Takht-e Rostam – O mistério do incrível complexo esculpido na pedra

Existe lugares no mundo tão fortemente devotados a uma religião em particular que é incrivelmente difícil acreditar que foram moldados por qualquer outra religião. O Afeganistão é um desses lugares, um país tão devotamente islâmico que parece que o Islã existe desde o início dos tempos – No entanto, antes do advento do Islã, o Afeganistão era um importante centro de ensino budista.

Para encontrar vestígios desse passado budista, é preciso pesquisar com extrema atenção. Os outrora ricos locais de escavação se transformaram em escombros depois de décadas de guerra e abandono, as coleções do museu foram saqueadas ou irreparavelmente danificadas e os Budas Bamiyan – que já foram a mais forte lembrança do passado budista do país – foram destruídos pelo Talibã em 2001.

Desde a destruição dos Budas Bamiyan, o Stupa de Takht-e Rostam na província de Samangan é indiscutivelmente o sítio pré-islâmico mais impressionante do Afeganistão. Ao contrário de outras stupas, a de Takht-e Rostam não foi montada acima do solo, mas foi escavada no solo, em um estilo que lembra as igrejas monolíticas da Etiópia.

No topo da stupa está um edifício Harmika esculpido em pedra, que já guardou relíquias de Buda. A trincheira em torno da estupa tem cerca de oito metros de profundidade. Um caminho leva até o fundo da trincheira, onde monges budistas uma vez circunavegaram a estupa no sentido horário. Esculpido dentro das paredes externas da trincheira está um mosteiro budista com cinco cavernas individuais e várias celas monásticas para meditação. Pequenos buracos nos telhados permitem que um pouco de luz do dia entre nas cavernas, criando uma atmosfera pacífica do crepúsculo. O mosteiro da caverna carece de quaisquer elementos decorativos, mas é impressionante por sua façanha de engenharia.

Os historiadores propuseram duas razões possíveis, por que a estupa foi esculpida no solo, em vez de ser construída acima do solo. Uma explicação é que isso poderia ter sido feito com o propósito de camuflar para proteger o mosteiro de invasores. Outra explicação muito mais mundana afirma que isso foi feito simplesmente para escapar dos excessivos extremos climáticos do Afeganistão.

O nome afegão Takht-e Rostam (Trono de Rostam) refere-se a uma figura lendária da cultura persa. Após a islamização do Afeganistão, quando o conhecimento do propósito original da estupa se perdeu, o local ficou conhecido como o lugar onde Rostam supostamente se casou com sua noiva Tahmina.

As ruínas estão localizadas na colina 3 km a sudoeste acima da cidade de Samangan.

Fonte

Comentários
Compartilhar