Templates by BIGtheme NET

A Telepatia dos golfinhos

Principalmente nos mitos gregos, os golfinhos ou delfins eram criaturas privilegiadas, quase elevados a categoria de Anjos no sentido de transmitir mensagens dos deuses. Por exemplo, o trono de Poseidon, deus tutelar da antiga Atlântida, era conduzido por golfinhos. E mais, estes animais serviam ao deus de todas as formas, inclusive como mensageiros de sua vontade.
E também foram golfinhos que levaram o deus Poseidon até o lugar onde estava a sua amada e eleita esposa, a deusa Anfitrite. Ela estava escondida, mas nenhum lugar dos oceanos eram escondido para os golfinhos, mensageiros telepatas do amor…

Evidentemente, como todo mito sempre é uma espécie de véu cobrindo uma verdade mais profunda, temos a sensação de que estas criaturas realmente tem não só um sistema de comunicação sofisticado, como também são dotados de poderes telepáticos.

Baleias, golfinhos e mamíferos aquáticos realmente se destacam dos outros animais marinhos (peixes) em termos evolucionários.


E se anexarmos aqui a teoria Dogon (mais Parravicini) das naves em forma de peixe, e dos antigos civilizadores da Terra procedentes de Sirius, de um mundo aquático orbitando a estrela B, e de todas aquelas simbologias em torno do Peixe, já descritas anteriormente, então temos uma conexão importante: a de que golfinhos e outras espécies animais muito evoluídas não tem origem na cadeia evolucionária terrestre. Antes, são espécies importadas de outros planetas, por exemplo, este mundo oceânico que orbita Sirius B, donde vieram os Nommos, ou Instrutores da antiguidade.

Assim sendo, todos estes estudos envolvendo a complexa comunicação dos golfinhos tem aqui o seu gancho acertado no sentido de se investir na comunicação extraterrestre.


E a questão que deixo é esta:
Até onde alcança a telepatia dos golfinhos?
Será que não chega até os seus mundos de origem?
Será então que os golfinhos podem ser “antenas biológicas” deixadas na Terra a serviço de raças extraterrestres avançadas que aqui os implantaram, em nossos oceanos, há milhares de anos?

E mais, considerando a existência de bases extraterrestres nos oceanos profundos aqui mesmo da Terra, não terão os golfinhos funções similares aqui mesmo?

Guardiões dos segredos do fundo do mar?…

Mensageiros de supostas inteligências extraterrestres com bases submarinas? Amigos do homem que sempre foram, e em certa medida, até seus instrutores? Porque, se eles têm capacidades telepáticas, até que ponto interagem com a nossa própria consciência em níveis de comunicação que jamais suspeitamos?

Creio que os golfinhos podem nos ensinar os caminhos do resgate da telepatia perdida.

São criaturas muito afáveis e sociáveis, associadas na simbologia ao raio do amor, da fraternidade.

Não só telepatia, eles tem muitos outros valores a nos ensinarem.

O idioma primordial incluía a comunicação com todas as formas de vida, não somente do tipo humanas/extraterrestres.

A chave da comunicação está no princípio MENTE, capaz de encontrar seu mecanismo de formas-padrão para estabelecer contatos, materializando tudo isso em padrões de sons, guinchos, silvos, enfim, ou apenas se valendo dos recursos telepáticos, quando o som não é envolvido.

A chave da telepatia é o amor.

É o importar-se com o outro, de tal forma que uma força oculta gerada no coração empurra a onda-pensamento ´para frente até que ela alcança o outro pólo, o objeto da sua atração, o outro coração.

Porque a humanidade perdeu os dons telepáticos?

Porque perdeu o dom de amar de verdade, de se importar mais com o outro do que consigo próprio. Baseado nisso é que acredito no amor como chave da telepatia, a sintonia das semelhanças e a ressonância dos sentimentos afinados.

Bem como o que acontece entre mãe e filho, às vezes até depois da morte de um deles, e também entre gêmeos, sempre muito ligados pelo laço do afeto.

A chave da telepatia é o amor.

Porque o amor é o agente de comunicação mais veloz que existe.

É o segredo de todo Emaranhamento quântico entre duas partículas ou entidades cósmicas que transcendem distâncias e tempos em sua troca de informação.
Para almas ligadas no amor, o universo parecerá um grande oceano que comunica suas vibrações, sem matéria, espaço ou tempo que possa bloqueá-las ou impedí-las de se propagar de um coração ao outro, o que emite e o que recebe.
Tudo isso porque o amor é adimensional e atemporal, na origem de tudo. É incondicional!
É Deus.
JP em 24.03.2019

 

Comentários