“Jó ou Job (em hebraico: אִיּוֹב‎) é um personagem do livro mais antigo da Bíblia, isto é, o Livro de Jó do Antigo Testamento.
De acordo com a tradição, teria vivido na terra de Uz, local que até hoje não foi identificado ao certo pela ausência de evidências e pelo fato de a narrativa bíblica do mesmo se apresentar mais como uma poesia épica do que um relato factual.
Sua existência como pessoa histórica é motivos de muitos debates, principalmente entre rabinos intérpretes da Torá (os cinco primeiros livros da Bíblia hebraica) muito embora ele seja citado como pessoa histórica no livro de Ezequiel (capítulo 14) e, mais tarde, mencionado na epístola de Tiago (5:11).”
Wikipédia

O livro de Job é uma escritura fantástica, repleta de metáforas e ensinamentos secretos, provavelmente escrito pelo próprio Moisés, o sábio da Torá e herdeiro da tradição hermética do Antigo Egito, sabedoria de Toth.

Talvez Job nem tenha existido, talvez seja uma personagem fictícia, protagonista de um ensaio sobre vida, morte e renascimento, e todas as etapas que marcam o processo da metamorfose humana.

Tudo começa pelo simples fato de Job ter sido posto a prova por Deus, quando então o opositor, Satanás, aparece em cena para prová-lo. Note a relação com o evangelho de Cristo, quando, em Lucas 22, Jesus diz a Pedro que Satanás iria
“peneirar a sua alma…

“Simão, Simão, eis que Satanás vos reclamou para vos peneirar como trigo! Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça…” (Lc. 22:31-32).


Nas Escrituras, do Velho ao Novo Testamento, percebemos que as grandes almas eleitas por Deus foram severamente testadas… como Moisés, Abrahão e muitos outros.

Com Job não foi diferente.
E o processo é bastante lógico.
Satanas (ShThN, hebraico, o opositor) encarna a personificação do Inimigo, que tem por “missão”, digamos assim, farejar todas as fraquezas da sua vítima, tentando derrubá-la por meio delas.

Nesse Universo dualista em que vivemos, luz e trevas cumprem seu papel.
Porque nossos inimigos são aqueles que melhor nos revelam nossas fraquezas.
E essas almas por Deus eleitas precisavam ser firmes como rochedo, já que Deus edificaria sobre elas uma importante obra a ser desenvolvida em missão para a qual não poderia eleger, de forma alguma, almas fracas, covardes e instáveis.

Sobre almas de rochedo é que Deus edifica sua obra.
E o melhor agente para tentar as fraquezas do eleito, para que ele possa lutar e se tornar forte, é o ínimigo personificado em Shatan, o opositor.
O próprio sentido do nome Shatan (aquele que se opõe) entra nesse entendimento de forma didática.
Oposição, obstáculos: para que sejamos estimulados a lutar e a vencer.

Como saber se alguém é realmente forte e tem fé senão que dentro das tempestades da vida?
Na teoria, as pessoas enaltecem a si mesmas de maneira muito fácil e rápida… mas é na vida prática que o talento se revela, e especialmente durante a crise é que força espiritual se mostra… quando ela realmente existe na prática, e não somente na teoria.
Então, em muitas passagens bíblicas quando o Inimigo aparece, tentando, lutando ou procurando derrubar uma alma por Deus eleita em missão, pode ter certeza, ali existe uma operação de metamorfose da alma em curso.

Os grandes santos, os grandes mestres, toda aquela alma que se levantou sobre a Terra como coluna firme de Deus em missão eleita, todas elas passaram por seu deserto, suas perdas, renúncias, privações e provações, perseguições e batalhas externas como internas, tudo para cinzelar lentamente o rochedo da alma, que se tornaria a pedra angular da construção de Deus naquela vida eleita.

Essa é a parte principal dos ensinamentos contidos no livro de Job.
A chave começa pelo nome de Job:

Jó: Significa “hostilizado”, “perseguido” ou possivelmente “homem voltado para Deus”. Jó é um nome com origem no hebraico ‘Iyyov. Outros sugerem que o nome Jó está ligado a um verbo árabe que significa “voltar”, e por isso quer dizer “aquele que se volta (para Deus)”.

A temática fundamental do livro de Job é esta:
“Por que sofre o justo?”

Quando então, seguem-se narrativas, debates e discursos de outras personagens igualmente fictícias (os três amigos de Job, depois, o Anjo Eliu, e finalmente, o próprio Deus) que aprofundam o conceito sobre a Justiça do Criador diante do parco entendimento e limitada compreensão das coisas que Job manifesta, reconhecendo então seu erro, sua ignorância e sua limitação, que o levam a um estado de alma renovada e mente clarificada, e finalmente se submetendo á Justiça do Criador, imensa demais para ser especulada pela razão humana.

E quando essa conversão moral acontece no espírito de Job, após as tentativas fracassadas do opositor para que ele desistisse de sua fé no Criador, é que as coisas começam a mudar para melhor na sua vida.

Alquimia no Livro de Job?
Se Moisés resgatou o hermetismo egípcio nas fontes da sabedoria de Toth, com certeza, ele codificou Alquimia em seus escritos (supostamente, o autor do livro de Job, que se diz o livro mais antigo do Velho Testamento, e que começa com o Gênesis de Moisés).

Fênix (Johfra)

Job manifesta o desejo de renascer, e questiona o Criador se tal coisa era possível.
(O argumento central da alquimia aplicada ao ser humano é este, curar todas as doenças, obter o elixir da juventude e, principalmente, se tornar imortal).

