Templates by BIGtheme NET

O Olho de Deus e o Projeto Filadélfia

 

Experiência Filadélfia ou Projeto Filadélfia foi um suposto projeto naval militar realizado no Estaleiro Naval da Filadélfia em Filadélfia, Estado da PensilvâniaEUA, por volta de 28 de Outubro de 1943,e que foi atribuido ao exmo. Sr. Nikola Tesla, na qual o destróier de escolta USS Eldridge tornou-se invisível aos observadores por um breve período. É também referido como Projeto Rainbow.

A história é amplamente considerada como uma farsa. A marinha norte-americana afirma que tais experimentos jamais ocorreram, além disso, detalhes sobre a história contradizem os fatos sobre o USS-Eldridge. Isso, contudo, criou ondas de círculos envolvendo teoria da conspiração, e participantes do Experimento Filadélfia foram relatados em outras teorias da conspiração envolvendo o governo norte-americano.

Resumo do experimento alegado

Várias, diferentes – e às vezes conflitantes – versões sobre o experimento circularam com o passar dos anos. A seguinte sinopse serve para ilustrar pontos-chave comum a maiorias das relatos.

A experiência teria sido conduzida pelo Dr. Franklin Reno (ou Rinehart) como uma aplicação militar da Teoria do campo unificado, um termo cunhado por Albert Einstein. A Teoria do Campo Unificado visa descrever a interação entre as forças que compõem a radiação eletromagnética e a gravidade; embora até a data, nenhuma teoria surgiu com uma expressão matemática viável.

De acordo com as contas que teriam sido possíveis e imagináveis, utilizar alguma versão desta teoria para curvar a luz em volta de um objeto o tornaria essencialmente invisível. Isso teria exigido equipamento especializado e energia suficiente. A Marinha teria considerado isto valioso para uso em guerra e patrocinado a experiência.

Um destróier, o USS Eldridge, teria sido equipado com os equipamentos exigidos nos estaleiros navais da Filadélfia. Testes teriam começado no verão de 1943, sendo bem sucedidos em um grau limitado. Um teste, em 22 de Julho teria então, resultado no Eldridge sendo tornado quase completamente invisível, com algumas testemunhas relatando um “nevoeiro esverdeado” em seu lugar. No entanto, os membros da tripulação teriam se queixado de náuseas depois. Nesse momento, a experiência teria sido alterada a pedido da Marinha, com o novo objetivo a ser exclusivamente invisível ao radar.

O equipamento não teria sido devidamente re-calibrado para este fim, mas, apesar disso o experimento seria realizado novamente em 28 de Outubro. Desta vez, Eldridge teria não só se tornado quase totalmente invisível a olho nu, mas, na verdade, teria desaparecido de seu local em um flash de luz verde. De acordo com algumas notas, a base naval de Norfolk no estado da Virgínia, a pouco mais de 346 km de distância, teria relatado o avistamento do Eldridge em alto-mar, em seguida o Eldridge teria desaparecido de vista e reapareceu na Filadélfia, no local que tinha originalmente ocupado, em um aparente caso de dispersão acidental teletransporte.

Os efeitos fisiológicos do experimento sobre a tripulação teriam sido profundos: quase toda a tripulação adoecera violentamente. Alguns teriam passado a sofrer de doença mental como resultado de sua experiência; comportamento compatível com a esquizofrenia é descrito em outros relatos. Outros membros imóveis, como Jacob L. Murray, teriam desaparecido fisicamente de forma inexplicada e cinco tripulantes teriam se fundido ao metal do anteparo ou do convés do navio. Parados, outros desapareceram dentro e fora do campo de vista. Horrorizados com esses resultados, oficiais da marinha tiveram que cancelar imediatamente o experimento com tais resultados. Todos os sobreviventes da tripulação envolvidos sofreram lavagem cerebral na tentativa de fazer os mesmos perderem memória a respeito de detalhes da experiência.

WIKIPÉDIA

***********************************************

USS Eldridge DE-173 ca. 1944

 

Os pareceres “oficiais” juram que tudo isso é uma farsa e um boato moderno. Mas os mesmos pareceres oficiais também juram que UFOs não existem, e que, por enquanto, continuamos sozinhos no Universo, sem Deus e sem inteligências extraterrestres.

