“Vênus é um planeta russo”, diz chefe da Agência Espacial Russa

O chefe da agência espacial russa, Dmitry Rozogin, em uma declaração bizarra reivindicou o planeta “Vênus” – e isso gerou polêmica em todo o mundo.

O chefe da agência espacial ‘Roscosmos’ fez a declaração durante uma palestra na exposição HeliRussia 2020, e disse que pesquisas anteriores feitas por cientistas russos afirmavam que não poderia haver vida possível no planeta.

Em um novo estudo realizado por cientistas britânicos e americanos publicado na revista Nature Astronomy na segunda-feira, os cientistas afirmaram ter encontrado vestígios de gás fosfina nas nuvens de Vênus e que uma das possíveis causas para isso poderia ser a presença de vida extraterrestre.

“Nosso país foi o primeiro e único a pousar com sucesso em Vênus”, disse Rogozin. “A espaçonave [russa] reuniu informações sobre o planeta – é como o inferno lá.”

Durante a era soviética, a agência espacial russa havia iniciado uma série de missões de exploração de Vênus, sob o programa “Venera”. Dez sondas conseguiram fazer pousos bem-sucedidos em Vênus, o que forneceu informações sobre o planeta em grande detalhe.

No entanto, as sondas só conseguiram sobreviver por um período muito curto na superfície planetária, devido às condições atmosféricas adversas e altamente corrosivas de Vênus.

De acordo com a agência de notícias russa The Moscow Times , Roscosmos também anunciou planos na terça-feira para lançar uma expedição russa independente a Vênus “sem envolver ampla cooperação internacional”.

Comentários
Compartilhar