A Fênix sempre foi o símbolo deste renascimento das próprias cinzas (a morte como caminho da ressurreição, morte em vida, não a morte da defunção, isto é, morte dos defeitos, transmutação dos instintos, santificação do corpo e da mente e reconexão profunda com o Espírito Santo no tabernáculo de carne que ELE reedifica).

“Eu dizia: Morrerei em meu ninho, meus dias serão tão numerosos quanto os da fênix.
Minha raiz atinge as águas, o orvalho ficará durante a noite sobre meus ramos.
Minha glória será sempre jovem, e meu arco sempre forte em minha mão.”
Job 29 18-20

Esses versículos são chaves alquímicas. Ele fala que sua raiz (kundalini, a raiz da árvore da vida, nosso corpo) voltarão a atingir as fontes das águas da vida nas profundezas, não antes dele morrer em seu ninho como a fênix, e renascer em seguida!
A força e a juventude serão retomadas por um homem (Job) que está velho, doente, cansado e tudo perdeu na vida, desde que ele se mantenha firme e forte no caminho eleito!

Porém, Job se torna ainda mais específico em outra passagem marcante do livro:

Morrendo o homem, porventura, tornará a viver?” 
Job 14: 14

E a resposta aparece em outras passagens, mas especialmente, a que segue no capítulo 33:

“sua carne some aos olhares, seus membros emagrecidos se desvanecem;
sua alma aproxima-se da sepultura, e sua vida, daqueles que estão mortos.
Se perto dele se encontrar um anjo, um intercessor entre mil, para ensinar-lhe o que deve fazer,
ter piedade dele e dizer: Poupai-o de descer à sepultura, recebi o resgate de sua vida;
sua carne retomará o vigor da mocidade, retornará aos dias de sua adolescência.
Ele reza, e Deus lhe é propício, contempla-lhe a face com alegria. Anuncia {Deus} ao homem sua justiça;
canta diante dos homens, dizendo: Pequei, violei o direito, e Deus não me tratou conforme meus erros;
poupou minha alma de descer à sepultura, e minha alma bem viva goza a luz.
Eis o que Deus faz duas, três vezes para o homem,
a fim de tirar-lhe a alma da sepultura, para iluminá-la com a luz dos vivos.”

Jó 33:21-30

A possibilidade é real, e a mesma pergunta de Job, é aquela que o velho Nicodemos fez a Jesus quando lhe fora dito da possibilidade do segundo nascimento, em João 3:

Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?
Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.
O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.
Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso?
Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto?

João 3:3-10

Nicodemos faz o mesmo papel de Job diante de Deus.
O segundo nascimento é a resposta dos enigmas do livro de Job.
E os versículos de Job 33 falam na presença de um Anjo Intercessor para a alma que suplica pelo perdão divino e a possibilidade de renascimento físico (nada a ver com reencarnação, porque se trata de um renascimento em VIDA, e não depois da morte, a lei comum do retorno das almas ainda presas ao karma dos renascimentos, roda do Samsara).

Aliás, todo o capítulo 33 do livro de Job é uma página a parte dos ensinamentos de Alquimia Secreta.
E o número 33 é um código a parte dentro do Ocultismo, alcançando o próprio Jesus Cristo, que se transfigurou como Fênix imortal na cruz de fogo (INRI) aos 33 anos.
Como podem ver, há muitos segredos em código na Bíblia, isso se soubermos extrair todos os seus ensinamentos além da letra morta, do dogma e da crença imposta…

https://www.bibliaonline.com.br/vc/j%C3%B3/33

Conclusão
A imortalidade física é um dom real, e a sua porta é a MORTE EM VIDA, a morte mística dos defeitos e a transformação dos instintos corporais, num processo combinado, físico e psíquico, vital e mental, os quais, conduzidos pelo homem, servirão de base para que o Espírito Santo interior possa conduzir todas as etapas da Alquimia da ressurreição, ou a reedificação do templo.

Mas o mais importante: nada disso é fruto de magia e nem pode ser conduzido livremente pelo homem, isto é, pela vontade humana, se a ação do Espírito não lhe cobrir.
E para que a ação do Espírito lhe cubra, isso é questão de merecimento.
De dádiva maior, de Graça divina e concessão especial do Pai.

Um merecimento decidido pela Lei maior do Universo, dentro de todas aquelas questões da Justiça de Deus debatidas com veemência por Job e seus amigos, ainda em estado de ignorância profunda… um selo de eleição que somente poucas almas conquistam nesse mundo, porque raro é o privilégio de renascer em vida, já que o comum é morrer, nascer e voltar a morrer no looping do tempo, repetição de sofrimentos por causa do EGO reencarnante.

Elimina-se o ego, adquire-se mente divina, pratique-se boas obras e a Justiça terá como decidir ao nosso favor.
O problema do ser humano é falar de mais e fazer de menos, é dar pouco mas sempre querer muito…

E se no tempo de Job, ele procurava por um Anjo intercessor que falasse em seu nome perante Deus no Tribunal da Lei Superior, muito tempo se passou até que o intermediador perfeito aparecesse:
Jesus Cristo.

Ninguém vai ao Pai a não ser por mim.
Eu sou o caminho, a verdade e a vida.

Nenhuma magia, alquimia, tecnologia ou ideologia humanas servirão para coisa alguma que seja, se o Espírito aí não estiver e se mover, conforme a Vontade do Pai.

E do ninho das teorias mortas nenhuma fênix se levantará das cinzas.
Elas continuarão cinzas e mortas… porque o fogo, a faísca do renascimento, vem do Espírito dentro do homem, e não dos seus quereres governados pelo ego e escravizados pelos desejos impuros e excessivos dos instintos, que pelo contrário, minarão suas forças e o matarão ainda mais depressa.

JP em 09.10.2020

Comentários
Compartilhar