Assim, para quem busca a Verdade, os pareceres oficiais não servem, pois parecem sempre empenhados no verbo mentir, enganar, iludir, acobertar…

 

(***)

 

FENDA DO TEMPO?

Energias que se mesclam quando dimensões estreitam o contato, alterando até o padrão de comunicação de ondas entre o navio e suas bases operacionais.

Porque as ondas e os mecanismos falham, uma vez que o campo magnético é alterado nesse trânsito dimensional (o caso das bússolas enlouquecidas nos relatos do Triangulo das Bermudas.

O famoso caso do desaparecimento do Avião da Malaysia Airlines, não se dará pelo mesmo fenômeno (acidental, pela tempestade, ou induzido por UFOs?)

 

SOL DE 16 RAIOS?
O Portal que aparece nas fotos “proibidas” do Experimento Filadélfia mostram com clareza e nitidez a imagem de um Grande Olho aparecendo no céu, como um Portal ou fenda do tempo.

Primeiro ponto: o Sol era considerado pelos antigos como O OLHO DE DEUS, por causa da associação com a Luz.

Inclusive, no belíssimo PARAÍSO PERDIDO, de John Milton, Uriel era o Arcanjo do Sol, e definido como Anjo da Luz, o Olho que tudo via e vigiava o Universo.

Segundo Ponto: O Sol com 16 raios.

A 16° letra do alfabeto hebraico é HWAIN, que significa OLHO.

E que misteriosamente, o TARO egípcio e suas derivações associou, na lâmina 16, à TORRE ou CASA DE DEUS.
O Sol como Casa de Deus.

Torre, Montanha sagrada, Pirâmide, escadaria de acesso.

Tanto que as palavras Escada (SLM) e SINAI, a Montanha Sagrada (SINI) tem o mesmo valor cabalístico (130). São equivalentes em contexto de símbolo.


E isso nos leva ao episódio da Torre de Babel.
Tecnologia que os antigos possuíam e que permitia CHECAR OU CÉU… a Casa de Deus… ou VISITAR AS DIMENSÕES SUPERIORES DOS DEUSES?

Certamente, porque o termo BABEL (que significa CONFUSÃO) foi uma adaptação do original acádico BAB.ILI, que significa A PORTA DO DEUS.
Ou seja, o Sol era (é) uma PORTA DO CÉU.

Construir um artefato que alcance o Sol e ali encontre uma porta de acesso as dimensões paralelas… tal como UFOs fazem… é toda a explicação do Gênesis 11 ao nível de tecnologias.

E também está inserida no episódio de Moisés no Monte Sinai, quando a Nuvem brilhante e soando uma Trombeta desceu até ele… ou o episódio da transfiguração de Cristo no alto do monte, quando subiu numa nuvem brilhante e se transfigurou numa entidade de pura luz. Fora outras passagens…e foram muitas.

De tal maneira que, ainda que seja uma teoria conspiratória, muitos acreditam no Projeto Filadélfia e na abertura de portais na ocasião.


Inclusive fotos foram feitas… fotos de PORTAIS que teriam aparecido durante o experimento.
E estas fotos parecem inteiramente com UM GRANDE OLHO.
Isso pode explicar o porque dos antigos associarem portais a OLHOS.Não é a toa que, até hoje, sobre as colunas dos templos da Maçonaria derivada da tradição egípcia-salomônica, exista um DELTA (Triângulo), a quarta letra que vem do DALET grego e que significa PORTA…e dentro dela, um grande Olho… o Olho de Deus!

(E as mídias modernas empregam vastamente estes e outros signos antigos em uma reedição determinada para ostentar as insígnias da Nova Ordem Mundial)

Com certeza, dentro do mesmo fluxo de idéias, credito todas estas aparições de UFOs e objetos estranhos na borda do Sol e mesmo entrando (e saindo) dele a existência de um Portal permanente lá dentro, e que os antigos chamaram de OLHO DE DEUS CUJO ACESSO É UMA TORRE.

Tudo está contido no número 16, o que explica as retratações do Sol neste padrão numérico de raios.

Olho de Itanhaém, 1.1.2017 SP
Olho em Fênix, Arizona,  USA, 02.11.2018
Olho na Inglaterra, 02.05.2017
Olho na Rússia, Abril de 2017
Só falta mesmo o Olho da Humanidade se abrir para ver tanta coisa acontecendo…
JP em 16.05.2019

 

Comentários