Templates by BIGtheme NET

A Equação da Vida

 

A Equação da Vida

Eu apresento a leitura da equação da vida de uma forma que estou certo que você nunca viu antes.

A imagem do Homem Vitruviano (as proporções humanas) de Leonardo da Vinci se tornou um ícone de Leonardo e da própria Renascença, com a mesma proposta de focalizar a inteligência na busca pela perfeição, cujo ideal mais exaltado residia no próprio homem tomado como centro de contemplação do Universo e a medida-padrão de todas as coisas que sua consciência era capaz de observar, tomando parte do Sistema.

Wooden Gears Drawing Painting by Leonardo da Vinci

 

O homem vitruviano reproduz a união dos dois mundos, e ao mesmo tempo, procura solucionar a “Quadratura do Círculo” no segredo do Motor Perpétuo e as relações herméticas com o Quinto Elemento, o eixo que faz girar a grande roda de quatro raios, ou seja, o Universo e seus quatro elementos.

Outra vez a solução fornecida pelo Pentagrama, raiz geométrica do número de ouro (Phi) dentro do Pentagrama e da cruz que sustentam o Homem Vitruviano neles inserido, e relacionado ao mesmo tempo com o quadrado (Terra, Matéria, mundo 3D visível) e círculo (Céu, Energia, espírito, mundo invisível).

Um mesmo homem com dois corpos. Um em cruz (terra) e outro em pentagrama (estrela, céu). As duas esferas coexistentes na mesma realidade chamada VIDA, e mais ainda, Vida consciente.

Um mesmo espírito em duas almas, em duas correntes de energia, solar e lunar, quente e fria, física e psíquica, racional e emocional, masculina e feminina.

Esta imagem contém muita coisa do Código da Vinci, o verdadeiro!
E na verdade, a própria equação que gera o número áureo revela que o segredo, ou a chave da perfeição, está na Pêntada, o Quinto elemento, como alvo que só pode ser alcançado pelo binário devidamente equilibrado.

Espiral áurea e a concha do nautilus

A equação que gera o número áureo e que procede das relações matemáticas do retângulo de ouro e da geometria do pentagrama (360°/5 = 72°).

Veja os ítens da equação:

Número áureo a partir do retângulo de ouro

Raiz do número cinco (2.2361…) somada ao número um (3.2361…) e tudo dividido por dois, gera o número áureo, Phi (1.618…)

O Evangelho oferece um interessante paralelo não acidental, mas com conhecimento de causa, no milagre da multiplicação dos pães e peixes a partir de cinco pães e dois peixes diante da Unidade Cristo, o Verbo, a alavanca da Criação. A fórmula da abundância!

Extrair a raiz de cinco (5) é extrair a quintessência comum a todos os quatro elementos (os quatro estados energéticos da matéria) para reconectar essa alma ou quintessência ao espírito-unidade (1 da equação) donde ela saiu, formando a harmonia do triângulo. Em seguida, dividir tudo isso por dois (2) é aplicar a lei do binário equilibrante ou balança, conforme a chave do caduceu de Hermes, na medida justa e perfeita que só a dualidade em linha precisa de equilíbrio pode executar. Feito isso, a Magna Obra está concluída, o número da vida é alcançada no corpo, mente e espírito, e se viverá para sempre!

Os quatro elementos dos sábios do passado nada mais eram do que a leitura dos quatro estados energéticos da matéria, escalonados em quatro níveis de energia térmica ou vibração molecular e atômica (calor):

Fogo: matéria no estado plásmico
Ar: matéria no estado gasoso
Água: matéria no estado líquido
Terra: matéria no estado sólido

Crop circle suástica do dia 27.08.2016 UK e a roda dos quatro elementos

A raiz de cinco na equação da vida significa extrair a Alma Vital de todos os quatro elementos e estados de matéria por igual, e por isso os antigos diziam que todas as coisas eram vivificadas pela mesma alma comum, alma universal, regulada pelo binário saído da Unidade. Conhecer portanto o segredo do Quinto elemento e a forma de conduzí-lo pela balança ou caduceu do binário, era a única forma de se reconectar com a unidade: estes são os três números (1, 2, 5) da equação da vida naquela maneira combinados dentro da fórmula matemática saída do retângulo mágico e do pentagrama.
Esta era a “religião” de Leonardo da Vinci!

São João Batista, a última obra, e a Espiral áurea

A Quintessência é a alma viva presente em todos os quatro elementos e estados energéticos da matéria e da forma.
E se Einstein formulou a equação fundamental das relações cósmicas entre matéria e energia, na constante da luz, eu formulo agora a equação da vida, na constante da alma!

E = mc2

Isso explica de forma cabal porque o padrão áureo, a espiral áurea, a sequência de Fibonacci e o número áureo são constantes em todas as criações de Deus dentro do Universo em movimento de mutação, desde os cristais das cavernas até as galáxias difusas dos espaços, e em todos os seres vivos, principalmente, na “biometria” humana, o que a arte do Homem Vitruviano exibe.

Sequência Fibonacci nas proporções do corpo humano

Era exatamente este o grande segredo que Leonardo e os renascentistas buscavam ao idealizar no Pentagrama o símbolo da fonte da Luz e da Ciência Divina, Hermética, ocultista.
O que o dedo do código Da Vinci aponta sem cessar é a estrela dos magos, é Sofia dos gnósticos, a Luz encarnada, idealizada, Afrodite-Vênus, a chave do Pentagrama na equação da vida e na identidade Phi.

A suástica, por exemplo, representa a cruz em movimento, a Roda cósmica dos quatro elementos ou estados energéticos da matéria em eterna transformação gerando o Moto Perpetuum, sustentada pelo quinto elemento no eixo fixo das operações da roda cruciforme.

Crop Circle Winterbourne Stoke Down, Stonehenge, UK em 17.6.2018

Todos os anos, os mensageiros crop circle exibem pentagramas bem como formações em recorte geométrico do padrão áureo, para identificar sua origem e identidade: Vênus.
Até porque nossa relação com o planeta Vênus é mais íntima do que pensamos, tanto em termos de fraternidade entre uma civilização vizinha, como em termos de energia planetária ligando as duas órbitas de uma forma que não acontece com nenhumas outras órbitas do sistema solar.

Por causa dos valores orbitais destes dois astros, considerados “gêmeos” na antiguidade, acontece o fenômeno dos ciclos sinódicos de Vênus, que, após traçar um Pentagrama nas revoluções celestes, retorna ao mesmo ponto do Zodíaco.
Assim, quando a Terra cumpre 8 órbitas (8 anos), Vênus completará 13 órbitas (13 anos), gerando a série de Fibonacci e o número Phi (13/8).

Tudo por causa dessa razão
Período Terra/Período Vênus =
365.25 dias/224.7 dias = ~1.62

O Criador não dispôs acidentalmente as órbitas da Terra e Vênus na proporção áurea.
Na Verdade, ele dispôs essa proporção entre as órbitas da Terra e Vênus para permitir que a vida se manifestasse com abundância nos dois mundos compartilhando o laço da proporção sagrada do Espírito Santo.

Será que isso prova que venusianos existem e estão entre nós, e sempre estiveram, nos instruindo, nos resgatando, como ensinaram os antigos por eles visitados?

JP em 22.02.2019

**************************************************

Comentários